Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-11-2022
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-10-2022

    SECÇÃO: Desporto


    FUTEBOL

    Ermesinde 1936 tarda a encontrar o caminho das vitórias

    Não há maneira de a principal equipa do Ermesinde 1936 encontrar o caminho das vitórias na Série 2 da Divisão de Elite da Associação de Futebol do Porto (AFP). Neste mês de outubro – e até ao fecho desta edição, o que aconteceu no passado dia 27 – a turma de Sonhos o melhor que conseguiu foi um empate. Isto, em quatro jogos disputados, tendo nos restantes averbado três derrotas, sendo que uma delas até foi a mais pesada da temporada, até à data. Factos que fazem com que os pupilos de Vítor Leal ocupem por esta altura a zona de despromoção, isto é, o 15.º posto, com três pontos somados, numa série que é liderada de forma isolada pelo Marco 09, com 22 pontos. Outro facto que começa a causar alguma preocupação entre a massa adepta do clube verde-e-branco, é que o Ermesinde 1936 é a única equipa da Série 2 que ainda não conseguiu qualquer vitória! Vejamos então o trajeto dos ermesindistas durante o mês de outubro no principal escalão da AFP.

    Fotos MANUEL VALDREZ
    Fotos MANUEL VALDREZ
    A viagem ao reduto do Vila Caiz – no último domingo (23 de outubro) - saldou-se pela derrota mais pesada até à data para a turma da nossa cidade em jogos a contar para o campeonato, 4-1 a favor do conjunto do concelho de Amarante. A goleada começou a ser construída a meio do primeiro tempo, aos 27 minutos, altura em que Dani bateu Sérgio Carneiro pela primeira vez. Em cima do intervalo os visitados ampliaram a vantagem, por intermédio de Zidane. Na etapa complementar, Ronaldo Cruz praticamente colocou um ponto final no encontro, quando aos 52 minutos fez o 3-0, de pouco valendo o tento de Herdeiro para o Ermesinde 1936. Já na reta final, ao minuto 83, Zidane bisou e estabeleceu o resultado final de um encontro – alusivo à 8.ª jornada - onde as esquipas alinharam da seguinte forma: Vila Caiz: Alex Reis, Carlos, Dani, Rui Cunha, Flecha, Léo Coca (Innocent, 65), Frazão (Luís Ribeiro, 84), João António, Zidane (Vítor Ribeiro, 84), Kell (Lula, 65) e Ronaldo Cruz (Luís Catão, 84). Treinador: José Oliveira.

    Ermesinde 1936: Sérgio Carneiro, Zinho (Cláudio, 67), Pepe, Pedro Castro, João Machado (Rafael Rito, 46), Diogo Almeida (Edgar, 59), Palhares (Cláudio Neves, 59), Ricardo Pinto, Diogo Cunha, Mubarak e Herdeiro. Treinador: Vítor Leal.

    REGRESSO AOS SONHOS COM NOVO PESADELO

    No dia 16 de outubro o Ermesinde 1936 regressou a casa, o mesmo é dizer ao Estádio de Sonhos, após cumprir três jogos de castigo fora do seu recinto, realizados em “casa emprestada”, os dois primeiros na Senhora da Hora e o último em Águas Santas. Pela frente, em jogo da 7.ª jornada, os ermesindistas tiveram o Freamunde (jogo das imagens). E não correu nada bem a partida ao emblema da nossa cidade, que seria derrotado por 1-3. O primeiro golo surgiu muito cedo, iam decorridos apenas 13 minutos e nasceu de um lance ofensivo do Freamunde com Nuno a bater Marino, já na pequena área. Não demorou muito a alegria forasteira, porque Diogo Cunha conseguiu empatar cinco minutos depois, tendo-se isolado em corrida e batido, sem apelo nem agravo, o guarda-redes Brandão. Mas como ambas as equipas buscavam os três pontos, o Freamunde não se ficou e, aos 26 minutos, Marino viu-se obrigado a defender fora da área com a mão, sendo assinalado livre e mostrado o respetivo cartão amarelo. Felizmente da cobrança do livre, por Polo, não resultou golo porque a bola passou ligeiramente acima da trave. O Ermesinde 1936 ainda ripostou, por intermédio do capitão Herdeiro, que aos 35 minutos, bem posicionado, chutou à baliza, mas o remate saiu fraco e foi facilmente defendido pelo guardião visitante. Melhor esteve o Diogo Martins que ainda antes de ir para o intervalo, conseguiu recolocar a sua equipa a ganhar, na sequência de um lance de bola parada, com o esférico a embater num defesa local e a impedir Marino de defender.

