Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-03-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-11-2008

    SECÇÃO: Destaque


    CDU avalia o seu trabalho no concelho de Valongo

    Foto ARQUIVO URSULA ZANGGER
    Foto ARQUIVO URSULA ZANGGER
    A cerca de um ano das próximas eleições autárquicas a CDU/Valongo levou a cabo um encontro com o objectivo de traçar um balanço daquilo o que tem sido a sua intervenção no concelho ao longo deste mandato, como também perspectivar o intenso – em termos eleitorais – ano de 2009. A iniciativa decorreu na tarde do passado dia 22 de Novembro, no auditório da Junta de Freguesia de Ermesinde, e contou com a presença de muitos militantes e simpatizantes desta força partidária.

    As intervenções principais desta acção ficaram a cargo de José Deolindo Caetano (deputado eleito pela CDU na Assembleia Municipal – AMV), Adelino Soares (coordenador da CDU//Valongo) e Pimenta Dias (antigo vereador da CDU em Gondomar).

    O deputado da AMV foi o primeiro a usar da palavra, tendo relembrado aos presentes a subida no número de votos alcançada pela CDU – em Valongo – nas autárquicas de 2005, frisando que com a perda da maioria absoluta por parte da coligação PSD/CDS-PP neste órgão a responsabilidade da CDU aumentou, uma vez que nestas condições os comunistas passaram a ser o “fiel da balança”, como frsiou Caetano.

    Responsabilidade redobrada com a eleição de um elemento seu para a presidência da Mesa da AMV, no caso Sofia de Freitas, tendo a confiança do partida nesta sua eleita sido gorada, «pois o cargo de presidente deve ser exercido com independência, com cooperação institucional com o executivo, mas nunca de subserviência com este. Ao mesmo tempo, quem é eleito por um partido ou coligação, deve respeitar o programa com que se comprometeu com os eleitores. Rapidamente estes compromissos foram quebrados, passando essa pessoa a defender as posições do PSD», recordou como explicação para o retiro de confiança política a Sofia de Freitas por parte da CDU.

    Classificando a política da CDU na AMV como construtiva, incisiva, denunciadora e de encontro aos anseios das populações Caetano lançou críticas a PS e Bloco de Esquerda, referindo que salvo raras excepções estes dois partidos resumem o seu desempenho neste órgão a votar contra as propostas apresentadas.

    A vereação socialista também não foi poupada em críticas, com a CDU a opinar que com quatro vereadores eleitos o PS tinha obrigação de fazer mais do que aquilo que tem feito, exigindo-se que estes apresentem propostas alternativas e que não se limitem somente a reprovar as propostas da maioria da Câmara Municipal.

    Critícas foram igualmente lançadas a Fernando Melo e seus pares na gestão da autarquia, sublinhando que o que foi prometido por estes em campanha eleitoral muito pouco ou nada foi cumprido, sendo este um sinal de desgaste do actual presidente e de desunião da sua equipa.

    Enumeraria ainda as diversas propostas apresentadas pela CDU ao longo destes três anos de mandato, as quais foram sempre de encontro às necessidades e interesses da população.

    Para a CDU, Valongo é hoje um concelho que tem crescido mas não se tem desenvolvido. E neste aspecto deu exemplos de lacunas ao nível do urbanismo, ambiente, da saúde, da qualidade de vida, de equipamentos sociais e desportivos, da indústria, do turismo, entre outros.

    Salientou que, no entanto, o concelho tem algumas potencialidades, como é exemplo o seu património natural (que representa cerca de 55% do “pulmão natural” da Área Metropolitana do Porto), defendendo que devem ser dados passos para uma melhor gestão da floresta e requalificação do sistema hidrográfico, bem como na dinamização do turismo da natureza como medidas para um desenvolvimento sustentado no concelho.

    A terminar, Caetano frisou que a CDU vai continuar a desenvolver a linha de trabalho que vem fazendo até ao final do mandato para que desta forma a coligação possa nas próximas eleições reforçar a sua participação nas freguesias, na AMV e regresse à vereação valonguense.

    O encontro foi igualmente aproveitado para os eleitos da CDU em algumas das freguesias do nosso concelho fazerem também eles uma análise ao trabalho por eles desenvolvido. Sónia Sousa, elemento do executivo da Junta de Freguesia de Ermesinde (JFE) usou então da palavra para referir que o trabalho da equipa que lidera os destinos da Junta está longe de ser positivo. «Falhou à Junta de Ermesinde liderança, ambição e vontade para concretizar mudanças e levar a intervenção do órgão para além da exclusiva gestão corrente. Durante estes três anos, a atitude dos elementos do PSD no executivo nunca se padeceram com o que se exige de uma verdadeira equipa de trabalho. As zangas entre os três elementos foram constantes, em algumas reuniões chegaram até ao insulto. O presidente nunca conseguiu liderar o grupo e foi por vezes o motivo da discórdia, desconfiando dos próprios companheiros de partido». Sublinharia que apesar de se fazer representar por apenas um elemento no executivo a CDU tem tentado contrariar o marasmo em que se encontra mergulhada a JFE ao propor um alargado conjunto de propostas sobre os mais variados temas – propostas essas que elencaria no seu discurso -, as quais têm conseguido solucionar alguns dos problemas da cidade.

    Ao discurso analista que Adelino Soares, o qual abrangeu uma visão sobre o trabalho desenvolvido pelo seu partido no concelho e o actual estado deste, seguiu-se a intervenção de Pimenta Dias, que fez uma retrospectiva da sua experiência enquanto membro do executivo da Câmara de Gondomar, transmitindo aos presentes alguns ensinamentos.

    Por: Miguel Barros

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.