Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-06-2019
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-04-2019

    SECÇÃO: Destaque


    Câmara reforça o apoio anual aos Bombeiros de Ermesinde e de Valongo

    Fotos CMV
    Fotos CMV
    A Câmara Municipal de Valongo (CMV) reforçou o apoio monetário anual às Associações Humanitárias dos Bombeiros Voluntários de Ermesinde e de Valongo.

    O valor anual deste novo apoio é superior a 30.000 euros - divididos pelas duas associações humanitárias.

    Recorde-se que a adenda aos protocolos celebrados com as duas associações no passado dia 16 de abril foi aprovada por unanimidade pelo Executivo municipal - na reunião pública de março - e prevê o apoio para as despesas com os prémios das apólices de seguro das viaturas das corporações (850 euros mensais) e a aquisição de equipamentos de proteção individual de combate a incêndios em espaços naturais, para todos os/as novos/as bombeiros/as que ingressem na carreira de bombeiro voluntário. O custo de cada equipamento de proteção individual de combate a incêndios em espaços naturais para os novos elementos que ingressem na carreira de bombeiros voluntários está estimado em 540 euros, valor que inclui fato de proteção florestal (calças e dolmen), botas florestais, capacete florestal, luvas de combate a incêndios florestais, camisola ignífugas e capuz de proteção florestal (cógula).

    A assinatura do protocolo decorreu no salão nobre da autarquia, tendo contado com a presença de inúmeras forças vivas do concelho, desde logo o presidente da autarquia, José Manuel Ribeiro, vereadores do Executivo camarário, o presidente da Junta de Freguesia de Ermesinde, João Morgado, bem como representantes das duas associações humanitárias, com realce para os presidentes das duas Direções: Jorge Videira em representação dos Bombeiros Voluntários de Ermesinde (BVE), e Armando Pedroso, por parte dos Bombeiros Voluntários de Valongo (BVV). O Corpo Ativo das duas corporações também esteve representado, no caso de Ermesinde pelo segundo comandante Emanuel Santos, e da parte de Valongo pelo comandante Bruno Fonseca.

    CRÍTICAS DOS BOMBEIROS PARA COM O ESTADO

    foto
    Após a celebração do protocolo foram proferidas algumas palavras pelas duas partes intervenientes neste acordo. Altura aproveitada pelas duas associações para agradecerem este apoio da autarquia, mas também para lembrarem as dificuldades que diariamente enfrentam para levar por diante a sua missão.

    E isso ficaria bem patente nas palavras de Jorge Videira, que antes disso frisaria que as conversas mantidas com a Câmara têm levado os bombeiros a “bom porto”, sendo a prova disso este novo apoio.

    Mas «o Mundo não acaba aqui, os bombeiros vão continuar a dialogar com a CMV no sentido de paulatinamente irem conseguindo levar a “bom porto” as associações humanitárias». E dando seguimento a esta intenção teceu então algumas críticas para com o Poder Central, que nas suas palavras «paga pouco e mal».

    Para que todos entendessem «as reais dificuldades das associações humanitárias», o presidente da Direção dos BVE deu como exemplo a associação que dirige, a qual todos os meses «para pagar salários aos funcionários precisa de 45.000 euros e muitas vezes temos muito mais do que isso a receber (proveniente de serviços prestados) do Poder Central. Só que as faturas são pagas a quatro e cinco meses».

    Para vincar as dificuldades atuais das associações, Jorge Videira frisou ainda que são os bombeiros que têm de suportar os encargos com a aquisição de viaturas, ou de equipamentos, referindo, a título de exemplo, que um par de botas para um/a bombeiro/a custa na ordem dos 65 euros, o que a multiplicar por 115 bombeiro/as - como é o caso do Corpo Ativo dos BVE - torna-se complicado suportar em termos financeiros. «Temos dificuldades, e gostava que compreendessem isso. Enalteço o esforço da CMV em conceder este apoio aos bombeiros», terminou Videira.

    Por sua vez, Armando Pedroso subscreveu as palavras do dirigente dos BVE, ressalvando ainda que para muitos esta ajuda mensal de 850 euros pode parecer pouco, mas na verdade é muito. «Esta é uma ajuda gratificante e são ajudas como esta que me estimulam a continuar», referiu o presidente da Direção dos BVV.

    (...)

    Leia esta notícia na íntegra na edição impressa.

    Nota: Agora pode tornar-se assinante da edição digital por 6 euros por ano. Após fazer o pagamento (de acordo com as mesmas modalidades existentes na assinatura do jornal impresso) deverá enviar-nos o nome, o NIF e o seu endereço eletrónico para lhe serem enviadas, por e-mail, as 12 edições em PDF.

    Por: MB

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.