Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 25-06-2024
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-03-2023

    SECÇÃO: Desporto


    FUTEBOL

    Ermesinde 1936 sacode nuvem negra (de maus resultados) e aproxima-se a passos largos de porto seguro (manutenção)

    Foto MANUEL VALDREZ
    Foto MANUEL VALDREZ
    Março trouxe um balão de oxigénio para a principal equipa do Ermesinde 1936 na Série 2 da Divisão de Elite da Associação de Futebol do Porto. Por outras palavras, o emblema da nossa terra deu passos decisivos rumo à manutenção no principal escalão do futebol distrital portuense, já que quando faltam disputar quatro jogos para o fim do campeonato os pupilos de Vítor Leal ocupam o 12.º lugar, com 26 pontos, mais sete que o primeiro clube (o Sobrado) posicionado abaixo da “linha de água”. É caso para dizer que a permanência na Divisão de Elite está ao “virar da esquina”.

    Em termos mais precisos o Ermesinde 1936 somou neste mês três triunfos em quatro jogos disputados, sendo que o mais recente aconteceu no último domingo do mês (dia 26) no reduto do “lanterna vermelha” desta Série 2, o Roriz. Em encontro alusivo à 26.ª jornada da competição os ermesindistas venceram por 2-1. Não foi contudo uma vitória fácil, já que a mesma foi garantida em tempo de compensação, ao minuto 95 mais concretamente, altura em que Bruno Silva desfez a igualdade a uma bola. Neste encontro, os verde e brancos adiantaram-se no marcador aos 15 minutos, por intermédio de Cláudio Neves, mas em cima do minuto 90 Rui Neves empatou o jogo que teve um final de loucos!

    As equipas alinharam da seguinte maneira: Roriz: Daniel Sá, Castro (Cardoso, 70), Telmo, Tomás, Pedro Cardoso, Rafa (Machado, 60), Rodri (Fontes, 80), Rui Pedro, Xavi (Pedro, 80), Igor e Chico. Treinador: José Magalhães.

    Ermesinde 1936: Sérgio Carneiro, Pedro Castro, Marcelo, Pepe, Tomás Mota, Carlitos, Romário (Edgar, 90+5), João Fernandes (André Rocha, 65), Diogo Cunha, Cláudio Neves (Bruno Silva, 46) e Herdeiro (Miguel Rosa, 85). Treinador: Vítor Leal.

    PRENDA (VITÓRIA) NO DIA DO PAI

    Uma semana antes, a 19 de março, o Ermesinde 1936 recebeu outro dos aflitos desta Série 2, o Aparecida, em partida da 25.ª ronda. Os ermesindistas cumpriram a sua obrigação de garantir mais três pontos nesta reta final de época ao vencer por 2-1 o conjunto do concelho de Lousada. O jogo, ocorrido no Dia do Pai e com bom tempo no Estádio de Sonhos, onde se notou também o regresso da claque verde-e-branca à sua bancada, valeu sobretudo pela primeira parte, em que o Ermesinde 1936 entrou muito bem, e antes da meia hora de jogo já ganhava por 2-0, com golos de Herdeiro (aos 12 minutos, na conversão de uma grande penalidade) e de Diogo Cunha (ao minuto 25). Não se pense que o adversário ficou parado à espera que o relógio ditasse o fim do jogo, não. O Aparecida foi reagindo conforme pôde, embora só tenha conseguido reduzir já no decurso da segunda parte. Dispôs de uma boa oportunidade protagonizada por Hélder Silva, aos 72 minutos, que falhou incrivelmente na pequena área a oportunidade de reduzir. Conseguiu o golo apenas depois de ter feito todas as suas substituições, e com um auto-golo (de Pepe) da equipa comandada por Vítor Leal, que, na etapa complementar, se limitou praticamente a controlar o jogo, para não deixar fugir a merecida vitória.

    As equipas alinharam com: Ermesinde 1936: Sérgio Carneiro; Pepe, Pedro Castro, Rafael Brito, Tomás Mota, Carlitos (Edgar, 77), Romário, João Fernandes (André Rocha, 43), Diogo Cunha, Bruno Silva (Marcelo, 70) e Herdeiro. Treinador: Vítor Leal.

