Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-10-2020
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-05-2008

    SECÇÃO: Tecnologias


    Usando o VNC (3)

    O VNC é uma das aplicações de acesso remoto mais antigas e ainda assim ainda uma das mais usadas. Não é tão segura quanto o SSH, nem oferece um sistema de compressão tão eficiente quanto o RDP, mas oferece a vantagem de ser fácil de usar e de estar disponível para praticamente todas as plataformas. É tão flexível que pode ser usada até mesmo a partir do navegador. Existem inúmeros tutoriais sobre o VNC na web, mas a maior parte deles são textos antigos; este tutorial se diferencia deles por ser mais aprofundado e actualizado, abordando as versões actuais.

    foto
    (continuação)

    No Linux

    (...)

    Para instalar o TightVNC no Linux, procure pelos pacotes a ele referentes no gerenciador. Nas distribuições derivadas do Debian, por exemplo, instale os pacotes tightvncserver (o servidor), xtightvncviewer (o cliente) e tightvnc-java (o applet Java para se conectar usando o navegador) via apt-get, como em:

    # apt-get install tightvncserver tightvnc-java xtightvncviewer

    O cliente e o servidor são independentes, de forma que você pode também instalar só o cliente ou só o servidor, de acordo com o que for utilizar. O pacote tightvnc-java é opcional, você só precisa de o instalar se quiser aceder ao servidor via navegador. Existe também um pacote rpm para o Fedora, disponível no http://www.tightvnc.com/download.html que pode ser usado em último caso.

    Para activar o servidor, use (como utilizador –user, não como root) o comando:

    $ vncviewer

    ou, dependendo da distribuição:

    $ xtightvncserver

    Da primeira vez que é executado, ele pede para definir uma senha de acesso, que deve ser fornecida pelos clientes. Diferente do servidor VNC for Windows, a versão Linux abre uma sessão separada do servidor X, independente do ecrã :0 que você vê no monitor. Isso permite que outras pessoas acedam ao mesmo PC ou servidor sem atrapalhar quem está trabalhando nele.

    O servidor VNC abre o desktop do utilizador que o chamou, com as mesmas permissões de acesso. Justamente por isso, você nunca deve abri-lo como root, salvo tarefas de manutenção em que isso seja realmente necessário. Ao dar acesso à sua máquina para outra pessoa, o ideal é criar um novo utilizador e usá-lo para abrir o VNC. Assim, você não corre o risco do seu amigo começar a apagar os seus arquivos e a alterar as suas configurações.

    É possível abrir várias sessões independentes executando o comando VNCserver várias vezes. As sessões do VNC são numeradas de :1 em diante (:2, :3, etc.). Cada vez que o comando VNCserver é executado, você recebe uma mensagem avisando sobre o número da sessão aberta:

    New 'X' desktop is m5:1“Starting applications specified in /home/morimoto/.vnc/xstartup“Log file is /home/kurumin/.vnc/morimoto:1.log

    Para aceder a partir de outra máquina Linux, use (de acordo com a distribuição) o comando "xtightvncviewer" ou "vncviewer", especificando o endereço IP, nome ou domínio do servidor, seguido do número da seção, como em:

    $ vncviewer 192.168.0.1:1

    ou:

    $ xtightvncviewer 192.168.0.1:1

    ... onde o "192.168.0.1" é o IP da máquina que está a ser acedida e o ":1" é o número da sessão.

    Outra diferença com relação à versão Windows é que você pode especificar o tamanho do desktop ao activar o servidor. Você pode abrir uma secção com resolução de 1280x800 (ou qualquer outro valor) mesmo que o PC use resolução de 1024x768, por exemplo.

    O VNC pode ser aberto em qualquer resolução, não é necessário limitar-se às resoluções padrão. Para isso, adicione o parâmetro "- geometry", especificando a resolução desejada, como em:

    $ vncserver -geometry 800x600

    ou:

    $ vncserver -depth 16 -geometry 1012x704

    Em geral, o VNCserver vem configurado nas distribuições para usar o KDE ou Gnome como gerenciador de janelas padrão nas sessões abertas. Dependendo da versão do VNC, você pode alterar esta configuração dentro do arquivo ".xsession" ou ".vnc/xstartup", dentro do directório home. Substitua o "startkde" ou "gnome-desktop" pelo comando que inicializa o gerenciador de janelas desejado, como, por exemplo, "wmaker" ou "fluxbox".

    Uma vez abertas, as sessões do VNC ficam abertas até que o servidor seja reiniciado. Isso é bom em muitas situações, pois você pode conectar-se a partir de diferentes PCs da rede e sempre continuar exactamente de onde parou, sem precisar de ficar a abrinr e a fechar a sessão. Mas, por outro lado, isso é ruim, pois sempre acabam sobrando sessões "esquecidas". Para fechar as sessões, use a opção "-kill", seguida pelo número da sessão, como em:

    $ vncserver -kill :1

    Ao conectar-se ao servidor usando o navegador, a porta varia de acordo com o número da secção. A secção :1 utiliza a porta 5801, a seção :2 utiliza a porta 5802 e assim por diante. Para se conectar à seção :3 do servidor "192.168.1.10", por exemplo, o endereço seria: http://192.168.1.10:5803.

    Note que a porta usada pelo Applet Java (5800 + o número de ecrã) é diferente da porta usada pelo servidor VNC propriamente dito (acessado pelo cliente VNC), que precisa ser aberta no firewall do servidor. O servidor regular utiliza a porta 5900 em diante: 5901 para a sessão :1, 5902 para a sessão :2, e assim por diante.

    Por: CARLOS MORIMOTO *

    * Texto extraído de http://www.guiadohardware.net/

     

    Outras Notícias

    · A memória do rato

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.