Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-07-2019
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-12-2007

    SECÇÃO: Crónicas


    foto

    VIVA O FIGO!

    Não. Não se trata do futebolista Figo, ainda que merecesse muitas crónicas. É sobre os frutos da figueira, dispostos em infrutescência, como bem sabia o amigo Serôdio, quando comecei a leccionar no Liceu de Lamego as Ciências da Natureza, que vou escrever.

    Quem não gosta de figos? E figos secos com nozes?! Melhor só os doces de figo do Algarve!

    Estamos sempre a ser surpreendidos, senão vejamos:

    Na última ida a Soutelo do Douro, em fins de Novembro, fui encontrar a figueira pingo de mel com frutos e sem uma única folha! Como é possível? Com folhas e frutos… agora assim! Mais: se os legumes da horta, desde os pimentos aos tomates, estavam arruinados pelas geadas, e as couves tronchudas estavam meio abaladas, pedindo o corte para a Consoada, os figos pareciam sorrir da desgraça alheia.

    Será que vão amadurecer? Desconfio. No entanto, poderão ser o alimento das aves, impedidas de comer as ervilheiras, protegidas por rede!

    Não refeito da surpresa, passei pelo talhão das nabiças, na esperança de mandar apanhar algumas para viajarem para o Porto. "Nunca aconteceu", disse o Carlos, quando chegamos ao nabal e estava florido; como se a Primavera tivesse passado por Soutelo! E, mais informou o feitor:

    O tempo também causou prejuízo à azeitona. Não vamos ter um terço do azeite; alguns olivais não vão ser "apanhados"; o pior é que a azeitona varejada está seca de um dos lados da árvore; e como irá render na safra?! "Maus ventos"?, penso.

    AMENDOAIS FAMOSOS

    Soutelo do Douro foi terra de muitos e bons figos secos. Ainda se podem ver alguns fornos antigos, entre vinhedos, para a seca, quando o calor solar não castigava o suficiente.

    Secavam-se, também, os pêssegos de abrir, pois as "orelhas de pêssegos" eram um rico petisco! Só ao "mata-bicho" dos caçadores e amos eram oferecidas; os trabalhadores comiam figos, pão e aguardente.

    As amendoeiras vieram a suplantar as figueiras. Os amendoais da região duriense foram famosos nos anos setenta e oitenta. O turismo, ligado às plantas floridas, alegrou o Douro!

    Quando faltou um Camilo de Mendonça para defender os preços competitivos, principalmente com os dos Estados Unidos, foi a destruição dos amendoais modernos. Os mortórios metem dó! Hoje, parece reavivar-se o cultivo.

    Se os bolos amendoados são deliciosos, os figos com nozes dão outro prazer. O bolo-rei sem figos cristalizados não é iguaria.

    Na região de Torres Novas o figo preto é soberano. Os doces e a aguardente são especialidades apreciadas. No Algarve as figueiras estão em estado selvagem!

    Espero que os figos tardios de Soutelo do Douro sirvam de alimento aos pássaros famintos, pois os dióspiros, ao lado da figueira, estão intocáveis. O mesmo não posso dizer dos dióspiros do quintal das Antas (Porto), dizimados pelas aves citadinas, enquanto vão amadurando.

    Por: Gil Monteiro

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.