Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-03-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 10-01-2013

    SECÇÃO: Painel partidário


    foto

    Hospital de Valongo: que futuro?

    Ao longo dos últimos anos temos assistido a tomadas de decisões dos políticos dos sucessivos governos em relação às instituições hospitalares. No entanto, não raras vezes, conclui-se que se utilizaram dinheiros públicos apenas com o intuito de conquistar votos, acabando por ficar tudo igual ou pior. Um desses casos é a Urgência do Ex-Hospital N. Sra. Conceição de Valongo, actualmente Hospital de S. João – Polo de Valongo.

    Nas últimas eleições autárquicas a candidatura do PS ao Município de Valongo elegeu como um dos pontos mais importantes para o Concelho, a Saúde. Os membros do Conselho de Administração do então Hospital de Valongo, ocupando cargos na lógica dos “jobs for the boys” do Governo de José Sócrates, resolveram fazer obras na respectiva Urgência do Hospital. Mas eis que ocorrem as eleições autárquicas e alguém se esqueceu que melhoramentos num serviço, com salas dedicadas a TC, Análises Clínicas, Ecografia, ECG de nada servem senão estiverem devidamente equipadas e com pessoal qualificado a utilizar esses mesmos equipamentos. Assim, conclui-se que, mais uma vez, se gastou dinheiro para nada.

    Entretanto, passamos a ter um governo de direita, mas as políticas continuam as mesmas. A junção do Hospital de Valongo com o Hospital de S. João traz novas expectativas e o próprio Hospital de S. João publicitou esta união como muito positiva para todos. No entanto, foi mais um passo de demagogia política.

    Desde logo, foi adiantado que, na sequência da reorganização do parque hospitalar, a Urgência do Hospital de Valongo iria encerrar. De imediato, o Bloco de Esquerda alertou para a gravidade da medida e para os prejuízos para a população. O actual executivo camarário liderado pelo PSD, com grande propaganda na comunicação social, vem dizer que aos munícipes de Valongo que não iriam ver os serviços de saúde que hoje usufruem serem diminuídos. No entanto, desde que houve esta união, o Polo de Valongo ganhou um Serviço de Cirurgia de Ambulatório, mas perdeu o Serviço de Ortopedia, perdeu o Serviço de Cirurgia Geral, perdeu o Serviço de Medicina, perdeu o Serviço de Análise Clínicas (fazer colheitas no início da manha e enviar para o Hospital de S. João não é o mesmo que ter um serviço de análises clinicas). Quanto ao Serviço de Urgência este não tem possibilidade de executar Análises, não tem Técnico de Cardiopneumologia, diminuiu o número de Médicos, diminuiu o número de Enfermeiros, diminuiu o número de Auxiliares, e fecha o Serviço de Radiologia das 0:00 horas até ás 8:00 horas.

    Estes são factos para uma análise profunda e que demonstram que PS e PSD têm desprezado o serviço público de saúde no concelho de Valongo. Ainda hoje, passados mais de 10 anos, as populações de Campo e de Alfena estão a aguardar a construção dos centros de saúde nas respectivas freguesias.

    É necessário fazer uma mudança corajosa em Valongo e dar mais força a quem, como o Bloco de Esquerda, tem estado sempre ao lado das pessoas com verdade e respeito pelas populações e não com demagogia!

    É necessário defender o serviço público de saúde, nomeadamente, a manutenção dos serviços do Hospital de Valongo!

    Por: Nuno Monteiro (*)

    (*)membro da coordenadora concelhia do Bloco de Esquerda Valongo

     

    Outras Notícias

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.