Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 20-09-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-07-2021

    SECÇÃO: Destaque


    ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS 2021 -CANDIDATURA DO PAN (PARTIDO PESSOAS - ANIMAIS - NATUREZA)

    Vamos representar as causas pelas quais os valonguenses têm lutado

    VITOR PARATI
    VITOR PARATI
    No concelho de Valongo as causas PAN têm vindo a ser defendidas pelos seus munícipes com muita luta e esforço. Temos notado uma vontade crescente em todos e todas os valonguenses de se verem representados nos órgãos autárquicos em defesa das causas sociais, animais e ambientais.

    O PAN apresenta-se em Valongo com um programa eleitoral orientado por uma visão ecocêntrica que perspetiva a saúde humana e a saúde do planeta e afirmando que só com uma visão integrada poderemos alcançar aquilo que comummente chamamos de qualidade de vida.

    Qualidade de vida essa que tem sido muito afetada pela poluição dos rios, ar e dos espaços naturais do concelho. Neste território temos um grande problema que se chama aterro de Sobrado. A luta e mobilização de todos os sobradenses levou a que o Governo, tomasse medidas, medidas que continuam a ser insuficientes. Para Sobrado, não queremos um aterro mal gerido que prejudique o bem-estar dos sobradenses. Continuaremos com o nosso apoio às cidadãs e cidadãos e ao movimento Unidos pelo Fim do Aterro no Concelho de Valongo, até que este seja encerrado de uma vez por todas. Não podemos aceitar que os sobradenses não tenham qualidade de vida por causa de um aterro que envergonha não só o município, mas um país inteiro que se diz ser evoluído. Tudo faremos, e não desistiremos, para que o aterro seja encerrado de forma responsável, exigindo em paralelo a mitigação dos danos já causados nos recursos naturais de Sobrado.

    Na defesa dos animais, os valonguenses são um exemplo de grande coragem e valentia a título de voluntariado, ao resgatarem dezenas, para não dizer centenas de animais, principalmente canídeos e felinos de mãos criminosas, e movem todos os esforços para que vivam com toda a dignidade. São exemplos como estes que não podem ser ignorados pelo Executivo que tem governado Valongo nos últimos anos. São exemplos como estes que demonstram a importância do PAN estar representado em Valongo: a Câmara Municipal fecha os olhos a esta triste realidade de dezenas de animais abandonados a passar fome e em mau estado de saúde, um pouco por todas as freguesias do concelho.

    O centro de recolha oficial de animais em Valongo tem de ser ampliado e requalificado. Pretendemos, também, a criação de um parque canino para salvaguardar o bem-estar animal. Esta realidade não pode ser mais ignorada. Os anteriores executivos e o seu veterinário nunca pretenderam fazer o seu trabalho de proteção animal. Neste sentido, o PAN lutará para que Valongo tenha um veterinário mais dedicado e a tempo inteiro, que cumpra com as suas responsabilidades e ajude a resolver a problemática das matilhas em Valongo.

    Este executivo tem deixado os nossos seniores abandonados à solidão das suas casas, à solidão das suas localidades empedradas e sem lugar onde possam sentir que fazem parte desta sociedade. Observamos com frequência esta realidade na cidade de Ermesinde. Os espaços públicos devem ser mais arborizados, em vez de possuírem só pedra e betão, para que os seniores possam conviver em locais harmoniosos e desfrutar da sombra natural das árvores. Estas pessoas são a personificação da cultura valonguense, são peça importante no funcionamento deste concelho, são o nosso património humano. O PAN propõe-se para que esses espaços sejam criados e adaptados às suas necessidades.

    Desejamos acabar com o genocídio das podas radicais, pois são as árvores ornamentais que albergam ninhos de pássaros em vias de extinção, tais como o chapim, minúsculo pássaro que somente se alimenta de piolhos e outros insetos provenientes da agricultura, evitando assim o uso desnecessário de produtos fitofarmacêuticos. São as árvores ornamentais que nos dão sombra em dias de calor, retêm a humidade nos solos e produzem oxigénio.