    Aparecida: Nico; Rogério Pereira, Hugo Silva (Moreira, 70), Pepe, Rui Miguel, Hélder Silva, Rafa (Samuel Fonseca, 70), Cleber (Babo, 70), Pedro Moreira, Rui Valente (Migas, 45) e Luisinho. Treinador: Luís Ribeiro

    A ÚNICA ESCORREGADELA DE MARÇO

    Na 24.ª jornada, realizada no dia 12 de março, o Ermesinde 1936 conheceu a sua única derrota no trajeto efetuado ao longo do mês de março. Foi em Gandra, diante do Aliança local, por 2-1. Bruno Silva ainda adiantou a equipa orientada por Vítor Leal no marcador logo à passagem do oitavo minuto de jogo, mas os últimos 15 minutos foram fatais para o Ermesinde 1936, que ao sofrer dois golos quase de rajada (aos 75 e 88 minutos) deixou fugir a hipótese de poder pontuar nesta difícil deslocação ao concelho vizinho de Paredes.

    A ficha deste encontro foi a seguinte: Aliança de Gandra: Rica, Pinheiro, Rui Alves, Jorge Pereira, Faneca, Ricardo Fernandes, (Hugo Costa, 70), Seixas (Cunha, 70), Joel (Migas, 46), Nuno Martins (Tanaka, 90), Rúben Pereira e Ferraz (Bruninho, 90). Treinador: Marcos Nunes

    Ermesinde 1936: Sérgio Carneiro, Pedro Castro, Rafael Rito, Pepe, Miguel Rosa (Machado, 50), Diogo Cunha, Romário, João Fernandes (Edgar, 46), André Rocha (Cláudio Neves, 67), Bruno Silva e Herdeiro. Treinador: Vítor Leal.

    REGRESSO ÀS VITÓRIAS APÓS SÉRIE NEGRA DE DERROTAS

    No dia 5 de março o Ermesinde 1936 pôs fim a uma série de seis derrotas consecutivas ao vencer em casa o Vila Caiz por duas bolas a uma. O tempo (chuvoso) e a posição na tabela classificativa diminuíram o número de adeptos nas bancadas, mas não de forma significativa, pois continuam a ser muitos os que rumam ao Estádio de Sonhos para apoiar o clube da cidade, no sentido de garantir a manutenção. E o onze de Vítor Leal bateu-se bem neste jogo, sempre à procura da baliza adversária. O primeiro remate da equipa da casa à baliza do Vila Caiz ocorreu ao minuto 9, mas Alex Reis, atento, defendeu bem. O clube visitante também ia tentando a sua sorte, nunca se remetendo totalmente à defesa. Pouco depois da meia hora de jogo, o Ermesinde 1936, com a dupla Miguel Rosa e Herdeiro, tentou construir uma jogada ofensiva, aproximando-se da grande área do Vila Caiz, mas dela nada resultou de concreto. Foi apenas a dois minutos do intervalo, que ocorreu o primeiro golo, para o Ermesinde 1936, concretizado por João Fernandes, que rematou forte, com a bola a embater na parte de dentro da base do poste direito da baliza de Alex e aninhou-se no fundo das redes.

    No tempo complementar as características do jogo não se alteraram e os pupilos de Vítor Leal chegaram com alguma naturalidade ao 2-0, ao minuto 65, por intermédio de Bruno Silva que concretizou mais uma jogada ofensiva delineada pelo lado esquerdo do seu ataque. Até final o Ermesinde 1936 foi controlando o jogo e foi já nos minutos de compensação que o Vila Caiz conseguiu reduzir para 2-1, na conversão de uma grande penalidade.

    As duas equipas jogaram com: Ermesinde 1936: Sérgio Carneiro; Pedro Castro, Rafael Rito, Marcelo, Miguel Rosa (Cláudio, 84), Romário (Palhares, 84), João Fernandes (Edgar, 57), André Rocha (Ricardo Pinto, 70), Bruno Silva, Diogo Cunha e Herdeiro. Treinador Vítor Leal

    Vila Caiz: Alex Reis; Carlitos, Flecha, Innocent, Frazão (Lico, 62), Lula (Benito, 66), Kell, Zidane, Frank, Léo e Ronald Cruz. Treinador José Oliveira.

    foto
    .

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: [email protected].