Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 28-02-2019
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-12-2018

    SECÇÃO: Painel partidário


    Interpelação à Ministra da Saúde

    foto
    Sr. Presidente, Sra. Ministra,

    No dia 15 de julho de 2014 foi fechado o serviço básico de urgência do hospital de Valongo, que à data era Polo de Valongo do H.S.João. Na altura, muitas foram as vozes contra o seu encerramento, alertando para o erro que era fechar esse serviço de urgência, privando a população de Valongo e arredores desse serviço de proximidade. Este facto teve como impactos diretos, a necessidade das populações passarem a ter que se deslocar às urgências do H.S.João e o aumento dos tempos de espera nesta mesma urgência hospitalar. Na altura, foi dito que o fecho do Serviço de Urgência seria para a construção de um Centro de Hemodialise. O Bloco de Esquerda concorda que é necessário um serviço público de hemodialise. Serviço este que liberte o Serviço Nacional de Saúde da dependência dos grupos privados, diminuindo a “sangria” de recursos públicos entregue aos grandes grupos económicos que atualmente controlam as clínicas de hemodiálise privadas. As estruturas locais do Bloco de Esquerda, chegaram a apresentar localmente uma planta do espaço, onde se demonstrava ser possível a coexistência entre o serviço de Urgência Básica, e o Centro de Hemodiálise. Espaço este que se encontra atualmente ao abandono e a deteriorar-se de dia para dia. Mais recentemente, reconhecendo-se a existência de um atendimento mais demorado na resposta do Serviço de Urgência do H.S.João, foi apresentado um estudo onde é aconselhada a construção de um espaço, fora do Serviço Urgência do H.S.João, para atendimento de utentes não urgentes, nomeadamente utentes que lhes seja atribuída pulseira Azul ou verde. Pois esse espaço já existe e encontra-se no Polo de Valongo do H.S.João. Não faça as populações de Valongo acreditar que estas promessas foram apenas desculpa para justificar o fecho do serviço básico de urgências. Sra. Ministra, pelo exposto pergunto:

    - Quanto à promessa de construção de um Centro de Hemodiálise público no Polo de Valongo do H.S.João, pode a Sra. Ministra apontar a data para o cumprimento dessa promessa?

    - Pretende este governo aproveitar o espaço e o investimento de milhões efetuado no Polo de Valongo do H.S.João, e abrir um Serviço de Urgência, ou Serviço de Atendimento Permanente, servindo as populações de Valongo e concelhos limítrofes, descongestionando assim as Urgências do H.S.João?

    Fernando Barbosa, Deputado do grupo parlamentar do Bloco de Esquerda

    Nota de redação: Este texto é a interpelação realizada no dia 13 de dezembro, na Assembleia da Republica, à Ministra da Saúde, Marta Temido, acerca do encerramento do serviço básico de urgência do Hospital de Valongo, e contrapartidas ao seu encerramento, realizada pelo deputado do Bloco de Esquerda, Fernando Barbosa, eleito pelo Distrito do Porto. Ainda segundo a nota de imprensa emitida pelo Bloco de Esquerda de Valongo, como resposta à interpelação, «a ministra da Saúde disse que apesar de 95% dos serviços de Hemodiálise a nível nacional se encontrarem contratualizados com privados, e porque a região se encontra bem servida nestas valências, não está previsto qualquer investimento por parte do governo para a instalação do “prometido” centro de Hemodiálise de Valongo, como contrapartida do fecho do Serviço Básico de urgência no polo de Valongo do H. S. JOÃO».

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.