Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-11-2023
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 22-03-2012

    SECÇÃO: Destaque


    SECRETÁRIO DE ESTADO INAUGUROU TAMBÉM A LOJA SOCIAL DE ERMESINDE

    Visita de Marco António Costa a Valongo terminou com entrega de diplomas de formação profissional no Centro Social de Ermesinde

    Fotos MANUEL VALDREZ
    Fotos MANUEL VALDREZ
    Marco António Costa, secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social, efetuou ao longo da tarde de hoje (22 de março) uma deambulação pelas cidades de Valongo e de Ermesinde, onde presidiu a inaugurações e apadrinhou a entrega de diplomas no âmbito da formação profissional inserida no programa das Novas Oportunidades.

    A visita teve início na sede do concelho, onde Marco António Costa presidiu à inauguração da 2ª edição da Feira “Quem é Quem”, uma iniciativa do pelouro social da Câmara Municipal de Valongo (CMV) e da ADICE (Associação para o Desenvolvimento Integrado da Cidade de Ermesinde), cujo objetivo passa por promover um encontro de partilha de informação, conhecimentos produzidos e atividades desenvolvidas pelas entidades parceiras – foram várias as instituições valonguenses que se associaram ao evento, entre as quais é de destacar o Centro Social de Ermesinde – no Conselho Local de Ação Social de Valongo.

    Após a saída da feira, que decorre nos dias de hoje e de amanhã entre o Auditório António Macedo – onde terão lugar diversas conferências subordinadas a variados temas alusivos à temática da ação social – e o Pavilhão Gimnodesportivo de Valongo – local que acolhe a feira propriamente dita, bem como uma exposição que conta com a presença de todos os intervenientes do certame – o secretário de Estado fez uma curta viagem até Ermesinde, na companhia do vicepresidente da autarquia, João Paulo Baltazar, e da vereadora do pelouro da Ação Social, Maria Trindade Vale. Ali chegado presidiu à inauguração da Loja Social de Ermesinde, um projeto concebido pela Junta de Freguesia de Ermesinde (JFE), cujas instalações se situam na antiga sede desta entidade, mais concretamente na Travessa Dr. Luís Ramos. Trata-se de um projeto inovador, na verdade, ligeiramente diferente dos demais projetos edificados em torno desta temática, mas com a mesma raiz de existência: auxiliar os mais desfavorecidos.

    A fazer as honras da casa estava o presidente da JFE, Luís Ramalho, para quem esta loja é mais um sonho concretizado por si e por toda a sua equipa. Agradecendo, antes do mais, em nome da cidade, a presença de Marco António Costa, a quem se referiu como um filho da terra que, enquanto autarca da CMV, «muito fez por Ermesinde» – prolongando em seguida os agradecimentos às restantes individualidades presentes, entre as quais figurava o presidente da Assembleia de Freguesia de Ermesinde, Raul Santos, diversos deputados deste mesmo órgão, e alguns membros do executivo da Junta, a quem Ramalho endereçou um agradecimento especial –, o presidente da JFE explicou um pouco daquilo o que irá ser esta loja social. Nas suas palavras esta será «uma loja para os que querem ser solidários e para aqueles que precisam dessa solidariedade». Por outras palavras, os objetos – os mais diversos – que deixam de ter utilidade para algumas pessoas, poderão ser adquiridos por esta loja social, a preços simbólicos, claro está, e posteriormente vendidos a um custo bem mais baixo que no comércio comum, por assim dizer, a pessoas mais carenciadas.

    foto
    Depois de Maria Trindade Vale usar da palavra para sublinhar que também para ela é um sonho que é cumprido sempre que, em Valongo, surge um espaço como este, direcionado a pessoas que não têm poder de compra, Marco António Costa começaria por demonstrar, em nome do Governo, a satisfação pela edificação deste projeto.

    Sublinharia em seguida que são exemplos como este que combatem a doença da indiferença, uma doença que necessita de continuar a ser combatida por toda uma sociedade atenta, inconformada e empenhada nas causas sociais. Faria ainda um elogio aos autarcas que ali estavam presentes e que encabeçam este tipo de iniciativas, nas suas palavras autarcas modernos e empenhados em fazer o bem. Um elogio especial seria endereçado a Maria Trindade Vale e a João Paulo Baltazar, sendo que, para Marco António Costa, este último tem feito, de uma forma discreta, um trabalho notável e muito laborioso na Câmara de Valongo, percorrendo quilómetros – numa referência às idas constantes do autarca a Lisboa para dialogar com o Poder Central – em busca de soluções para os problemas do seu concelho.

    FECHO COM “CHAVE DE OURO”

    NO CENTRO SOCIAL DE ERMESINDE

    foto
    A visita do secretário de Estado ao concelho terminou no Centro Social de Ermesinde (CSE), onde apadrinhou uma cerimónia de entrega de diplomas no âmbito da formação profissional para adultos – programas das Novas Oportunidades e Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC) – tutelado pelo Centro de Formação da prestigiada Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS). Tendo como palco o salão nobre da instituição, que se apresentava repleto de funcionários desta, de amigos e familiares dos alunos que ali iriam receber os seus certificados, Marco António Costa foi recebido por toda a Direção da IPSS, encabeçada pelo seu presidente Henrique Queirós Rodrigues, que no seu discurso começou por sublinhar a honra que era para a instituição receber a visita do secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social. Uma presença que, para o líder do CSE, se podia entender como um contrato de confiança existente entre o Estado e as IPSS's, relembrando precisamente a ideia do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho no sentido de haver uma ligação estreita entre estes dois parceiros.

