Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-11-2022
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-01-2009

    SECÇÃO: Destaque


    Maria José Azevedo anuncia a candidatura como independente à presidência da Câmara de Valongo

    A candidata do PS à presidência da Câmara Municipal de Valongo nas últimas autárquicas e também actual líder socialista na vereação valonguense, Maria José Azevedo, anunciou sexta-feira, dia 23 de Janeiro, em conferência de imprensa que decorreu na Biblioteca Municipal de Valongo, que vai apresentar no concelho uma candidatura independente por si liderada, às próximas eleições autárquicas de Outubro.

    Maria José Azevedo justificou como motivos desta sua decisão o facto de continuar a não ter a resposta pretendida do presidente da Federação Distrital Socialista, Renato Sampaio, para que clarificasse se a apoiava ou não numa nova candidatura à Câmara, tornando-se impossível adiar mais a decisão, para a qual tinha estabelecido um prazo. A autarca lembrou que se manteve sempre disponível e tem cumprido e espera cumprir até ao fim o mandato para que foi eleita.

    Fotos URSULA ZANGGER
    Fotos URSULA ZANGGER
    Considerando que não há uma vontade coincidente entre ela e o aparelho do Partido Socialista e que conta no seu grupo com um conjunto de pessoas capazes, Maria José Azevedo anunciou que será candidata à presidência da Câmara Municipal «se os valonguenses quiserem».

    Precisando ter sido obrigada a esta decisão não pelo PS, mas pelo seu aparelho [concelhio e distrital], a autarca lembrou: «Foi este aparelho que me moveu um processo em 2006, processo esse que foi naturalmente arquivado, e que me propôs desistir da candidatura [à Câmara] em troca de um lugar [elegível] de deputada».

    Maria José Azevedo considerou também que «a Democracia não se esgota nos partidos» e denunciou uma prática de «manobras obscuras e intrigas constantes de uns poucos que acedem ao poder para prosseguir interesses pessoais».

    «Oriento-me por valores. Aqueles que me queriam comprar enganaram-se».

    A autarca comprovou ainda a informação de um jornalista de que lhe teria sido proposta pela direcção da Federação a aceitação do nome de Afonso Lobão como segundo nome de uma lista à Câmara liderada por ela, o que não terá aceite, por não ter confiança política e técnica naquele militante socialista (uma destacada figura do meio socialista local, apoiado pelo Secretariado da Concelhia do Partido Socialista de Valongo).

    Aliás, uma das razões para tornar agora pública a sua candidatura, declarou Maria José Azevedo, foi ter--se esgotado o prazo dado por ela a Renato Sampaio, de quem considera ter sido alvo de «um conjunto de desconsiderações», sendo intolerável que continuasse à espera da resposta que nunca mais vinha enquanto no terreno a Concelhia de Valongo do PS ia fazendo a propaganda da candidatura do Afonso Lobão, mesmo sem qualquer decisão oficial já tomada nesse sentido.

    Sobre Renato Sampaio, Maria José Azevedo acusou ainda o presidente da Federação Socialista do Porto de não ter tido «autoridade nem capacidade» para resolver aquela situação.

    foto
    Entre outras propostas que lhe tinham sido feitas, embora recusando-se a especificá-la, a líder da actual vereação socialista comprovou também que lhe propuseram ser a candidata à presidência de outra Câmara, o que igualmente recusou.

    Respondendo ainda a algumas questões relacionadas com o processo formal de candidatura, taxativamente, Maria José Azevedo rematou: «Quero ser candidata e sê-lo-ei».

    Respondendo às perguntas dos jornalistas sobre se esta decisão significava a sua saída do PS, a autarca responderia que por ela não, era socialista do coração, mesmo de antes da sua adesão como militante ao PS.

    Sendo assim seria com «espírito de missão» que iria avançar, respondendo ao desafio por ela já antes assumido, quando fez que a diferença entre PS e PSD baixasse dos 24% para 4% nas últimas eleições autárquicas.

    Respondendo à questão de ser ou não para ela importante vir a bater a aguardada candidatura de Afonso Lobão, Maria José Azevedo responderia que o seu interesse era, isso sim, bater a candidatura de Fernando Melo, este é que era o seu adversário.

    ALGUNS APOIOS

    JÁ VISÍVEIS

    foto
    Na conferência de imprensa promovida por Maria José Azevedo marcaram presença algumas – não muitas, mas bastante marcantes – figuras da constelação socialista do concelho, como os vereadores António Gomes e Jorge Videira e a ex-vereadora Odete Silva, o actual presidente da Junta de Freguesia de Campo, José Carvalho Rocha, o ex-líder entre os eleitos socialistas de Alfena antes da recente dissolução desta, Joaquim Talaia, ou o activo deputado municipal valonguense Luís Azevedo.

    Outro dos presentes era, curiosamente, o social-democrata e ex-presidente da Junta de Freguesia de Alfena Guilherme Roque.

    José Carvalho Rocha, que pôs de lado qualquer possibilidade de se manter à frente da Junta de Freguesia de Campo, lamentou o papel da Concelhia do partido e fez questão de afirmar peremptoriamente o apoio à futura candidatura de Maria José Azevedo. Será a primeira vez que irá apoiar uma candidatura contrária à do PS.

    Por sua vez, Guilherme Roque declarou que a sua presença não significava um apoio em definitivo, mas apenas o seu interesse em conhecer as propostas a apresentar, não excluindo que pudesse vir a estar presente em actos semelhantes de outras candidaturas.

    Por: LC

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.