Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-03-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 15-06-2006

    SECÇÃO: Destaque


    Foto MANUEL VALDREZ
    Foto MANUEL VALDREZ
    O MELHOR DO MUNDO SÃO AS CRIANÇAS

    O dia em que os mais novos foram os reis da festa

    E porque o melhor do mundo são, sem dúvida alguma, as crianças, celebrou-se no passado dia 1 de Junho o Dia Mundial da Criança. Um pouco por todo os país as ruas, avenidas ou parques ganharam neste dia um colorido e uma agitação fora do habitual, consequência da alegria transmitida pela pequenada.

    Na Cidade de Ermesinde este cenário não fugiu à regra, com o palco central da festa a ser de novo o parque urbano, local onde se reuniram largas centenas de crianças oriundas de vários jardins-de-infância e escolas da freguesia a fim de desfrutarem de um dia inesquecível repleto de surpresas e de brincadeiras. E assim foi.

    Bem cedo o parque foi invadido, no bom sentido, pela boa disposição dos mais pequenos. À sua espera estavam então algumas surpresas e actividades bem divertidas, sendo aqui de destacar as pinturas realizadas em telas gigantes de papel ou as pinturas em garrafas de vidro. Uma oportunidade para os mais criativos darem asas à sua imaginação. E foram muitos, diga-se de passagem, os que resolveram pegar no pincel e colocar o seu cunho pessoal neste tipo de actividade. Os jogos tradicionais também não faltaram, com realce para a “Galinha dos Ovos de Ouro”, um divertido jogo onde o objectivo era introduzir uma pequena bola nos buracos espalhados pelo corpo da galinha.

    Tudo isto acontecia paralelamente às não menos divertidas brincadeiras protagonizadas pelo palhaço que sempre que abria a boca provocava de imediato a gargalhada na criançada.

    No entanto, não poderíamos deixar passar a oportunidade para referir que o evento deste ano – organizado pela Câmara Municipal de Valongo – ficou um pouco aquém das expectativas. Em relação a anos anteriores o programa deste ano foi ligeiramente mais pobre, uma opinião bem expressa por alguns pais e professores que acompanhavam os pequenos “reis da festa” nesta jornada. “São os efeitos dos cortes no orçamento da Câmara de Valongo”, ouvia-se aqui e ali da boca de progenitores e professores. Diga-se, aliás, que se não fossem as actividades levadas a cabo por duas ou três escolas e/ou outras instituições acolhedoras de crianças, este dia quase que passaria despercebido. Foi o caso do Centro Social de Ermesinde (CSE), que marcou presença neste dia festivo com uma pequena banca de brinquedos, cujas vendas revertiam para o Lar de S. Lourenço. Uma banquinha que esteve sempre muito animada e movimentada. E por falar em CSE refira-se que não foram apenas as crianças que frequentam a instituição a participar nas festividades, pois também os utentes do Lar de S. Lourenço puderam divertir--se à grande com uma peça de teatro protagonizada pelos também utentes do Centro de Dia da Casa do Povo de Ermesinde levada à cena durante a tarde na Casa de Espectáculos do fórum cultural.

    Um dia deveras bem passado quer para os mais novos quer também para os mais graúdos, e só é pena que dias como este não se repitam mais vezes durante o ano, porque sem o “colorido” de uma criança o mundo seria, certamente, um imenso deserto “cinzento” repleto de amarguras e tristezas. Disso não há dúvida.

    Por: Miguel Barros

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.