Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 25-06-2024
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-10-2023

    SECÇÃO: Desporto


    FUTEBOL

    Tropeções não impedem caminhada tranquila do Ermesinde 1936

    Fotos MAD
    Fotos MAD
    Com um ou outro percalço pelo caminho a equipa principal do Ermesinde 1936 continua a sua caminhada tranquila na Série 2 da Divisão de Elite da Associação de Futebol do Porto. Neste mês de outubro a turma de Sonhos realizou (até à data do fecho da presente edição) mais quatro encontros no principal escalão do futebol do nosso distrito, tendo conhecido “sabores” distintos, isto é, venceu dois e perdeu outros tantos. Esta performance faz com que após 8 jornadas disputadas os comandados de Vítor Leal ocupem um tranquilo 5.º lugar, com 15 pontos, a somente 7 do 1.º lugar ocupado pelo Aliança de Gandra e a 6 pontos do segundo colocado, o Alpendorada. Recorde-se que os dois primeiros classificados de cada uma das duas séries da Divisão de Elite avançam para a fase de apuramento de subida ao Campeonato de Portugal.

    Mas vamos então a factos concretos, ou seja, aos jogos realizados pelo emblema da nossa cidade, e começando pelo encontro de 22 de outubro último, dia em que o Ermesinde 1936 se deslocou ao Marco de Canavezes para defrontar o S. Lourenço do Douro, em partida da 8.ª jornada. Vindos de uma derrota caseira na ronda anterior os ermesindistas queriam rapidamente voltar ao trilho das vitórias e o que é certo é que assim o fizeram. 3-0, vitória expressiva do Ermesinde 1936 que ao intervalo vencia já por um golo (da autoria de Rui Carvalho, aos 16 minutos) de diferença. Na segunda metade a superioridade ermesindista foi vincada com mais dois golos, o primeiro por Diogo Cunha, aos 67 minutos, e o segundo por intermédio de Bruno Silva, a três minutos dos 90.

    Sob arbitragem de José Oliveira as equipas alinharam da seguinte forma: S. Lourenço do Douro: Gomes, Anselmo, Bangoura, Cícero (André, 78), Diogo, Alex Porto, Migas, Rafa Gomes (Mouhamed, 46), Eecion, Ferraz e Juca (Sidya, 43). Treinador: Luciano Cerdeira.

    Ermesinde 1936: Brandão, Rúben Gonçalo, Marcelo, Pepe, Tomás, Costa (Hulk, 70), Romário, André Rocha (Pedro Castro, 89), Rui Carvalho, Diogo Cunha (João Dias, 70) e Bruno Silva (David Almeida, 87). Treinador: Vítor Leal.

    foto
    PRIMEIRA DERROTA CASEIRA

    Uma semana antes, no dia 15, o Ermesinde 1936 conheceu a primeira derrota caseira da temporada. Dos Sonhos o S. Martinho levou os 3 pontos em disputa na 7.ª jornada, fruto de um triunfo por 1-0 (jogo das imagens). O conjunto do concelho de Santo Tirso, que trouxe consigo muitos adeptos ao Estádio de Sonhos, entrou forte e aos 7 minutos quase marcava, não fosse a concentração de Brandão na baliza da equipa anfitriã. Esta reagiu e ao quarto de hora de jogo teve uma série de cantos seguidos a seu favor, mas nenhum resultou em golo. E ao minuto 23 enviou a bola ao poste da baliza de Nico. Para o fim da 1.ª parte, o S. Martinho voltou a mostrar-se mais perigoso, beneficiando de um livre direto junto à grande área, com a bola a bater na trave da baliza do Ermesinde 1936. E, no último minuto do 1.º tempo, o S. Martinho chegou ao golo, por intermédio de Naziru, aproveitando da melhor forma uma confusão que se gerou na área ermesindense.

    No reatamento do encontro, com as substituições operadas, o Ermesinde 1936 correu atrás do prejuízo, mas desta vez a sorte não esteve a seu favor e apesar de três oportunidades para marcar aos minutos 68, 69 e 72, Filipe Dinis conseguiu fazer uma exibição de luxo e garantir a vitória da sua equipa até ao apito final.

