Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 25-06-2024
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-05-2024

    SECÇÃO: Local


    CORREIO DO LEITOR

    A Vila Beatriz vai ficar nua?

    foto
    A imagem em anexo dá nota do último “ataque” de que foi vítima a Vila Beatriz. Se pode ser inquestionável a inevitabilidade do abate de algumas árvores, em virtude da sua idade, inquestionável é também verificar que nada tem sido feito para cuidar da sua substituição.

    Fácil se torna constatar – as marcas ainda estão no terreno – que, no espaço que inclui a piscina e o skate parque, quase meia centena de árvores foram abatidas nos últimos tempos, maioritariamente na parte nascente (lado da biblioteca). A estas, há que acrescentar mais umas tantas que foram “amputadas” e que, tão cedo, não darão um metro de sombra.

    Só quem anda muito distraído é que não se apercebe da importância deste espaço, único na cidade. Especialmente no período que agora se inicia e que se estende até ao fim de verão, é local escolhido por muitos, para convívios, merendeiros, festas, comemorações de aniversários e outras atividades lúdicas, que as sombras das suas árvores proporcionam.

    Em contraste com este descuido – ou será desprezo? – é possível verificar que, no espaço onde está a nascer “A Casa da Democracia Local de Valongo”, já muitas árvores vão crescendo, devidamente protegidas das movimentações de camiões e restante maquinaria.

    Por último, lembra-se que as intempéries de outubro passado, que derrubaram algumas árvores, danificaram seriamente parte do gradeamento e meia dúzia de candeeiros que, até ao momento não foram reparados. Também as (quatro) mesas, de que muita gente se serve para ler o jornal ou tomar as suas refeições, foram arredadas do seu local e tardam em regressar ao sítio original.

    Não será altura de se olhar com a dignidade merecida para a Vila Beatriz? A manter-se tudo como até aqui, é grande o risco de, em breve, termos a Vila Beatriz nua. De árvores e de pessoas.

    Nota: O leitor Alfredo Silva envio-nos posteriormente a este texto uma outra nota, dando conta do envio desta missiva, no dia 22 de abril, ao Departamento de Logística, Higiene Urbana e Manutenção da Câmara de Valongo, ao que este, dois dias depois, acusou a receção do e-mail, registado com o número E15827, informando que o mesmo foi “reencaminhado para os respetivos serviços técnicos”.

    Alfredo Silva no seguimento deste contacto informou o nosso jornal de que: «Entretanto, a 9 de maio, foram reparados os candeeiros danificados pelas intempéries, o que fez supor que alguém tinha tomado o assunto a sério. Expectativas goradas, no entanto, já que tudo o resto se mantém. Até quando? É a pergunta! Já que a substituição das árvores está a ser atirada para as calendas, que se aproveitem ao menos as que restaram, colocando as mesas no seu local original».

    Alfredo Silva - CC n.º 02726045

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: [email protected].