Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-05-2024
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-07-2009

    SECÇÃO: Desporto


    CICLISMO

    Volta a Portugal do Futuro foi amplamente dominada pela União Ciclista de Sobrado

    Fotos UNIÃO CICLISTA DE SOBRADO
    Fotos UNIÃO CICLISTA DE SOBRADO
    Foi uma vitória esmagadora aquela que a equipa da Aluvia/Valongo/União Ciclista de Sobrado (UCS) obteve na 17ª edição da Volta a Portugal do Futuro em ciclismo (destinada a corredores com menos de 23 anos de idade, e que contou com a presença de 93 ciclistas em representação de 13 equipas), prova que decorreu entre os passados dias 21 e 26 de Julho.

    Ao triunfo individual o conjunto sobradense juntou ainda a vitória colectiva e a classificação geral dos pontos de uma competição que teve início em Reguengos de Monsaraz e final em Oliveira do Bairro.

    No plano individual Marco Cunha foi então o grande vencedor da Volta, terminando-a com um registo de 17h51m20s, deixando os 2º e 3º classificados a 27 e 37 segundos, curiosamente dois corredores da equipa de Sobrado, respectivamente Carlos Baltazar e Bruno Silva, o que vem provar que de facto a formação valonguense dominou a corrida a seu bel-prazer. De lembrar que a UCS vence – a nível individual – pelo segundo ano consecutivo a Volta a Portugal do Futuro (VPF), pese embora no ano transacto tenha visto o título – obtido por José Martins – ser-lhe retirado posteriormente devido a um controlo antidoping positivo por testosterona sintética.

    O FILME

    DA VOLTA...

    foto
    Passando agora ao filme desta 17ª edição da VPF para dizer que logo no primeiro dia de competição a Aluvia/Valongo/UCS deu nas vistas ao conseguir, através de Carlos Baltazar, o 2º lugar no prólogo realizado em Reguengos de Monsaraz, o qual foi ganho pelo ciclista Aser Estevez (do conjunto CC Spol Caixanova) com um tempo de 5m01s, tendo Baltazar gasto mais 4 segundos que o vencedor.

    A 22 de Julho correu-se a 1ª etapa, a qual ligou Reguengos de Monsaraz a Vendas Novas, numa distância de 158 km, tendo a vitória sorrido a Fábio Palma (corredor da Crédito Agrícola), que cortou a meta isolado com 28 segundos de vantagem (efectuou um registo de 4h21m16s) sobre o pelotão liderado por Marco Cunha, o qual começaria aqui a destacar-se ao ter cortado a meta na 2ª posição.

    A confirmação do corredor da turma sobradense como candidato à vitória nesta Volta ocorreria um dia mais tarde, na 2ª etapa, a qual ligou Cartaxo a Condeixa-a-Nova numa distância de 143.9 km. Cunha, de 22 anos, venceria a etapa ao “sprint” com um registo de 3h22m26s e arrebataria desta forma a camisola amarela ao anterior líder, Fábio Palma.

    O sobradense consolidou a posição de líder da 17ª Volta a Portugal do Futuro e da classificação por pontos ao conquistar (com um tempo de 3h10m33s) a segunda vitória consecutiva, impondo-se ao “sprint” na meta instalada em Águeda, final da terceira etapa que se iniciara em Condeixa-a-Nova, com um total de 127,6 quilómetros.

    A 24 de Julho correu-se a 4ª etapa, numa ligação entre Águeda e Arouca, numa distância de 128.8 km, tendo Marco Cunha feito... um “hattrick”. Pois é, o corredor da UCS conquistaria a sua terceira vitória consecutiva na VPF, e novamente ao sprint, desta vez com uma marca de 3h40m33s. Esta seria a etapa-rainha da competição devido às grandes dificuldades surgidas principalmente na travessia da Serra de S. Macário, o que tornou a média do dia particularmente baixa – 35, 040 Km/h registados nos 128,8 quilómetros iniciados em Águeda. Marco Cunha aumentava assim para 31 segundos a distância que o separava em relação ao 2º classificado, precisamente um colega seu de equipa, Bruno Silva, e por esta altura só uma catástrofe impedira a UCS de festejar a vitória final na VPF.

    A CONSAGRAÇÃO

    EM OLIVEIRA

    DO BAIRRO

    foto
    Catástrofe essa que não se verificou e o último dia de corrida (26 de Julho) foi mesmo de consagração para os ciclistas orientados por José Barros, o qual viu o seu pupilo Carlos Baltazar vencer a derradeira etapa da VPF de 2009 – corrida entre Arouca e Oliveira do Bairro numa distância de 128.7 km – agora com um registo de 3h11m38s, seguido do seu companheiro de equipa Marco Cunha, o qual cortou a meta também com o mesmo tempo.

    Este último ciclista sobradense consagrava-se desta forma o grande vencedor de uma prova que colectivamente foi ganha, como frisámos no início, pela Aluvia/Valongo/União Ciclista de Sobrado, com um tempo de 53h36m10s, deixando a 2ª classificada, a turma do Santa Maria da Feira-E.Leclerc-Moreira Congelados, a 5m29s.

    A classificação geral dos pontos, essa seria ganha também por Marco Cunha, como igualmente já haviámos mencionado, que fez um total de 120 pontos, sendo que também aqui a Aluvia/Valongo//União Ciclista de Sobrado brilhou, pois os 2º e 3º posicionados da classificação final foram ciclistas seus, respectivamente Carlos Baltazar e Bruno Silva.

    Este último corredor da Aluvia/Valongo/União Ciclista de Sobrado ficaria ainda no 3º lugar da classificação geral do Prémio de Montanha, com 13 pontos.

    Por: Miguel Barros

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: [email protected].