Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-04-2022
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-08-2005

    SECÇÃO: Destaque


    CANDIDATA COMENTOU “DESAIRES” DO MUNICÍPIO VALONGUENSE

    Cabeça-de-lista do PS à Câmara visitou Mercado de Ermesinde

    A candidata socialista à presidência da Câmara Municipal de Valongo esteve no final do mês de Julho de visita ao Mercado de Ermesinde, local onde conversou com os feirantes.

    FOTOS: Manuel Valdrez
    FOTOS: Manuel Valdrez
    No final da visita, num café próximo, Maria José Azevedo teceu algumas críticas ao estado de degradação da infra-estrutura e ao trabalho do actual Executivo no que respeita às recentes perdas do lugar de Ramalho a favor do concelho de Gondomar e da Escola Superior de Hotelaria para o concelho de Vila do Conde.

    Maria José Azevedo, acompanhada de uma pequena comitiva socialista (Jorge Videira, Carlos Ricardo, Tavares Queijo), ouviu as queixas dos feirantes, obrigados a trabalhar em condições muito deficientes e a pagar taxas superiores a outros comerciantes no exterior do mercado e no final, considerou «péssimas» para quem vende e para quem compra, as condições, «terceiro-mundistas» do Mercado de Ermesinde, recordando as promessas de renovação e até construção de um novo.

    foto
    A candidata prometeu que com ela na Câmara Municipal, o Mercado será requalificado para dar lugar a um novo, num investimento que previu ser da ordem dos 1,3 a 1,5 milhões de euros, declarando ser seu objectivo candidatar o projecto a financiamentos de programas de reabilitação urbana.

    Ao mesmo tempo, MJ Azevedo inseriu o projecto num programa mais vasto de intervenção na zona da Gandra, para a qual prevê, caso assuma a presidência da Câmara, «pequenas intervenções no tecido urbano, cerzindo as zonas de construção intensiva com pequenas áreas de lazer, recantos desportivos informais» e criação de zonas verdes onde for possível.

    A PERCA DO LUGAR DE RAMALHO PARA GONDOMAR

    Já no exterior do Mercado, num café das imediações, a candidata comentou a recente entrega do lugar de Ramalho a Gondomar, de acordo com uma pretensão antiga da sua população, declarando que não deixará «de pugnar para que a situação seja revista ou que, pelo menos, a freguesia e o concelho sejam ressarcido com contrapartida em território», como terá sido proposto «e bem», pelo presidente da Junta de Valongo.

    Maria José Azevedo acusou a Câmara de Valongo de se alhear do problema. A candidata recordou ainda o facto de Gondomar ter começado a reclamar, «segundo os jornais», «parte da Serra de Santa Justa, Pias e a aldeia de Couce».

    A PERCA DA ESCOLA DE HOTELARIA

    Maria José Azevedo considerou também que a perca da Escola Superior de Hotelaria a favor de Gondomar se devera a pouca capacidade reivindicativa do actual Executivo camarário. «...Quem tem capacidade de luta e poder de reivindicação é que consegue os equipamentos geradores de emprego, de centralidade e de qualidade de vida.

    Do lado da Câmara de Vila do Conde houve essa capacidade. Deste lado, não. Logo, o Concelho de Valongo perdeu».

    Por: AVE

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.