    Com arbitragem de João Pereira as equipas jogaram com: Ermesinde 1936: Brandão, Rúben Gonçalo, Marcelo, Pepe, Tomás, Duarte (Rui Carvalho, 46), Romário, André Rocha (João Dias, 75), Hulk (Herdeiro, 65), Diogo Cunha e Bruno Silva. Treinador: Vítor Leal.

    S. Martinho: Filipe Dinis, Filipe Mota, Ricardo Carvalho, Vieira, Monteiro, Hugo (João Filipe, 80), Rui Jorge, Mohammed, Bruno Moreira (Pedro Neto, 55), Naziru (Francisco Silva, 80) e Kachi Onugo (Pinto, 71). Treinador: Tonau. MAD

    O QUE COMEÇOU BEM ACABOU EM GOLEADA!

    No dia 8 jogou-se a 6.ª ronda desta Divisão de Elite, tendo o Ermesinde 1936 viajado até Vilarinho. No regresso a equipa de Vítor Leal trouxe na bagagem uma pesada derrota, por 4-1. Os ermesindistas não podiam ter melhor começo, já que logo no primeiro minuto Diogo Cunha deu vantagem à equipa forasteira. Porém, à passagem dos 12 minutos Lipe restabeleceu a igualdade, e ainda antes do intervalo o conjunto de Santo Tirso marcou mais dois golos, o primeiro da autoria de Pinto, à passagem do minuto 28, e o segundo por Rebelo, aos 39 minutos. A avalanche ofensiva do Vilarinho na 2.ª parte produziu mais um golo, aos 77 minutos, da autoria de Ruizinho.

    No Estádio Municipal de Vilarinho e sob arbitragem de José Santos, as equipas alinharam com: Vilarinho: Bruno, Pedroso, Neto, Carlos Gomes, Marquinho (Dani Rocha, 64), Celso, João Lindo (Rochinha, 64), Jonas (Konaté, 64), Pinto, Rebelo e Lipe (Ruizinho, 75). Treinador: Nélson Costa.

    Ermesinde 1936: Brandão, Rúben Gonçalo, Pedro Castro (Hulk, 35), Pepe, Ribas, Tomás (Edgar, 75), Romário, Costa (Herdeiro, 75), André Rocha (David Almeida, 75), Diogo Cunha e Bruno Silva. Treinador: Vítor Leal.

    VITÓRIA PARA LÁ DA META

    E no primeiro dia de outubro foi a vez do Lixa visitar a nossa terra, para aqui disputar o encontro alusivo à 5.ª jornada. E daqui levou uma derrota de 2-1. No entanto, este foi um jogo muito difícil para o Ermesinde 1936, que começou a perder bastante cedo na sequência de uma grande penalidade aos 17 minutos, apontada por Mauro. Treinador e atletas bem tentaram o volte face, no resultado, mas o intervalo chegou com a equipa visitante a ganhar. No 2.º tempo Vítor Leal fez cinco substituições mas chegou aos 90 minutos regulamentares, empatado a uma bola, graças a um tento de Herdeiro em cima do minuto 90. A pressão da equipa da casa continuava alta, acreditando que podia ganhar e foi o que aconteceu, com o auto-golo de Rodrigo, já em tempo de compensação, aos 90+5 minutos, a garantir os 3 pontos. O resultado acaba por ser justo, devido à entrega do onze verde e branco que nunca desistiu do jogo.

    Com arbitragem de Fábio Silva as equipas jogaram da seguinte maneira: Ermesinde 1936: Brandão, Rúben Gonçalo (David Almeida, 78), Pedro Castro (André Rocha, 70), Ribas, Pepe, Tomás (Duarte, 70), Romário, Costa (Herdeiro, 70), Diogo Cunha, Rui Carvalho (Hulk, 63) e Bruno Silva. Treinador: Vítor Leal.

    Lixa: Nico; Azevedo, Costa Pinto (Rodrigo, 49), Fábio Teixeira, Raul Babo (Abazi, 65), João Leite, Pedro Pinto, Mauro (Rui Filipe, 65), John Abraham (Johan Cerpja, 82), Alex e Korta (Dioguinho, 82). Treinador: Zezé Carvalho. MAD

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: [email protected].