Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-12-2020
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-06-2006

    SECÇÃO: Destaque


    O mérito

    Uma cidade e as suas entidades públicas, tem o dever de prestar homenagens e agraciar pessoas ou entidades que desenvolvam ou tenham desenvolvido, acções de mérito, em prol da comunidade. Ermesinde e as suas entidades públicas, há muito tempo que deveriam desenvolver esforços para suprir esta lacuna.

    No último mandato autárquico e logo no seu princípio, apresentou o Partido Comunista Português no executivo da Junta de Freguesia um projecto de regulamento de atribuição de medalhas de mérito e também uma proposta da comemoração do dia da Cidade. Este projecto, bem como a proposta, viu reunião após reunião, protelada a sua aprovação, sendo quase no fim de mandato tudo isto aprovado, com o senão de o regulamento de atribuição de uma medalha de mérito, ter sido amputado da proposta original.

    Estes títulos de mérito devem merecer das entidades que os promovem e atribuem, o máximo cuidado, rigor e sentido de ética.

    Não é correcto, nem de bom senso, que o executivo da Junta de Freguesia de Ermesinde, numa reunião apressada e sem trabalho preparatório, tenha decidido aprovar uma proposta para aprovação posterior da Assembleia de Freguesia, de entrega de medalha de mérito.

    Mais incorrecto foi, depois das divisões dos membros do Executivo quanto à proposta apresentada, que isto tenha sido tornado público e o nome de pessoas e entidades sejam lançadas para a praça pública, sem a salvaguarda devida e podendo, de futuro, criar constrangimentos na aceitação de pessoas ou entidades, desta distinção.

    Consta no dito regulamento, que é da competência da Assembleia de Freguesia nomear uma comissão para esta elaborar a proposta da distinção de pessoas ou entidades a agraciar, custa-me a perceber o porquê de esta metodologia não ter sido seguida.

    Não tenho dúvidas, que se obrigasse a alguns senhores que apresentaram as várias proposta no executivo da Junta, a fazer uma descrição das pessoas que queriam agraciar e as obras prol da comunidade por eles desenvolvidas, o resultado seria o desconhecimento total.

    É por isso que todo o cuidado é pouco na atribuição destas distinções e, por tal motivo, seria de bom de senso, convidar pessoas como o Dr. Jacinto Soares, a Arqª. Fernanda Lage e outras com este perfil, para integrar esta comissão de atribuição de títulos honoríficos.

    São pessoas conhecedoras da história de Ermesinde e das suas gentes e, certamente, o resultado e a forma seriam completamente diferentes, do que aquilo que aconteceu na reunião da Assembleia de Freguesia do dia 26 de Junho, com a divulgação e confusão criada na apresentação das várias propostas.

    Por último, não posso deixar de dizer que fiquei bastante surpreendido ou talvez não, que das várias pessoas propostas, um homem tivesse sido esquecido.

    Este homem, a quem presto a minha homenagem, já foi agraciado, entre outras distinções, pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ermesinde, pelo Centro Social de Ermesinde, pelo Clube de Propaganda de Natação e pela Câmara Municipal de Valongo, sendo no entanto a maior homenagem que este Homem recebeu, aquela que o povo de Ermesinde lhe prestou no dia da sua despedida desta terra para o seu Céu.

    Por isso pergunto, para quando a justa homenagem a este homem pelas entidades públicas da Cidade de Ermesinde?

    Por: José Caetano*

    * Ex-Presidente da Assembleia de Freguesia de Ermesinde

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.