Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 20-09-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-07-2021

    SECÇÃO: Educação


    PÁGINA DAS ESCOLAS

    Escola Básica de São Lourenço-Ermesinde Promoção da Saúde Mental em Tempos de Pandemia

    foto
    Nos dias 28 e 29 de abril, realizaram-se no auditório da Escola Básica de São Lourenço várias sessões de reflexão, sensibilização e informação sobre Saúde Mental em Tempos de Pandemia, destinadas aos alunos do 9.º ano e dinamizadas pela Enfermeira Especialista em Saúde Mental e Psiquiatria, Paula Marina Travanca. Esta foi mais uma das várias atividades que a equipa Coordenadora da Promoção da Educação para a Saúde do Agrupamento de Escolas de São Lourenço planificou para o presente ano letivo. Todas as normas da Direção Geral de Saúde (DGS) foram cumpridas, aliás como é habitual no nosso Agrupamento.

    No decorrer das sessões, a enfermeira Paula Travanca instigou os alunos a refletir sobre a Saúde Mental em Tempos de Pandemia. A adolescência por si só é já um processo de adaptação física e emocional. Uma adaptação bem sucedida aos agentes stressores do ambiente externo ou interno, leva os adolescentes a estarem mais bem preparados para uma situação de pandemia, mas não significa que todos consigam ter o mesmo comportamento. É de referir que em todo o mundo a depressão é uma das principais causas de doença e incapacidade entre adolescentes. O suicídio é a terceira principal causa de morte entre adolescentes de 15 a 19 anos. O não abordar as condições de saúde mental dos adolescentes pode levar a que se estendam à idade adulta, prejudicando a saúde física e mental e limitando futuras oportunidades. Todos sabemos que a Pandemia teve impacto negativo na saúde mental dos jovens portugueses refletindo-se na tristeza, medo, depressão, descida da felicidade. Este estudo foi realizado pela Universidade de Coimbra que concluiu que a pandemia teve um impacto negativo nos adolescentes com idades entre os 13 e os 16 anos. As raparigas apresentaram níveis mais elevados do que os rapazes. Isto no primeiro isolamento. No segundo isolamento, houve um aumento significativo dos casos.

    foto
    Todos, mas todos tivemos que nos adaptar às novas formas de interação social como: o toque, o abraço, o ensino, os novos divertimentos, as rotinas, a forma de estar em família, à prestação de cuidados de saúde e como vivemos o luto. Durante as sessões os alunos referiram que ficaram mais dependentes das tecnologias, tinham mais ansiedade, medo, falta de concentração e preocupações com as situações familiares. A Enfermeira salientou que temos de nos adaptar com estratégias de promoção de saúde física e mental e se necessário pedir ajuda. Temos de usar máscara, lavar as mãos, desinfetar as mãos e manter o distanciamento social. Em família o importante é fortalecer os laços familiares e saber gerir momentos de tensão e conflito. Temos de proteger o nosso sistema imunitário através do sono, repouso, lazer, alimentação equilibrada, manter rotinas, fazer exercício físico e apanhar luz solar. A nossa saúde mental também depende de manter o contacto com amigos e familiares, por mensagens e vídeo chamadas. Salientou para os alunos terem cuidados com a segurança online. Muitos referiram que arranjaram um hobby, desde escrever um diário, musicoterapia, arte terapia, exercícios de relaxamento e controlar a respiração. Todas as sessões terminaram com um exercício de relaxamento. Aqui deu para perceber que a maior parte dos nossos alunos de 9.º ano não consegue focar-se neles próprios, mostrando ainda uma grande ansiedade.

    Esta atividade tentou promover uma saúde para todos, tanto física como mental.

    Isabel Vilhena

    - Professora da Escola Básica de São Lourenço – Ermesinde Coordenadora da Promoção da Educação para a Saúde

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.