Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-03-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-03-2010

    SECÇÃO: Destaque


    I FEIRA DE EMPREGO E FORMAÇÃO DO CONCELHO DE VALONGO

    Emprego e formação em evidência no Fórum Cultural de Ermesinde

    «Estabelecer a ponte entre as necessidades de emprego do concelho e encontrar novas janelas de oportunidades nos variados sectores económicos», foi desta forma que a autarquia valonguense justificou a realização da I Mostra de Emprego e Formação do Concelho de Valongo, ocorrida entre os passados 18 e 20 de Março. Tendo o Fórum Cultural de Ermesinde como palco o evento contou com a participação de cerca de 30 entidades que ali se apresentaram com inúmeras propostas de emprego e formação profissional destinadas a público de todas as idades. A afluência e o entusiasmo dos cidadãos pela Mostra foi enorme, ou não estivessemos nós a atravessar uma das maiores crises, senão mesmo a maior da nossa história, no que toca à empregabilidade.

    Fotos MANUEL VALDREZ
    Fotos MANUEL VALDREZ
    Coube ao presidente da Câmara Municipal de Valongo (CMV), Fernando Melo, a tarefa de inaugurar, ao final da manhã do dia 18, o certame. Acompanhado de inúmeras personalidades locais, entre outros e desde logo elementos da sua vereação (João Paulo Baltazar, Maria Trindade Vale e Arnaldo Soares), bem como dos presidentes da Junta de Freguesia de Ermesinde e da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ermesinde, respectivamente Luís Ramalho, e Artur Carneiro, o edil visitou, um por um, todos os stands dos participantes, endereçando a todos eles as boas vindas e votos de sucesso. Posteriormente trocaria algumas palavras com a comunicação social, começando por relembrar o esforço que a autarquia tem feito no sentido de atrair mais investimento para o concelho e consequentemente mais emprego. «É preciso ultrapassar as dificuldades», sublinhou, lembrando ainda que para além desta Mostra de Emprego, a CMV organiza de dois em dois anos a Expoval. «Esta feira serve para demonstrar o empenho da autarquia no desenvolvimento económico e no investimento», acrescentou.

    Apesar de dirigida a um público de todas as idades, foi notório nesta mostra uma forte afluência de público jovem, tendo mesmo o desenvolvimento logístico do certame ficado sob a alçada de muitos meninos e meninas oriundos de diversas escolas presentes. Aliás, este foi precisamente um dos pontos de relevo – quanto a nós – do evento, o facto de muitas entidades formadoras terem através dos seus formandos demonstrado ao vivo as suas “ofertas” profissionais. Em termos de estabelecimentos de ensino é de sublinhar a presença das escolas secundárias de Ermesinde e Valongo, da Escola D. António Ferreira Gomes, dos agrupamentos verticais de S. Lourenço, de Campo, de Alfena, e de Sobrado. Com propostas de formação técnico-profissional aliciantes para os visitantes – em particular para os mais jovens – encontravam-se igualmente algumas escolas de formação profissional, entre outras a Futurbrain, a Academia APAMM, a Profoc, o Cenfim, a Singesco, ou a Escola Profissional de Valongo.

    Aqueles que alimentam o sonho de poder seguir uma carreira militar também aqui puderam obter informações mais precisas de como abraçar a dita profissão, já que entre as entidades participantes estavam também a Força Aérea e o Exército.

    foto
    Apesar de os cursos técnico-profissionais serem, nos dias que correm, cada vez mais uma plataforma procurada pelos jovens, há que, no entanto, não ignorar aqueles que pretendam prosseguir os seus estudos no ensino superior. Neste contexto também não faltou “propaganda” universitária, tendo entidades como o Instituto Superior de Línguas e Administração, Escola Superior de Educação Paula Frassinetti, a Universidade Lusíada e o Instituto Superior de Administração e Gestão dado a conhecer as suas ofertas em termos de licenciaturas, pós-graduações ou mestrados.

    Como já referimos, nem só aos jovens foi destinada esta mostra. Não podemos esquecer que, na actualidade, cada vez mais adultos têm procurado melhorar e/ou actualizar as suas competências escolares nos chamados Centros Novas Oportunidades. Outros procuram nestes centros a oportunidade de obter uma certificação escolar de nível básico e/ou de concluir os estudos com o intuito não só de poderem mais facilmente ter acesso ao mercado de trabalho – cada vez mais exigente em termos de formação – como igualmente de poder ascender de categoria profissional. E neste ponto a oferta era também muita, expressa nas presenças de entidades como a ADICE, o Instituto de Emprego e Formação Profissional/Centro de Emprego de Valongo (que nesta mostra se desdobrava quer nas ofertas de formação para os mais jovens quer para os mais velhos, através dos cursos de educação e formação), ou o Centro de Formação do Centro Social de Ermesinde (CFCSE).

    A PALAVRA

    DOS TÉCNICOS

    No segundo dia do certame a nossa equipa de reportagem deslocou-se mesmo ao stand desta última entidade, tendo aí trocado umas breves palavras com os técnicos Sérgio Garcia e Marta Magalhães. Ambos elogiariam a criação deste evento, sublinhando que para o CFCSE estava a ser uma experiência enriquecedora, não só porque ali estavam a divulgar o seu trabalho, como também a conhecer o trabalho de outras entidades, e desta forma a permitir que existisse um intercâmbio de ideias e conhecimentos entre todos.

    Uma boa montra de ofertas de emprego e formação mas sobretudo uma óptima oportunidade para dinamizar o mercado de trabalho no nosso concelho, foi assim que este evento foi, em linhas gerais, caracterizado pela maior parte dos visitantes.

    Por: Miguel Barros

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.