Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-07-2019
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 28-02-2019

    SECÇÃO: Património


    foto

    Acontecimento Insólito em S. Lourenço de Asmes (7.ª parte)

    Tinha o Visconde, 22 anos, quando o rei D. Luís I, e respetiva comitiva real, faz uma visita ao norte de Portugal. Com toda a certeza fez parte da comissão de receção ao rei. A comitiva tinha partido de comboio de Lisboa, às 8 horas da manhã do dia 26 de setembro de 1887, chegando ao Porto às 5 horas da tarde. No início deste ano tinha nascido o príncipe D. Luís Filipe(1) , a 21 de março de 1887, que vemos ao colo da mãe na foto. A receção foi na estação de Campanhã(2) e encabeçada pelo presidente da Câmara, o Dr. António de Oliveira Monteiro(3) . Na comissão de receção aos reis e restante comitiva esteve o Porto em peso, destacando-se a burguesia e aristocracia portuense mais ilustre. Onde se incluíam sem qualquer dúvida para além do visconde e respetiva família, João Caetano da Silva Campos, natural de Viana, Bacharel em Direito, que veio ao Porto para se despedir da sua filha, também presente, Rosa Cândida Furtado de Antas da Silva Campos, ao tempo, casada com o Sr. Álvaro Alão Pacheco, engenheiro civil pela Academia Politécnica do Porto(4), e moradores na altura na Rua do Almada, pois ia para a Índia desempenhar o cargo de desembargador, acabando por lá falecer, tendo como esposa D. Carlota Cândida Furtado de Antas de Mendonça, natural de Lisboa, e filha de Amaro José de Puga de Antas e Vasconcelos, 8.° Morgado da Preguiça, e a filha do casal com cerca de 12 anos, Helena Furtado de Antas Alão Pacheco, nascida a 4 de abril do ano de 1879.

    COMITIVA QUE SE DESLOCOU AO NORTE EM VISITA
    COMITIVA QUE SE DESLOCOU AO NORTE EM VISITA
    Possivelmente, o cortejo real e restante comitiva ter-se-ão deslocado de charretes até aos Paços do Concelho onde terá sido a receção oficial à comitiva.

    Na noite de 20 para 21 de março de 1888, durante uma festa de benefício do ator Firmino Rosa, deflagra um incêndio,que consumiu em poucas horas todo o interior do Teatro Baquet, que se situava na Rua Sá da Bandeira, atualmente o lugar ocupado pelo Hotel Teatro. Ao Porto deslocou-se a rainha D. Maria Pia de Sabóia, casada com o rei D. Luís, a qual, mal soube do triste acontecimento, partiu de comboio, numa noite de temporal, vestida de luto e acompanhada pelo infante D. Afonso, duque do Porto, para homenagearem as vítimas e visitarem alguns sobreviventes.

    ANTIGOS PAÇOS DO CONCELHO DO PORTO, DEMOLIDO EM 1916
    ANTIGOS PAÇOS DO CONCELHO DO PORTO, DEMOLIDO EM 1916
    D. Luís morre com 51 anos, de doença “neurosífilis”(5), em 19 de outubro de 1889, D. Maria Pia assistiu, de forma excecional, o marido durante a sua terrível agonia, na Cidadela de Cascais. Foi sepultado no Panteão de S. Vicente de Fora.

    Carlos subiu ao trono no mesmo dia do falecimento do pai. A sua aclamação como Rei de Portugal ocorreu em 28 de dezembro de 1889 e teve a presença de seu tio-avô D. Pedro II, Imperador do Brasil, exilado desde o dia 6 do mesmo mês.

    (...)

    Leia este artigo na íntegra na edição impressa.

    Nota: Agora pode tornar-se assinante da edição digital por 6 euros por ano. Após fazer o pagamento (de acordo com as mesmas modalidades existentes na assinatura do jornal impresso) deverá enviar-nos o nome, o NIF e o seu endereço eletrónico para lhe serem enviadas, por e-mail, as 12 edições em PDF.

    Por: Carlos Marques

     

    Outras Notícias

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.