Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-07-2020
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-07-2008

    SECÇÃO: Local


    Taxista da praça de Ermesinde assassinado

    Foto ARQUIVO MANUEL VALDREZ
    Foto ARQUIVO MANUEL VALDREZ
    O taxista da praça de Ermesinde Jorge Cruz, de 39 anos de idade, morreu no passado domingo, dia 27 de Julho, cerca das 02h00 horas, ao que se suspeita pelos ferimentos apresentados, vítima de um tiro disparado pelas costas.

    A morte do taxista – presume-se – terá ocorrido após este ter aceite transportar três indivíduos que, ao que contam colegas seus em declarações ao “Jornal de Notícias”, despertaram de tal modo suspeitas a outros taxistas presentes, que estes se apressaram a arrancar sem esperar por tais clientes. Ou por não ter tido tempo de fazer idêntica manobra ou por não ter ter tido suspeitas, ou ainda por ter decidido arriscar, o taxista acabou por aceitar o seu último serviço. A vítima foi depois encontrada morta dentro da sua viatura, na Rua das Carvalheiras, em Rio Tinto.

    Embora seja essa a hipótese mais provável, não há certeza que o móbil do crime tenha sido o roubo. Entre as pernas de Jorge Cruz foi encontrada uma nota de 50 euros.

    O taxista já tinha sido vítima de assalto há dois anos, precisamente na noite de 23 de Julho de 2006. Nessa altura o assaltante levou-lhe todo o dinheiro e documentação pessoal e fugiu no próprio táxi, que terá sido cerca de duas horas depois encontrado queimado, no largo da antiga feira de Ermesinde. O assaltante terá sido dessa vez capturado e condenado a sete anos de prisão.

    Desta vez, cerca de uma hora depois de ter iniciado o serviço, os colegas começaram a tentar contactar Jorge Cruz através do telemóvel, que não respondia, e do telemóvel do táxi, que estava desligado. Contactaram então os familiares, sendo que um destes, Manuel Jorge Castro, dividia a condução do táxi com ele desde há três anos, altura em que Jorge Cruz terá ficado desempregado, passando também a conduzir a viatura. Cerca das 06h00, os colegas vieram a saber que tinha aparecido morto dentro do seu Mercedes, na zona das Areias, em Rio Tinto.

    É importante relatar que o táxi de Jorge Cruz estava equipado com o sistema de segurança Táxi Seguro – que, como a reportagem de “A Voz de Ermesinde” na altura da sua apresentação, divulgou – através de GPS permite a localização instantânea do veículo, mas o sistema não foi accionado. Para o ser basta accionar um pequeno botão ao alcance do condutor.

    À data do fecho da nossa edição, não se encontra detido nenhum suspeito. A Polícia Judiciária, que investiga o homicídio, já interrogou os taxistas da praça da estação de Ermesinde.

    Por: AVE

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.