Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 28-02-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 08-02-2013

    SECÇÃO: Destaque


    Foto URSULA ZANGGER
    Foto URSULA ZANGGER

    Junta de Freguesia de Ermesinde: obras do mercado em análise

    Teve lugar na quarta-feira, dia 06 de fevereiro, a reunião pública mensal da Junta de Freguesia de Ermesinde. Em destaque estiveram as obras no mercado, bem como a próxima realização do Enterro do João.

    O presidente da Junta de Freguesia de Ermesinde (JFE), Luís Ramalho, deu início à sessão com um ponto de informações sobre o programa do Enterro do João, que este ano engloba uma exposição de fotografia a inaugurar hoje, dia 8 de fevereiro, no Fórum Cultural de Ermesinde. A festa popular, que contará, este ano, com a participação no elenco da representação popular de elementos da Associação Académica de Ermesinde (AACE) terá a abrilhantá-la também, logo no domingo, altura da concentração na estação ferroviária de Ermesinde, o Coro Sénior da ADICE, estando prevista para depois, às 15h30, a chegada do João, vindo do Brasil.

    Com início marcado para as 16h00, está o cortejo até ao largo da feira velha de Ermesinde, através das ruas Vasco da Gama, António Castro Meireles, São Lourenço e Miguel Bombarda.

    No local da chegada o cortejo terá a esperá-lo o Rancho Infantil da Gandra.

    No mesmo local, às 19h30 de segunda-feira, realiza-se o velório, com a participação da “víúva” Maria Rambóia. Finalmente, na terça-feira, cerca das 21h00, como habitualmente nas margens do Leça, decorre o ato final do Enterro do João, com final marcado para cerca das 23h00.

    Abordando outro assunto, Luís Ramalho deu conta das obras no mercado.

    Passou-se depois à aprovação das atas das reuniões anteriores, sem nada de especial a assinalar.

    De seguida deu-se início à Ordem de Trabalhos, tendo sido o primeiro ponto em agenda a romaria de Santa Rita, relativamente à qual a JFE vai fazer antecipar o pagamento dos feirantes.

    A romaria decorre este ano de 7 a 10 de junho (feriado). A JFE atualizou o preço dos stands para oito euros o metro quadrado, mantendo-se o valor das cauções, mas como habitualmente não cobrará um dos quatro dias da festa.

    Outra das deliberações importantes desta sessão foi a referente à atribuição de um subsídio de 250 euros por carro alegórico às associações, desde que cada carro tenha um mínimo de 20 figurantes.

    Estão previstos no cortejo seis carros alegóricos, sendo três da responsabilidade da AACE, dois da União Desportiva Cultural e Recreativa da Bela (UDCRB) e um da União Desportiva da Formiga.

    O Partido Socialista votou contra esta deliberação, invocando falta de comunicação prévia do presidente da Junta e a situação de crise económica vivida, sendo aquela aprovada por quatro votos contra três.

    Luís Ramalho apresentou uma declaração de voto na qual defendia a continuação dos apoios às associações, aliás previstos, e a importância de fazer renascer o Enterro do João.

    Foi também aprovado um protocolo com os Bombeiros Voluntários de Ermesinde e uma deliberação sobre pagamentos aos CTT.

    Ponto de intervenções dos membros da Junta

    Manuel Costa, do Partido Socialista, foi o primeiro a usar da palavra, questionando Luís Ramalho sobre as alterações nas obras do mercado, relativamente à altura em que, com o presidente da autarquia, tinha visitado aquele equipamento, sem que posteriormente este lhe tenha dado conta das alterações. Questionou também o envolvimento da FJE nas obras, já que o mercado era municipal.

    Apontou também o caso de algumas árvores que deveriam ter sido mas não foram podadas.

    Luís Ramalho tentou esclarecer pormenorizadamente as razões das alterações entretanto introduzidas no mercado, esclarecendo além do mais que, sendo o mercado municipal, a gestão era da Junta, como aliás o cemitério, sendo as eventuais receitas para a Junta. Ao reparo de Manuel Costa de que o mercado não gerava receitas, Luís Ramalho desafiou o autarca do PS a apresentar propostas no sentido de o tornar capaz de gerar proventos. Além do mais as obras estariam previstas em Orçamento e mercado e feira, seriam, a seu ver, indissociáveis. O processo das obras e alterações no mercado, além do mais, foi participado e discutido com os mercadores.

    Manuel Costa sugeriu ainda uma última intervenção – a limpeza do telhado.

    António Mota (também PS) congratulou-se com os problemas de iluminação resolvidos na zona da Bela. Finalmente, Esmeralda Carvalho voltou a chamar a atenção para o estacionamento abusivo na Rua 5 de Outubro, situação esta que é recorrente.

    Por: LC

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.