Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 28-02-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 10-09-2008

    SECÇÃO: Arte Nona


    “Wanted”: do outro lado

    Editada em Portugal pela BDMania, em Dezembro de 2007, “Wanted” é uma obra singular, saída do viveiro inesgotável da tradição norte-americana das estórias de super-heróis. Mas aqui a porca torce o rabo, é que em “Wanted”, como num espelho, os protagonistas são os outros, não os super-heróis, mas os super-vilões. E toda a trama tem que ver com as manobras à boa maneira dos gangsters de Chicago dos anos 30, em torno da disputa do poder entre estes, quando é chegado o tempo de pôr fim à sua partilha.

    O design das personagens, tal como o dos seus habituais alter-ego é delirante.

    E aqui, o enredo leva a estória a dar umas rocambolescas reviravoltas, com a cereja no bolo a ser precisamente o seu desfecho.

    O argumento é de Mark Millar e o desenho e arte-final de J. G. Jones. Participa como criador na obra ainda Paul Mounts, colorista, da Bongotone. O desenho e arte-final de algumas sequências de flasback no capítulo “Morto ou Vivo” são de Dick Giordano, o lettering original era de Robin Spehar, Dennis Meisler e Mark Roslan, da Dreamer’s Design.

    A edição portuguesa, com design de Jason Medley, conta com tradução de Pedro Silva (responsávelo editorial, com a colaboração de Paulo Costa e de toda a equipa da BDMania) e legendagem de Alexandre Pinheiro.

    foto
    A linguagem de “Wanted” é crua, como cruas são as suas personagens amorais.

    O enredo mostra-nos um mundo, após 1986 (o que é um interessante efeito de anti-utopia, porque não coloca esta no futuro, mas antes no passado), em que os super-vilões dominam, depois de terem derrotado os super-heróis, estabelecendo o seu reino (quase invisível) por toda a Terra.

    O Conselho dos Cinco domina o mundo: o Professor Salomon Seltzer – o líder – ficou com a América do Norte e a América do Sul, Adam One, «o homem mais velho do mundo», ficou com a África, Future, «um nazi selvagem» com a Europa, Emperor, «um senho do crime chinês», com a Ásia e, finalmente, a Mister Rictus coube a Austrália.

    Mas a Future e a Mister Rictus, a partilha não parece bem.

    Depois, mais abaixo vêm outras personagens, mais ou menos creís, Doll-Master, um aparente bom e pacato chefe de família, de vida dupla, o Killer, o maior e mais implacável assassino, Shit-Head, «100% excremento», Fuckwit, um super-vilão com síndroma de Down, Sucker, «organismo parasitário alienígena», Fox, a sedutora implacável e amoral, Imp, com o poder de refazer a realidade, Deadly Nightshade, «a mais mortífera das flores». E a galeria não está completa, falta-lhe precisamente o protagonista..

    Este é Wesley Gibson, um rapaz pobre diabo que, de um dia para o outro é testado e obrigado a assumir a herança do pai – o Killer – transformando-se também ele num implacável assassino sem piedade.

    No enquadramento da luta que referimos, o livro fala-nos da reeducação de Gibson e da descoberta da sua verdadeira identidade. Este fará a escolha definitiva precisamente no fim do livro.

    O argumento é bem caçado, parecendo brotar com desenvoltura da América brutal que reconhecemos.

    Graficamente bem urdida, a estória sucede-se em planos e enquadramentos muito diversos, que lhe vão dando um dinamismo frenético e quase empolgante. Predomina sempre uma atmosfera escura, mas mais tensa e brutal que tenebrosa.

    Nesta edição da BDMania, muito bem cuidada, ao livro segue-se “Wanted: Dossier”, impresso «como suplemento da série “Wanted”. E nele vários retratos dos supervilões, desenhados por John Romita Jr., Marc Silvestri, Dave Johnson, Tim Bradstreet, Ashley Wood, Ty Templeton, Brian Michael Bendis, Chris bachado, Bill Sienkiewicz, Frank Quitely, Joe Quesada e Jae Lee, apurados por algumas artes-finais de Scott Hanna, Joe Weems V e Mark Millar e pelo trabalho dos coloristas Paul Mounts (várias), Steve Firchov e June Chung.

    A edição conta ainda com uma galeria de capas a que se juntam além de alguns dos nomes já referidos, Rodolfo Migliari, Stephanie Lezniak e, Chaz Riggs.

    E, no fim, o “Makinf-of, concepção de personagens e cenas suprimidas” e ainda uma página muito interessante de material adicional, “Do guião à versão impressa”.

    Excelente!

    Por: LC

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.