    No segundo tempo, Vítor Leal colocou Palhares em jogo (e fez outras alterações), o Ermesinde 1936 foi tentando a sua sorte, aqui e ali, mas foi o Freamunde que consolidou a vitória a cinco minutos do fim do tempo regulamentar com um golo de Edu. As equipas alinharam da seguinte maneira: Ermesinde 1936 Marino, Zinho (Cláudio, 80), Pepe, Pedro Castro, Miguel Rosa, Diogo Almeida, Carlitos (Palhares, 46), Edgar (André Rocha, 60), Cláudio Neves (Mubarak, 80), Diogo Cunha e Herdeiro.

    Treinador: Vítor Leal.

    Freamunde: Brandão, Carlão, Xandão, Nuno, Huguinho, Vaqueiro (Korta, 70), Diogo Martins, Edu, Guzman (Henrique, 88), Rafinha (Sousa, 70) e Polo (Migas, 88).

    Treinador: Tonanha

    foto
    INFELICIDADE EM LORDELO

    Uma semana antes, na tarde de 9 de outubro, o Ermesinde 1936 viajou até ao reduto do atual segundo classificado desta Série 2, o Aliados de Lordelo. As teóricas dificuldades desta deslocação viriam a confirmar-se no resultado final: 2-0 a favor dos lordelenses.

    Em cima do intervalo um lance infeliz de Herdeiro deu vantagem aos da casa, com o avançado ermesindista a marcar na baliza errada. A cinco minutos do final Silvério selou a vitória da sua equipa.

    As equipas jogaram com: Aliados de Lordelo: Coelho, Mário Sérgio, Matheus Borges, José Vilaça, João Moreira, Artur Pacheco (Michel, 75), Carlão, João Dias (Nuno Andrade, 65), Paul Freitas (Bruno Silva, 65), Gaston (Rúben Pedroso, 85) e Silvério. Treinador: Calica.

    Ermesinde 1936: Marino, Zinho (Mubarak, 86), Pepe, Pedro Castro, Miguel Rosa (Rafael Rito, 86), Ricardo Pinto (Palhares, 46), Carlitos (João Fernandes, 73), Edgar, Cláudio Neves (Cláudio Gonçalves, 73), Diogo Cunha e Herdeiro. Treinador: Vítor Leal.

    O ÚNICO PONTO DO MÊS

    O mês que agora finda teve início com a conquista do único ponto das últimas quatro jornadas do campeonato por parte do clube da nossa terra. Facto consumado no Complexo Desportivo de Águas Santas, “casa emprestada” do Ermesinde 1936 para este jogo da 6.ª ronda, realizada no dia 2.

    Na primeira parte os ermesindistas tardaram a encontrar-se e, por isso, não surpreendeu que o visitante se adiantasse no marcador, logo aos 11 minutos, quando o avançado brasileiro, Pedro Amorim do lado esquerdo do seu ataque conseguiu desfeitear o guardião ermesindense. A equipa visitada reagiu conforme pôde e aos 35 minutos os locais reivindicaram uma grande penalidade que o árbitro não sancionou. Ainda antes do intervalo, Mena obrigou Marino a aplicar-se para não sofrer o segundo.

    Depois do intervalo, o Ermesinde 1936 mostrou-se mais determinado em pontuar e atacou de forma mais insistente conseguindo empatar próximo do fim do jogo, ao minuto 85, com um golo muito semelhante ao do Barrosas, lado esquerdo do ataque, Diogo Cunha rematou bem, a bola bateu na base do poste esquerdo da baliza defendida por Luís e entrou. Este encontro ficou ainda marcado por duas expulsões, uma para cada lado, Mena aos 70 minutos para o Barrosas, e já em tempo de compensação foi a vez do ermesindista Diogo Almeida ir mais cedo para o banho.

    As equipas jogaram da seguinte maneira: Ermesinde 1936: Marino; Pepe, Marcelo (Edgar, 22), Pedro Castro, Tiago Teixeira (Zinho, 46), Miguel (Palhares, 75), André (Carlitos,75), Diogo Almeida, Cláudio Neves (Cláudio Gonçalves, 65), Diogo Cunha e Herdeiro. Treinador: Vítor Leal.

    Barrosas: Luís; Tiaguinho, Perry, Carlão (Rúben, 46), Vítor, Renilson, Rui Moreira (Luís Henrique, 75), Pedro Amorim, Miguelito, Celso (Igor, 75) e Mena. Treinador: Hélder Silva.

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.