Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-01-2024
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-05-2023

    SECÇÃO: Educação


    As reivindicações da Assembleia Municipal de Jovens

    A MESA QUE PRESIDIU AOS TRABALHOS DA AMJ
    A MESA QUE PRESIDIU AOS TRABALHOS DA AMJ
    Este ano aderiram ao projeto da Assembleia Municipal de Jovens seis estabelecimentos escolares do concelho de Valongo, a saber: dois de Ermesinde – Escola Secundária e Cenfim; dois de Valongo - Agrupamento de Escolas de Valongo e Agrupamento de Vallis Longus; um de Alfena - Agrupamento de Escolas de Alfena; e um de Campo - Agrupamento de Escolas de Campo.

    O trabalho final foi apresentado, como é tradição, no Auditório Dr. António Macedo em Valongo, na noite de 28 de abril último, com a presença do presidente da Assembleia Municipal, Abílio Vilas Boas, do presidente da Câmara Municipal, José Manuel Ribeiro, da vice-presidente, Ana Maria Rodrigues, de alguns vereadores e de alguns deputados da Assembleia Municipal, dos jovens deputados e seus professores, algum público (em reduzido número) até porque a reunião foi transmitida pelos meios audiovisuais da Câmara Municipal.

    Depois da introdução do presidente da Assembleia Municipal, que explicou como iria decorrer esta sessão, e do presidente da Câmara que se referiu à importância da democracia participativa como a melhor forma de tomar decisões para a comunidade, tomou o seu lugar a mesa jovem da Assembleia que conduziu muito bem os trabalhos e era constituída por Diogo Silva, como presidente; Mariana Rodrigues, como 1.ª secretária; e David Machado, como 2.º secretário.

    ASPETO DA SALA
    ASPETO DA SALA
    O primeiro grupo de deputados jovens a intervir foi o Agrupamento de Vallis Longus que reivindicou a melhoria dos espaços exteriores e interiores da escola destinados aos alunos, nomeadamente a colocação de uma cortina de árvores que faça alguma sombra às salas, nos dias mais quentes. O CENFIM, núcleo de Ermesinde, apelou a uma significativa melhoria dos transportes públicos, que passe pela expansão da rede dos transportes públicos, pela melhoria da informação disponível nas paragens e, porque não, pela vinda do Metro até ao concelho de Valongo. O Agrupamento de Escolas de Ermesinde refletiu sobre o protagonismo dos alunos dentro da escola e sua relação com a política, defendendo a existência de um espaço na escola onde pudessem expor as suas ideias de modo livre. O Agrupamento de Escolas de Alfena referiu-se à falta de funcionários nas escolas do concelho cuja presença é muito importante em todo o processo de ensino-aprendizagem. O Agrupamento de Escolas de Valongo falou dos fojos das Serras de Valongo, na perspetiva de serem um importante recurso como património identitário mas também uma ameaça para quem circula pela serra, pessoas e animais. Finalmente, o Agrupamento de Escolas de Campo com a apresentação que titulou “A caminho do bem-estar para o homem e o seu amigo” fez algumas justas reivindicações quer na perspetiva dos alunos, quer para proteção dos animais, com a construção de passeios, parques de estacionamento e áreas ajardinadas.

    A APRESENTAÇÃO DA CENFIM DE ERMESINDE
    A APRESENTAÇÃO DA CENFIM DE ERMESINDE
    O presidente da Câmara respondeu às reivindicações dando, na maior parte dos casos, razão aos jovens deputados. No que respeita ao caso da Escola Vallis Longus, disse que está a ser objeto de uma intervenção grande, orçamentada em cerca de 4 milhões de euros, mas fica registada a reivindicação da cortina de árvores. Relativamente ao Cenfim, disse que a Câmara não pode alargar a rede dos transportes públicos, porque o processo é muito complexo, mas que a Câmara de Valongo tudo tem feito para que os seus munícipes sejam bem servidos. Quanto ao Metro reconheceu que algumas linhas são excessivas (como por exemplo a linha até à Póvoa de Varzim), mas que um dia o Metro também chegará ao concelho de Valongo, pela expansão da linha até Águas Santas. A Câmara também está apostada numa nova linha ferroviária do Vale do Sousa e no transporte de passageiros da Linha de Leixões. Não comentou o tema da Escola de Ermesinde, que considerou que não lhe diz respeito, mas sempre disse que reconhece o bom trabalho da direção do Agrupamento, como de todas as direções. No que respeita à intervenção dos deputados jovens de Alfena, disse que os funcionários que a Escola tem são aqueles que estão previstos. Concordou com o que dizem os deputados do Agrupamento de Escolas de Valongo, sobre os fojos, que vêm do tempo da exploração aurífera pelos romanos, que são efetivamente um recurso mas também são uma ameaça que temos de acautelar.

    A 2.ª parte, permitiu um interessante debate sobre a “Integração de minorias na sociedade” que foi um tema proposto pelo grupo do Cenfim, nas reuniões preparatórias desta assembleia. E também foi um pouco protagonizado este debate pelo jovem deputado do Cenfim, Miguel Costa. Mas, ao contrário do que tinha acontecido em sessões anteriores, foram vários os intervenientes e os jovens mostraram ter ideias muito claras e consensuais acerca da forma como a sociedade deve integrar todo o tipo de minorias.

    Pelo que se viu, os jovens mostraram-se empenhados e são uma evidência do valor desta forma de aprendizagem cívica e democrática que a iniciativa promove.

    Por: Manuel Augusto Dias

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.