Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-03-2024
Jornal Online

SECÇÃO: História


foto
FACTOS DA NOSSA HISTÓRIA (15)

Câmara de Valongo contra a Ditadura de Pimenta de Castro

No tempo da Ditadura de Pimenta de Castro (28 de janeiro a 14 de maio de 1915), muitos municípios e freguesias não aceitaram o seu governo ditatorial e protestaram contra a suspensão dos direitos constitucionais e os seus corpos administrativos foram exonerados. Em Valongo a Câmara manteve-se.

No caso de Valongo, todos os corpos administrativos se mantiveram, mas houve divisão entre os vereadores, uns claramente contra o governo ditatorial de Pimenta de Castro (a maioria), outros a seu favor (a minoria).

Na sequência dessa intervenção, o plenário da Câmara de Valongo aprovou, por unanimidade e sem qualquer discussão, a moção proposta pelo Presidente da Comissão Executiva, com o seguinte texto: «A Camara Municipal de Vallongo, reunida em sessão extraordinária, confiando no progresso e grandeza da nossa Patria, pelas actuaes Instituições, declara o mais absoluto respeito pela Constituição da Republica e por todas as leis promulgadas nos termos da referida Constituição – Maia Aguiar».

Na sessão seguinte (12 de abril de 1915), alguns vereadores, que aceitavam o governo de Pimenta de Castro, e descontentes com a publicidade que tinha sido dada à moção no jornal “O Mundo”, segundo eles de forma que não corresponde à verdade, e que permite diversas interpretações, insistiram em esclarecer a sua posição, ficando exarado em ata, a este respeito, o seguinte: «Attendendo a que na mesma moção não se fazia referencias censurara ou protestara pelas medidas promulgadas pelo actual Governo. / Attendendo a que esta Camara tem até ao presente cumprido as determinações do actual Governo. / Attendendo a que

EXCERTO DA ATA DA CAMARA MUNICIPAL DE VALONGO, 22 DE MARÇO DE 1915, FL. 90,
EXCERTO DA ATA DA CAMARA MUNICIPAL DE VALONGO, 22 DE MARÇO DE 1915, FL. 90,

(...)

leia este artigo na íntegra na edição impressa.

Nota: Desde há algum tempo que o jornal "A Voz de Ermesinde" permite aos seus leitores a opção pela edição digital do jornal. Trata-se de uma opção bastante mais acessível, 6,50 euros por ano, o que dá direito a receber, pontualmente, via e-mail a edição completa (igual à edição impressa, página a página, e diferente do jornal online) em formato PDF. Se esta for a sua escolha, efetue o pagamento (de acordo com as mesmas orientações existentes na assinatura do jornal impresso) e envie para o nosso endereço eletrónico ([email protected]) o nome, o NIF e o seu endereço eletrónico para lhe serem enviadas ao longo do ano, por e-mail, as 12 edições do jornal em PDF.

Mas se preferir a edição em papel receba comodamente o Jornal em sua casa pelo período de 1 ano (12 números) pela quantia de 13,00 euros.

Em ambos os casos o NIB para a transferência é o seguinte: 0036 0090 99100069476 62

Posteriormente deverá enviar para o nosso endereço eletrónico ([email protected]) o comprovativo de pagamento, o seu nome, a sua morada e o NIF.

Por: Manuel Augusto Dias

 

 

este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
© 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Comentários sobre o site: [email protected].