Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-07-2019
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 22-05-2012

    SECÇÃO: Desporto


    FUTEBOL

    Ermesinde SC: subida (de divisão) perdeu-se na lotaria das grandes penalidades

    Depois de ter “morrido na praia” na Série 1 do Campeonato Distrital da 1ª Divisão, isto no que concerne à subida de divisão, a principal equipa do Ermesinde Sport Clube teve no passado sábado (dia 19 de maio) digamos que uma segunda e derradeira oportunidade para alcançar a tão ambicionada promoção. Na qualidade de 3º classificado da Série 1 do segundo escalão distrital a turma dos Sonhos defrontou no Estádio da Senhora da Hora o 3º colocado da Série 2 do mesmo escalão, o Perosinho, no sentido de apurar a última equipa que juntamente com Perafita, S. Martinho, Valonguense e Sobrado, irá fazer a viagem até à Divisão de Honra da próxima temporada. Era pois uma autêntica final, na qual não faltaram os condimentos habituais em jogos deste género, isto é, emoção, garra, entrega, e claro, no final, lágrimas… de alegria para uns e de tristeza para outros. E para o Ermesinde as lágrimas foram de tristeza, já que depois de um empate a dois golos no final dos 90 minutos a partida foi decidida nas grande penalidades, uma autêntica lotaria como se diz na gíria futebolística, que no final acabou por premiar o Perosinho, que assim irá jogar no patamar mais alto da Associação de Futebol do Porto da próxima época. Quanto ao Ermesinde, “morreu uma vez mais na praia”!

    Em relação ao filme do encontro há que dizer que a turma dos Sonhos esteve num bom plano ao longo de todo o jogo jogado, por assim dizer. O Perosinho abriu o marcador logo no início do duelo, um tento que seria anulado quatro minutos depois, altura em que Joca repôs a igualdade para os homens da nossa freguesia. Ainda antes da saída para o descanso os gaienses voltaram a passar para a frente do marcador, um resultado que a julgar pelo andamento que o jogo vinha tendo, se afigurava como injusto, já que o conjunto às ordens de Vítor Leal fez por merecer um pouco mais.

    Com muita garra, na segunda parte, o Ermesinde voltou a encostar o Perosinho às cordas e, por isso, o merecido golo do empate surgiu com naturalidade e sem qualquer contestação, sendo o autor da justiça Marco. A partir do empate, o Perosinho limitou-se a enviar bolas para as nuvens, e respirava fundo sempre que terminava algum ataque do Ermesinde. Ao fim dos 90 minutos, a partida foi para as grandes penalidades. Foi mais feliz a equipa de Vila Nova de Gaia (venceu por 6-5), que chegou aos golos (no tempo regulamentar) apenas usufruindo de dois lances de infelicidade da equipa verde e branca. Muitas lágrimas num jogo onde quem deu o seu contributo à equipa não podia fazer mais e melhor. Neste encontro o Ermesinde alinhou com: Luís; César, Cláudio, Ivo (Flávio, aos 40m), Fábio Ribeiro, Marco, Joca, Medeiros, Sérgio, Armando (Paulo, aos 82m) e Nando (Leça, aos 90+3m).

    Por: Márcio Castro (*)

    (*) com MB

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.