Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-01-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 15-01-2009

    SECÇÃO: Destaque


    CENTRO SOCIAL DE ERMESINDE – UM RETRATO DO QUE É HOJE • APRESENTADO POR CASIMIRO DE SOUSA E ALBERTINA ALVES

    Centro de Formação – respostas pela via da qualificação das pessoas

    Iniciamos hoje uma ronda pelas várias valências do Centro Social de Ermesinde, na tentativa de fazer o retrato do que é hoje a instituição e dos desafios que enfrenta. O seu Centro de Formação era uma escolha óbvia para dar início a esta ronda, primeiro pelo que representa no domínio das respostas, em que intervém a montante, procurando antes dar mais defesas e qualificação às pessoas, e não tanto socorrê-las na situação de necessidade. Segundo porque, muito recentemente, acabaram de ser atribuídos mais de 300 diplomas a formandos saídos do seu Centro Novas Oportunidades.

    Fotos URSULA ZANGGER
    Fotos URSULA ZANGGER
    Casimiro de Sousa e Albertina Alves dão a cara – um na Direcção do Centro Social de Ermesinde (CSE), outra na direcção técnica da valência –, pelo Centro de Formação. No terreno, além de Albertina Alves, destaca-se um grupo de colaboradores dedicados que têm vindo a pôr em prática as estratégias delineadas no que respeita ao esforço de formação dirigido à comunidade, de acordo com a orientação definida pela Direcção do CSE.

    O grupo de formadores (na foto acima) tem a seu cargo com maior relevo, neste momento, as acções enquadradas no Centro Novas Oportunidades (CNO) e nos cursos EFA (Educação e Formação de Adultos). Neste momento, por exemplo, está a decorrer o curso de empregados comerciais, na circunstância frequentado exclusivamente por mulheres (12 formandas).

    Este curso irá proporcionar uma dupla certificação – escolar e profissional, de nível 2 – equivalente ao 9º Ano.

    Aliás, a batalha pela promoção social das mulheres e a igualdade de género é um dos eixos bem presentes no Programa Operacional Potencial Humano (POPH), que tem a seu cargo a gestão de iniciativas como os CNOs e os cursos EFA.

    No CNO as pessoas podem inscrever-se a qualquer momento, sendo os candidatos aferidos por um processo de diagnóstico que há-de encaminhá-los para acções de formação ou para o processo de formalização da certificação – é assim que se processa o Reconhecimento, Validação e Certificação das suas Competências (RVCC).

    Esta certificação pode atribuir um nível básico, equivalente ao 9º Ano e um nível secundário, equivalente aos 10, 11º e 12º Anos.

    foto
    Esta avaliação/certificação de competências tem como pistas de aferição matérias como “Linguagem e Comunicação”, “Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC)”, “Matemática para a Vida”, Cidadania e Empregabilidade”, no nível básico, e Cidadania e Profissionalidade”, “Sociedade, Tecnologia e Ciência” e “Cultura, Língua e Comunicação”, no nível secundário, que funciona num sistema de créditos (88 ao todo). Mais de 40% dos candidatos neste nível são encaminhados para processos de formação.

    As exigências da formação implicam, depois, que haja dois formadores em cada área. O Português é uma das matérias essenciais, tendo até em conta que há formandos estrangeiros. No próprio CNO do Centro Social de Ermesinde surgiram candidatos brasileiros, além de outros vindos dos PALOP e de países de Leste (um).

    O referencial é definido pela Agência Nacional para a Qualificação (com intervenção do Ministério da Educação e do Ministério do Trabalho) e o conceito de base é proporcionar um processo de desocultação de saberes (de qualquer modo validam-se competências e não saberes).

    HISTORIAL DO CNO

    DO CENTRO SOCIAL

    DE ERMESINDE

    O CNO funciona desde 2006, tendo recebido até agora cerca de 1 600 candidaturas, das quais se atribuíram, nestes três anos 376 certificados, estando 368 em processo de reconhecimento, 186 em diagnóstico e 55 encaminhados para processos de formação.

    Os turnos têm funcionado até às 22 horas, começando, mesmo assim, o espaço físico a revelar-se apertado. O Centro de Formação tem, por isso, recorrido mesmo a uma sala do ATL do CSE.

    No nível secundário o CNO do Centro Social tem recorrido a formadores externos (em regime de prestação de serviços) e no básico a formadores internos (quatro).

    As candidaturas, por sua vez, devem ser acompanhadas de uma carta de motivação. A certificação é formalizada num encontro final com a presença de um avaliador externo, que terá já na sua posse o relatório relativo ao formando e que consagrará a validação de competências.

    O CNO do CSE tem também assinado protocolos com o IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional, desenvolvendo acções de formação para o sector terciário, que pode ser itinerante (caso da STCP), Maiambiente, Benéfica, Hutchinson, Vicer, etc..).

    A área de intervenção é a NUT do Grande Porto.

    Albertina Alves considera que a certificação de competências acabou por se tornar um fenómeno de corrente social. Por outro lado, para os técnicos do CNO é necessário também aprofundar a auto-avaliação, cotejar a sua prática com a de outros CNO’s, possam embora estes poderem ser desiguais, e ajudar a validar a prática de certificação de competências.

    foto
    Além dos cursos EFA e do CNO, o Centro de Formação tem também ao dispor da comunidade o Espaço Internet, que embora sem financiamento, continua a funcionar, utilizando agora um espaço próximo numa casa da Rua Miguel Bombarda.

    Aliás a Formação em Informática, proporcionando competências básicas, é um dos seus serviços, atribuindo um Diploma de Competências Básicas em TIC (para o que exige simplesmente o domínio de ferramentas como o processamento de texto ou do acesso à internet.

    O Centro de Formação tem também uma formação e-learning, com sessões presenciais e sessões online (6 adultos em formação).

    A nível interno o Centro de Formação tem vindo a desenvolver formação contínua (na Empresa de Inserção por exemplo), no que tem beneficiado o esforço de certificação da própria instituição. Grande novidade (e segredo) será o lançamento de uma acção de formação parental para optimizar o uso do netbook Magalhães.

    Por: LC

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.