Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-09-2020
Jornal Online

SECÇÃO: Saúde


foto

Brincar também é uma forma de aprender

foto
Setembro é, classicamente, o mês do regresso às aulas, marcado pela gradual retoma das tarefas letivas das crianças e dos seus cuidadores. Contudo, é importante relembrar que o tempo passado com as crianças em casa, com os familiares, incluindo o tempo de brincadeiras, continua a ser fulcral para um crescimento psicomotor equilibrado.

Ao contrário do que se possa pensar, brincar não é apenas uma forma de divertimento. Brincar permite que as crianças desenvolvam conhecimentos e capacidades em diversas áreas, que serão úteis na idade adulta. Para crescer, as crianças precisam de tempo e atenção de alguém que se mostra feliz por brincar com elas. Os irmãos são os companheiros de brincadeira por excelência, contudo pais e cuidadores devem reservar algum tempo para brincar com as crianças, especialmente se estas forem o primeiro ou o único filho do casal.

Pode ser desafiador encontrar tempo para brincar com os filhos, tendo em conta as inúmeras tarefas que têm de ser cumpridas no dia-a-dia. Se se sentir pressionado com tarefas para cumprir, pode ser uma boa ideia envolver a criança nas tarefas que estiver a desempenhar naquele momento, especialmente se forem atividades domésticas. As crianças sorvem conhecimento de todas as atividades que presenciam e para as quais contribuem.

COMO ENVOLVER O(S) SEU(S) FILHO(S) NAS ATIVIDADES DO DIA-A-DIA?

• Lavar a loiça: permita que o seu filho o acompanhe enquanto lava a loiça, auxiliando-o, por exemplo, a lavar utensílios de plástico ou tampas de panelas;

• Quando cozinhar, explique os passos do prato que está a confecionar e converse enquanto prepara os alimentos;

• Permita que o seu filho o acompanhe enquanto aspira, faz a cama, limpa o pó...

Se tornar as tarefas que está a fazer divertidas e interessantes para o seu filho, poderá cumprir os seus afazeres enquanto passa tempo de qualidade com ele.

Explicar aos filhos as tarefas do quotidiano permite ensinar acerca da divisão de tarefas e ajuda no desenvolvimento da independência para as cumprir. Estes objetivos são, também, alcançados ao permitir que as crianças copiem as atividades que vão observando. A imitação constitui, igualmente, uma forma de aprendizagem.

Apesar do ritmo frenético do dia-a-dia, é preferível que não seja imposto a crianças pequenas um horário rígido para cumprir as tarefas, o que poderá resultar no incumprimento das mesmas e em frustração, tanto para a criança como para o cuidador.

foto

ALGUMAS DICAS PARA BRINCAR COM CRIANÇAS PEQUENAS:

• Reserve tempo no seu horário para se focar exclusivamente no seu filho. Converse sobre todos os assuntos, até o que está a pensar incluir na sua lista de compras. Ao partilhar tanto quanto possível, o seu filho vai aprender várias palavras novas.

• Dê ao seu filho oportunidades para utilizar todo o corpo: correr, saltar e trepar, especialmente se não tiver muito espaço em casa. Passear no parque ou ao ar livre pode ser uma boa oportunidade para desenvolver estas capacidades e reforçar a relação pais/filhos.

• Reúna objetos diferentes para a criança observar, pensar no que irá fazer com eles e brincar.

• Brincar ao faz de conta: utilize luvas, malas, chapéus velhos, panos para criar personagens e se divertir com o seu filho.

• Use caixas de cereais ou pratos de papel para criar máscaras; pode cortar dois círculos para o formato dos olhos e utilizar um fio para prender atrás da cabeça.

• Utilize jogos que permitam o desenvolvimento psicomotor da criança, como puzzles ou legos.

Os ecrãs, como televisões ou telemóveis, podem entreter a criança e dar algum tempo para os pais/cuidadores fazerem outras tarefas necessárias. Contudo, será de evitar utilizá-los excessivamente. Saiba sempre que tipo de conteúdo a criança está a assistir e limite o tempo de utilização - 30 minutos em menores de 2 anos e 1 hora entre os 3 e os 5 anos. Se possível, esteja próximo da criança enquanto usa os dispositivos, para que consiga conversar com a criança acerca do que está a assistir.

Gradualmente, as crianças aprendem formas de se entreter sozinhas durante algum tempo. Brincar com os filhos desenvolve, assim, não só as suas capacidades cognitivas, como promove uma relação parental mais próxima. Experimente!

Telma Lopes (Médica Especialista de Medicina Geral e Familiar, Matosinhos)

Catarina Rebelo (Médica Interna de Medicina Geral e Familiar, Matosinhos)

 

Outras Notícias

 

este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
© 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.