    Num sublinhado à importância do trabalho das IPSS's, recordaria as palavras da vereadora do pelouro da Ação Social da CMV, Maria Trindade Vale, proferidas particularmente minutos antes, de que estas instituições realizam um trabalho discreto mas deveras importante e fundamental direcionado para as populações, no fundo a essência do próprio CSE, o caminho que tem sido trilhado por esta instituição. E mais tarde recordaria alguns aspetos desse caminho, do trabalho realizado com os idosos, com as crianças, e claro está com a formação, a razão de ser da cerimónia que ali decorria. Henrique Queirós Rodrigues recuou no tempo e lembrou o momento em que a IPSS por si presidida decidiu abraçar o setor da Formação, frisando então que essa foi uma decisão acertada, pois a avaliação deste trabalho é hoje positiva. Também ao nível da formação ressalvaria a importância do papel das IPSS's, cujo trabalho de proximidade converge com estes programas de formação profissional, numa ideia de que a ação das instituições nestes terrenos tem sido fundamental para o sucesso desses mesmos programas. Fez um rasgado elogio à equipa de profissionais do Centro de Formação do CSE, recordando que estes – tal como tantos outros que se encontram ao serviço de instituições como a IPSS ermesindense – não têm as mesmas condições – remuneratórias – que os profissionais do setor público, concluindo posteriormente a sua intervenção com o apelo para que o Governo continue a apoiar as IPSS's a desenvolverem o seu trabalho ao nível da formação.

    Marco António Costa agradeceria o convite para estar presente numa casa que «bem conhece», endereçando de seguida os parabéns a todos os que ali iriam ver certificados os seus processos de formação, um gesto a que se seguiu uma mensagem de esperança numa altura em que o País vive enormes dificuldades no que concerne à empregabilidade. E sobre este tema o secretário de Estado afirmou, em seguida, que o Governo não desvaloriza os números – cada vez mais alarmantes – do fenómeno do desemprego. «Relativamente ao que era tradição, este Governo mudou de atitude: não tenta escamotear os números [do desemprego], nem procura de alguma forma desvalorizar esse fenómeno», sublinhou. Preocupado com os números do desemprego em Portugal, Marco António Costa referiu ainda que o Governo está empenhado em lutar contra este flagelo, acrescentando que já foram tomadas iniciativas que visam incentivar o emprego. Neste aspeto sublinharia o programa de incentivo que envolve «não só o setor empresarial como a área da economia social», a legislação para casais desempregados, «que terão uma majoração no seu subsídio de desemprego» e o programa de emprego para jovens, que foi entregue à Comissão Europeia. «Todos nós temos a perceção de que só com a retoma do crescimento económico é que será gerado emprego, mas o Governo não tem estado parado», disse.

    Aproveitando a presença no CSE, o secretário de Estado enalteceu o trabalho notável e a vitalidade das IPSS's e outras coletividades locais, referindo-se a estas como parceiros extraordinários no trabalho social que tem sido levado a cabo na sociedade portuguesa.

    foto
    Teceu posteriormente rasgados elogios ao CSE, agradecendo em nome do Governo o trabalho que esta instituição tem realizado – nas suas várias valências –, esperando que esse mesmo trabalho continue a ser executado da forma discreta mas eficente como tem sido feito até aqui. E a Henrique Queirós Rodrigues um elogio muito especial, uma «figura há muito conhecida» de Marco António Costa, com quem diz ter tido tido – no passado – muitas convergências e divergências, e que nas suas palavras «é uma referência do concelho de Valongo, e não só, no que diz respeito às questões de ordem social. É uma pessoa que muito respeito e a quem recorro muitas vezes para pedir conselhos sobre a área social. É uma pessoa sempre disponível para me ajudar, tal como tem sido o padre Lino Maia, o presidente da CNIS, e como tal faço aqui hoje publicamente um agradecimento muito grande ao Henrique Queirós Rodrigues», rematou o secretário de Estado.

    Seguidamente procedeu-se então à entrega de diplomas aos formandos que concluíram os seus processos de formação de adultos – no âmbito dos RVCC e dos cursos de Educação e Formação de Adultos –, tendo um a um (no total foram mais de uma centena, entre os quais figuravam diversos funcionários do CSE que realizaram ações de formação internas) sido chamados pelos profissionais do setor da Formação do CSE (toda a equipa do Centro de Formação da IPSS marcou presença nesta cerimónia) para receber das mãos dos ilustres convidados – João Paulo Baltazar, Luís Ramalho e o presidente da mesa da Assembleia Geral do CSE, Ferreira dos Santos, também estiveram presentes na mesa de honra que conduziu a cerimónia – o respetivo cerificado. A encerrar esta festa serviu-se um duplo porto de honra, primeiro destinado aos protagonistas desta tarde/noite, isto é, os formandos, e um outro oferecido especialmente pelo CSE ao secretário de Estado e restante comitiva que o acompanhou nesta visita.

    Por: Miguel Barros

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.