Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-04-2024
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-07-2023

    SECÇÃO: Destaque


    FEIRA DO LIVRO DO CONCELHO DE VALONGO

    Apresentação do Livro da Agorárte e exibição de “Cantigas d’Ouvido”

    Fotos MANUEL VALDREZ
    Fotos MANUEL VALDREZ
    No Espaço Livro, completamente cheio, presidente e vice-presidente da Agorárte, Manuel Dias e Ilda Pinheiro, respetivamente, fizeram a apresentação do livro “Agorárte – 20 anos ao serviço da cultura em Ermesinde (2003-2023)”, que narra, em mais de 200 páginas, a história destas duas primeiras décadas da associação cultural ermesindense que tutela a Universidade Sénior da nossa cidade.

    O autor da publicação apresentada é também o atual presidente da Agorárte e este é o seu 30.º livro, havendo no entanto alguns em coautoria, como é por exemplo o caso de “Ermesinde – Registos Monográficos” (em 2 volumes), escrito com o saudoso Manuel da Conceição Pereira.

    Depois de fazer a apresentação do autor, Ilda Pinheiro conduziu a sessão colocando algumas perguntas a Manuel Dias, que serviram para dar a conhecer o conteúdo do livro, mas também a Agorárte e a sua principal valência, a Universidade Sénior de Ermesinde.

    O autor lembrou que a Agorárte, nos primeiros dois anos se chamou Ágora, inspiração da praça central da cidade de Atenas onde tudo se passava na Antiguidade Clássica: decisões políticas, reflexões filosóficas, lições dos mestres, julgamentos, celebrações festivas.

    Recordou que o “Ágora” nasceu no dia mundial da poesia do ano 2003, no auditório da Escola Secundária de Ermesinde, que tem sido desde sempre uma das suas parceiras.

    Para além da poesia, a Agorárte tem-se empenhado em muitos outros eventos de carácter cultural como sejam a realização de conferências, palestras e seminários, bem como a promoção de visitas de estudo a vários pontos do país, comemorações, evocação de escritores e poetas.

    O livro, como não podia deixar de ser, dá particular destaque à Universidade Sénior de Ermesinde, sem dúvida, a principal valência da Agorárte. Fundada em março de 2010, já leva mais de 13 anos de existência, sempre em grande crescimento e dinamismo.

    No último ano letivo, matricularam-se cerca de centena e meia de alunos, aos quais foram disponibilizadas três dezenas de disciplinas, de todas as áreas do conhecimento: desde as línguas (Inglês, vários níveis; francês; português; italiano), passando pela História (local e regional, contemporânea, da arte e do património), pelas artes (pintura e desenho, artes decorativas, rendas e bordados, e arraiolos), pelas ciências e conhecimento (economia, cultura geral, sociedade e cidadania, Portugal culto e oculto e saúde e envelhecimento ativo), pelas tecnologias (informática e fotografia), pela música (cantigas d’ouvido, adufeiras, cante norte, cavaquinho, viola), pela dança (danças tradicionais), pela ginástica (yoga, tai-chi, ginástica e hidroginástica) e pelo teatro e poesia (ÁgoraTeatro).

    foto
    Entre muitos outros assuntos abordados, falou-se dos projetos para o imediato, estando entre eles conseguir do Governo a Declaração de Instituição de Utilidade Pública, para a Agorárte, que bem a merece pelo serviço social que vem prestando a grande parte da população sénior de Ermesinde, voltar a ter o mesmo número de estudantes do período anterior à pandemia, aumentar a oferta de disciplinas e criar uma Tuna para a USE.

    Foram também ventiladas outras valências da Agorárte, como sejam os “Jograis do Leça” dedicados à poesia e à música que já produziram dois bons espetáculos multimédia, de divulgação da boa poesia e da história lusitanas e o “Ermes” que é o atual grupo de pedestrianismo da Agorárte, que estimula caminhadas que também valorizam a componente cultural.

    O livro “Agorárte – 20 anos ao serviço da cultura em Ermesinde (2003-2023)” é o registo dos primeiros 20 anos de vida desta associação de âmbito cultural. Aí, o público em geral e os associados, podem ficar a conhecer a génese da Agorárte, os seus Estatutos, os Corpos Gerentes, a Atividade que vem desenvolvendo em prol da cultura e a Universidade Sénior de Ermesinde da fundação ao momento presente.

    A seguir à sessão de autógrafos do autor do livro, todo o público se transferiu para o Palco Principal, onde se exibiu com o agrado geral da assistência, o grande grupo coral da Universidade Sénior de Ermesinde, Cantigas d’Ouvido, dirigido pelo maestro Manuel Friães.

    Cantigas d’Ouvido interpretou os seguintes temas do seu repertório: A roupa do marinheiro, Ó macieira do adro, Meu bem, S. João à minha porta, Foste ao correr da água, Ó andorinha ligeira, Loureiro, verde loureiro, Marcela, marcelinha, Dizem que já não há cravos, Eu hei-de ir à segada e Mariquinhas, olha o gaio. Como o público insistiu no pedido de “mais uma!”, “mais uma!” ainda foi cantada Bai-te labar Morena!

    E, assim, acabou com chave de ouro, a participação da USE/Agorárte na XXVIII edição da Feira do Livro do Concelho de Valongo.

    foto
    .

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: [email protected].