Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-09-2019
Jornal Online

SECÇÃO: Destaque


Magic Valongo com quase 30 anos é evento único e relevante no plano nacional e internacional

Foto ALBERTO BLANQUET
Foto ALBERTO BLANQUET
A 28.ª edição do Magic Valongo Festival Internacional de Ilusionismo fez jus ao chavão de que “em setembro, Valongo tem sempre mais magia”. Foram, na verdade, três dias de grandes momentos de ilusionismo protagonizado por 150 artistas oriundos de vários pontos do globo. E mais uma vez, Ermesinde teve o privilégio de ser o palco daquele que é um dos mais antigos e prestigiados festivais de ilusionismo de Portugal, o qual este ano aconteceu nos dias 20, 21 e 22 de setembro com o apoio da Câmara Municipal de Valongo (CMV).

Como já foi referido centena e meia de mágicos deram vida ao evento. A título de exemplo, Espanha, México, Rússia (que pela primeira vez teve um ilusionista no Magic Valongo), Suécia, Alemanha, Venezuela e Portugal, claro está, foram as nações mais representadas. Desta constelação de estrelas das artes mágicas há alguns nomes a reter, não só por aquilo que mostraram em Ermesinde, mas sobretudo porque são autênticos “pesos pesados” do ilusionismo internacional. É o caso do espanhol Miguel Muñoz, quiçá a estrela maior deste Magic Valongo 2019, ele que apresenta como “cartão de visita” o título de campeão do Mundo da FISM (Federação Internacional de Sociedades Mágicas) e a participação como ator no filme “Dumbo”, da Disney.

Mago Migue, que além de ostentar no seu currículo vários prémios internacionais recebeu da parte do Município de Granada (Espanha) um galardão de Embaixador Cultural de Granada; Solange Kardinaly, a portuguesa que é a única mulher que até hoje conquistou o 1.º prémio de Magia de Palco no mundialmente afamado festival internacional de ilusionismo Almussafes Màgic; e ainda o espanhol David Diaz, foram outros três nomes que estiveram em evidência nas duas galas internacionais deste Magic Valongo 2019. Galas que tiveram lotação completamente esgotada, e onde os sortudos que conseguiram bilhete puderam deliciar-se com números de magia geral, de manipulação de quick chang, de cartomagia, ou de magia de mesa.

À semelhança de edições anteriores, o Magic Valongo de 2019 não se confinou ao interior do Fórum Cultural de Ermesinde, já que a Praça da Estação recebeu no dia de abertura do festival uma sessão de magia de rua, em que alguns transeuntes, sem contar, foram apanhados de surpresa pelos artistas presentes.

Workshops, três conferências (Mago Migue, Miguel Muñoz e Guto foram os três conferencistas) e a feira mágica foram outros atrativos desta 28.ª edição do Magic Valongo. Em suma, «tudo correu de forma positiva, dentro do que estava previsto», disse-nos Fernando Castro, membro da organização, no cair do pano do festival, que destacou ainda a participação de muitos jovens ilusionistas nesta edição, sinal de que o mundo da magia, e o próprio Magic Valongo, têm um futuro risonho e promissor à sua frente. Aliás, é apanágio do Magic Valongo conceder oportunidades aos jovens talentos do ilusionismo, e este ano isso não fugiu à regra.

Sessão de encerramento onde foram entregues os prémios referentes aos concursos de Close-Up e de Palco, concursos estes onde participaram um total de 15 ilusionistas. Em ambos os concursos o júri decidiu não atribuir o 1.º prémio. Deserto, isto é, sem prémio atribuído, ficou também o 2.º lugar do concurso de Palco, ao passo que o 2.º prémio do concurso de Close-Up foi atribuído a Vicente Luna. Ainda em Close-Up, Mago Jim e Alex Louzao foram agraciados com o 3.º prémio, ao passo que o 3.º prémio do concurso de Palco foi também dividido, neste caso a Luis Noval e Pepe Molina.

Uma nota ainda para a presença de três associações mágicas internacionais, nomeadamente, a Associação Mágica do Rio de Janeiro (Brasil), o Clube Mágico de Guadalajara (México) e a Associação Cultural de Ilusionistas de Cuenca (Espanha), presença que atesta o prestígio do Magic Valongo além fronteiras, um festival que olha já para as comemorações do seu 30.º aniversário, conforme frisou nas despedidas o presidente da Associação Magic Valongo, António Cardinal - ele que também atuou na primeira gala internacional, oferecendo à plateia um número de cariz mais romântico, por assim dizer.

O dirigente recordou as palavras do presidente da CMV, José Manuel Ribeiro, na abertura do festival, que então salientou que a 30.ª edição do Magic Valongo – a ser realizada em 2021 – tem de ser algo fenomenal, inesquecível, atendendo à importância que este evento tem não só para o concelho como também para o país. Antes de agradecer a todos os participantes e a todos aqueles que contribuíram para o sucesso de mais uma edição do festival, vaticinou que 2020 e 2021 serão anos importantes para o ilusionismo nacional e em particular para o Magic Valongo que se aproxima assim dos seus 30 anos de vida e que se quer continuar a afirmar como um evento único e relevante.

Foto ALBERTO BLANQUET
Foto ALBERTO BLANQUET
.

Foto ALBERTO BLANQUET
Foto ALBERTO BLANQUET
.

Foto ALBERTO BLANQUET
Foto ALBERTO BLANQUET
.

Foto ALBERTO BLANQUET
Foto ALBERTO BLANQUET
.

Foto ALBERTO BLANQUET
Foto ALBERTO BLANQUET
.

foto
.

foto
.

foto
.

Por: MB

 

 

este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
© 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.