Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-04-2022
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 29-02-2020

    SECÇÃO: Crónicas


    foto
    PASSEIOS DE BICICLETA À DESCOBERTA DO PORTUGAL REAL...

    «Está aqui um homem com muita pressa!»

    A noite foi longa no parque de campismo de Sagres. Um parque com área enorme e deu-me para acampar junto de um bar de surfistas. Música, batucada, fogueira e jogos de destreza até altas horas da madrugada. Fui desencaminhado. Ainda alinhei nas bebidas, mas quanto a mortais e outros tais nem pensar. Os ossos já não estão maleáveis. É melhor nem arriscar. O dia chegou num ápice.

    Desfeita a tenda, parti em direção a Vila do Bispo. Admirado por não sentir o vento norte. A meio do percurso, numa alteração de mudança no carreto, fica a corrente bloqueada. Consigo que continue a funcionar, mas perco a pedaleira mais dentada. Chegado a Vila do Bispo, procuro saber se existe um mecânico. A resposta é negativa. Precisava de uma chave de estrela e de um alicate. Nem isso consigo. Decido continuar. Por sorte a estrada passa junto de um pavilhão de apoio à Junta de Freguesia. Indicam-me que só o mecânico me pode ajudar, estando este a arranjar um camião. Aguardo a oportunidade para lhe solicitar o favor. Ouve-me. Diz para aguardar e volta para o que estava a fazer. Eu para ali fico a aguardar. Continuo a aguardar. Quem precisa… continuo a aguardar. Por fim cede-me uma chave de estrela. Pela pouca noção de mecânica que tenho, lá consegui algum sucesso. Agradeci. Nem som ouvi.

    Foto MANUEL FERNANDES
    Foto MANUEL FERNANDES
    Sigo pela N268 rumo a Carrapateira. Até lá chegar visito a belíssima praia da Cordoama e do Amado. Chego a Carrapateira ao meio a manhã e decidi comer alguma coisa.Entrei no bar do Clube Cultural. Sem ninguém para atender. Depois de longos minutos a aguardar, inquiri a uma funcionária se não havia ninguém a atender. Qual não foi o meu espanto quando a ouvi dizer: Hô Sónia, está aqui um homem com muita pressa, se calhar é melhor ir a outro lado, não achas? Depois de a esclarecer como deve proceder quem está a trabalhar num estabelecimento, saí. Acalmei num bar da praia da Bordeira. Passo pela praia da Arrifana antes de chegar a Aljezur.A Vila é ao longo da estrada N120. Junto à praia da Arrifana temos a Urbanização do Vale da Telha, com diversas unidades hoteleiras, assim como junto da foz da ribeira de Aljezur.Na serra que ladeia a estrada nacional é visível o Castelo Mouro, que no século X era a fortificação de defesa de um porto fluvial da ribeira de Aljezur.Almoço num restaurante simpático de seu nome “Vista para o Rio”. Sentei-me na esplanada para admirar o rio. O olhar percorreu aquele vale, mas o rio é que não o via. Lá me indicaram que passava junto da esplanada. Levanto-me. O que vejo é mais um fio de água meio poluída por entre um canavial. Os cursos de água estão a secar, ou têm um caudal diminuto.

    (...)

    Leia este artigo na íntegra na edição impressa.

    Nota: Agora pode tornar-se assinante da edição digital por 6 euros por ano. Após fazer o pagamento (de acordo com as mesmas modalidades existentes na assinatura do jornal impresso) deverá enviar-nos o nome, o NIF e o seu endereço eletrónico para lhe serem enviadas, por e-mail, as 12 edições em PDF.

    Por: Manuel Fernandes

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.