    Pretendemos uma Câmara Municipal mais próxima dos seus cidadãos e cidadãs, para servir os e as valonguenses e não para ser servida por estes. Os recursos da Câmara Municipal são de todos os munícipes, que tanto esforço fazem para pagar faturas com valores exorbitantes como os da água, que englobam serviços de saneamento e recolha de resíduos sólidos de péssima qualidade. Temos de seguir os melhores exemplos na gestão dos resíduos e alargar a todo o concelho a recolha porta-a-porta dos vários tipos de resíduos. A fatura da água tem de fazer refletir o esforço da reciclagem por parte de cada munícipe. A empresa gestora da rede de distribuição de água e saneamento tem de colocar as necessidades e expetativas dos munícipes em primeiro lugar. O saneamento é um serviço que não pode excluir nenhum habitante de Valongo.

    Queremos mais mobilidade para o concelho: os centros de saúde de Campo e Valongo, assim como o hospital de Valongo, ficam a cerca de um quilómetro de distância dos transportes públicos, o que torna difícil o acesso para os mais frágeis, os idosos e as pessoas com mobilidade reduzida. O acesso aos cuidados de saúde não pode ser limitado por falhas no planeamento da mobilidade no concelho. Queremos um transporte exclusivo e circular que passe pelos centros de saúde e hospitais do concelho, transporte esse gratuito para pensionistas e pessoas com rendimentos reduzidos. Propomos eliminar as barreiras arquitetónicas que persistem, tal como vemos em Ermesinde, que dificultam a inclusão, inviabilizam o acesso aos transportes públicos e uma cidadania ativa e garantir a existência de uma estratégia de acessibilidades, transversal às diversas áreas da governação concelhia, que promova a acessibilidade aos transportes.

    A total despoluição dos rios Ferreira e Leça, assim como dos seus afluentes, são também uma prioridade. Os recursos hídricos são de uma grande importância para a conservação da biodiversidade e dos ecossistemas. A manutenção da biodiversidade nos nossos rios é um trabalho constante e não esporádico.

    A Câmara Municipal tem de assumir as suas responsabilidades na manutenção dos espaços que são de todos os munícipes e tem de reforçar a monitorização e fiscalização de descargas ilegais de efluentes que poluem os nossos rios.

    Queremos mais hortas urbanas e gratuitas, para que os nossos Munícipes possam produzir os seus hortícolas e assim reduzir os gastos nos orçamentos familiares.Temos pessoas em Valongo que sabem trabalhar a terra.

    foto
    A sua interligação e o apoio do Município a estes agricultores locais facilitarão o acesso de todos os valonguenses a culturas mais biológicas e de melhor qualidade nutricional. Aliar o consumo de produtos agrícolas produzidos em Valongo com a criação de espaços para a realização de atividades físicas, irá possibilitar que a saúde dos habitantes do concelho seja melhorada.

    A garantia de habitação para as pessoas mais vulneráveis é uma prioridade do PAN. O bairro Mirante de Sonhos, em Ermesinde, tem 44 habitações que nunca foram utilizadas, estão devolutas há mais de 12 anos e o PAN quer uma intervenção urgente nestas habitações. Rever os critérios de atribuição de habitação municipal de forma a garantir o acesso à habitação a todas as pessoas, estudando a alteração dos atuais critérios, será necessário para que não exista discriminação de qualquer género. O alojamento precário tem de terminar em Valongo.

    Os Valonguenses sabem bem quem governou Valongo nos últimos anos e, da esquerda à direita, todos levam com a culpa no cartório no que diz respeito à incompetência da gestão das contas do Concelho e à sua incapacidade em gerar melhores condições de vida para todos os valonguenses.

    É a nível local que serão dados passos importantes para um futuro sustentável. O PAN pretende fazer com que esses passos sejam dados de forma mais urgente, para benefício de todos e todas as valonguenses.

    Com uma equipa multidisciplinar e focada em lutar pela nossa terra, o PAN apresenta-se em Valongo para ficar.

    Valongo tem todo o potencial humano e um riquíssimo património cultural e natural, que não pode estar subordinado a interesses económicos. Os ideais do PAN já estão muito presentes nos valonguenses. Colocar o PAN nos órgãos autárquicos de Valongo é um passo rumo ao progresso.

    Acompanhe a nossa campanha em https://www.facebook.com/panvalongo/

    Dê-nos voz!

    Vitor Parati

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.