Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-01-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 15-01-2009

    SECÇÃO: Destaque


    ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS INTERCALARES EM ALFENA

    Vitória esmagadora de Arnaldo Soares e dos Unidos por Alfena

    COM 12 ELEITOS NA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA CONTRA APENAS 1 DA LISTA DO PARTIDO SOCIALISTA

    A lista independente (agora com apoio do PSD) dos Unidos por Alfena (UA) venceu, de uma forma esmagadora, as eleições autárquicas intercalares para a Assembleia de Freguesia de Alfena, ao obter nas urnas 82,40% dos votos validamente expressos (mais do que a soma do PSD e UA em 2005 - 75,22%), e elegendo assim 12 dos 13 lugares da autarquia.

    O PS, a única força política além da UA a obter representação autárquica, sai deste acto eleitoral muito penalizado, tendo perdido um dos seus dois eleitos e descido em termos percentuais de 16,25% para 9,82%.

    A CDU, além da UA é a única força política a não baixar em percentagem de votos (subiu de 2,61% para 2,65%), embora tivesse perdido votos relativamente às últimas eleições. O BE ficou-se pelos 2,05%, a cinco décimas da percentagem de 2005.

    Mas Arnaldo Soares está longe de poder reivindicar o apoio expresso da maioria da população alfenense, já que a abstenção se cifrou nos 54,42%. Isto é, votaram nele e na lista dos Unidos 4 546 dos 12 105 eleitores inscritos na freguesia de Alfena.

    Praticamente levado aos ombros pelo povo de Alfena (pelo menos pelo povo votante), desde cedo se adivinhou quem ia ser o vencedor folgado destas eleições. O que talvez não se esperasse é que o score desta vitória alcançasse mais de 80% dos votos validamente expressos.

    Júbilo também para João Paulo Baltazar, o presidente da Concelhia do PSD, que considerava muito difícil a impugnação de umas eleições em que o voto popular tinha sido tão unânime.

    Pelo contrário, Orlando Rodrigues, o presidente do Secretariado da Concelhia socialista, conformado com os resultados, considerava que estas eleições tinham sido disputadas em condições muito especiais e que não tinha sido possível ao partido preparar-se convenientemente para elas.

    Para CDU e Bloco de Esquerda tratava-se sobretudo de ver qual dos dois emergia melhor desta situação, tendo o resultado final permito à CDU bater a lista do Bloco de Esquerda.

    O resultado da Lista dos Unidos – 4 546 votos, sendo maior que a soma das percentagens do PSD e UA nas últimas eleições, é contudo menor em termos absolutos, pois a soma seria de 5 437 votos, bem acima dos 4 546 agora alcançados.

    É contudo maior, e é preciso sublinhar isso, que o resultado alcançado pelo PSD em 2001, que tinha sido apenas de 3 650 votos.

    Aliás, se se olhar para a votação desse ano, o que se pode observar, desde então para cá, é uma assinalável descida da CDU, muito provavelmente resultante do aparecimento do Bloco de Esquerda, e a erosão continuada do PS, então com 1 704 votos, tendo passado para 1 175 em 2005 e caído agora para 542 votos, em termos percentuais baixando de 28,90% para 16,25% e agora para os 9,82%.

    Em número de mandatos isto traduz-se numa queda de 4 para 2, nas eleições de 2005, e de 2 para 1 nas presentes eleições intercalares.

    Por outro lado, se a abstenção foi enorme agora, sobretudo se a compararmos com os resultados das últimas eleições – 27,71%, já não parece assim tão gritante se virmos os resultados de 2001, em que tinha atingido os 43,02%, além de que agora se verificava tempo de chuva e frio e, sobretudo, as eleições eram intercalares, não beneficiando de tanta atenção dos media nem de uma preparação e propaganda semelhantes.

    Note-se ainda, relativamente às eleições anteriores, a diminuição dos votos brancos e nulos, os primeiros de 1,81% para 1,72%, os segundos de 2,01% para 1,36%.

    Os propósitos

    do presidente

    da Junta

    Para o reeleito presidente da Junta de Freguesia de Alfena, personalidade a quem os Unidos indiscutivelmente devem o êxito, pela sua natural comunicabilidade e trato afável, e ainda pela forma como se tem batido pelas questões de Alfena no quadro da Assembleia Municipal, este resultado traduz-se numa muito maior facilidade em manejar os dossiers da freguesia, sendo o seu desejo expresso à reportagem de “A Voz de Ermesinde” aproveitar já estes meses até Outubro para adiantar já alguns dos assuntos que considera cruciais, casos, entre outros, do centro de saúde de Alfena, da zona industrial, da requalificação do Leça e da zona inferior do viaduto da A47.

    Será também mais fácil a ultrapassagem das questões mais polémicas, precisamente aquelas que se traduziam na tentativa de contornar os obstáculos apresentados pelo actual ordenamento do território consagrado em PDM, o que para o autarca se justificava plenamente, ao contrário do que sustentava a sua oposição.

    De facto, a vitória absoluta vai permitir a eleição de um Executivo monocolor – o amarelo dos Unidos –, devendo subir à Junta de Freguesia, além de Arnaldo Soares e Luís Garcês, mais três elementos da lista, não necessariamente aqueles que se seguem de imediato. Recorde-se que os primeiros nomes da lista eram, além dos referidos, Manuela Duarte, Rogério Palhau e José António Morais.

    Assim sendo, a lista dos Unidos por Alfena tem praticamente assegurados 17 eleitos, pois os cinco que saírem para a Junta de Freguesia terão que ser substituídos, pela mesma lista, na Assembleia de Freguesia de Alfena.

    Tudo isto, evidentemente, a serem conhecidos os resultados definitivos e a gorar-se a pretensão da anulação do acto eleitoral por via judicial, no decurso da providência cautelar que foi apresentada pelos antigos cinco eleitos do PSD mais os dois do Partido Socialista.

    Por: LC

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.