Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-05-2024
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-07-2023

    SECÇÃO: Destaque


    FEIRA DO LIVRO DO CONCELHO DE VALONGO

    Afonso Cruz e Capicua recebem em Ermesinde o Prémio Ibérico Álvaro Magalhães

    Foto CMV
    Foto CMV
    Julho é por tradição o mês em que o Parque Urbano de Ermesinde é palco da Feira do Livro do Concelho de Valongo. O evento deste ano decorreu entre os dias 13 e 23 de julho, e como é também habitual o nosso jornal esteve presente com uma banca, sendo que este ano o fizemos em parceria com a Agorárte/Universidade Sénior de Ermesinde. Para além de livros (naturalmente) a feira foi composta por um vasto cartaz de animação (sendo que nesta edição damos nota de alguns apontamentos musicais ali ocorridos), contando ainda com uma mostra de artesanato de vários pontos da região.

    Mas o foco principal da feira é o livro, e neste caso um dos grandes momentos da edição deste ano foi a entrega do galardão afeto à 1.ª edição do Prémio Ibérico Álvaro Magalhães, de literatura infantojuvenil. Os escritores Afonso Cruz e Capicua foram então os primeiros vencedores deste prémio, o qual foi entregue no dia de encerramento da Feira do Livro pela vice-Presidente da Câmara Municipal de Valongo, Ana Maria Rodrigues, numa cerimónia que contou com a presença do patrono do prémio Álvaro Magalhães e com a escritora Adélia Carvalho.

    Com o livro “A Flor e o Peixe”, editado em 2022 pela Companhia das Letras, Afonso Cruz foi distinguido por unanimidade pelo júri, composto pelos escritores Álvaro Magalhães e Adélia Carvalho (que é também curadora do festival Onomatopeia), pela professora universitária Lourdes Pereira e pela ilustradora e editora Marta Madureira.

    O júri deliberou também atribuir uma menção especial à autora Capicua pela obra “Mão Verde II”.

    O autor da obra vencedora recebeu um prémio monetário de 5000 euros e o da menção especial um prémio de 1000 euros.

    Criado pela Câmara Municipal de Valongo, em parceria com a editora Tcharan, no âmbito da iniciativa Onomatopeia – Festival de Literatura Infantojuvenil, «o Prémio Ibérico Álvaro Magalhães tem como propósito homenagear o escritor Álvaro Magalhães pelo seu contributo para a valorização e promoção da literatura infantojuvenil de qualidade. Ao mesmo tempo, com a criação deste prémio, o Município de Valongo pretende incentivar a criatividade literária, fomentar o gosto pela leitura e pela escrita nas línguas portuguesa e espanhola, bem como divulgar e promover o festival Onomatopeia – Festival de Literatura Infantojuvenil de Valongo, que se realiza anualmente no concelho de Valongo», explicou a autarquia.

    Para a primeira edição do Prémio Ibérico Álvaro Magalhães tinham sido selecionados cinco finalistas, entre 95 obras portuguesas e espanholas a concurso, nomeadamente, “A flor e o peixe”, de Afonso Cruz, “Mão Verde II”, de Capicua, “Os reis do mar”, de David Machado, “Filas de sonhos”, de Rita Sineiro, e “A minha mãe é a minha filha”, de Valter Hugo Mãe.

    foto
    .

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: [email protected].