Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 20-07-2022
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-11-2021

    SECÇÃO: Últimas


    Câmara de Valongo reduz IMI em 2,5%

    foto
    A Câmara Municipal de Valongo anunciou que «vai iniciar a redução progressiva do IMI até chegar à taxa de 0,35%, valor inferior ao praticado em 2013, ano em que se iniciou o atual ciclo governativo. A primeira redução de 2,5% terá lugar após a aprovação (tendo em conta que o PS tem a maioria no executivo e como tal a proposta será viabilizada) da proposta de fixação do IMI para 2022, na reunião de câmara agendada para esta quinta-feira, dia 9 de novembro, às 10h30.

    Ainda segundo a autarquia, «a proposta de fixação das taxas de IMI para o ano de 2022 mantém as reduções em função do número de dependentes do agregado familiar: 20 euros (para um dependente), 40 euros (para dois) ou 70 euros (para três ou mais); bem como as majorações para imóveis degradados que não cumpram satisfatoriamente a sua função ou façam perigar a segurança de pessoas e bens (mais 30%), para prédios rústicos com áreas florestais em situação de abandono (para o dobro) e para prédios que se encontrem devolutos ou em ruínas há mais de um ano (para o triplo)».

    Além da redução da taxa de IMI que em 2022 será fixada em 0,38% para os prédios urbanos, será também aplicada a taxa reduzida de 1% para empresas que este ano tenham um volume de negócios inferior a 150.000€.

    «Em tempos difíceis e de incerteza, este é um forte sinal de esperança que damos às famílias e às empresas. Esta redução dos impostos só é possível, fruto da gestão rigorosa dos recursos públicos que implementamos nos dois últimos mandatos e que nos permite abdicar de uma percentagem significativa de receita», considera o presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, recordando ainda que a carga fiscal no concelho de Valongo «é uma das menores da região Norte».

    «É a ajuda possível e que estamos em condições de dar às famílias e às empresas do nosso concelho. Uma alteração radical dos impostos só serviria para comprometer a nossa capacidade de investir e de redistribuir os parcos recursos públicos de forma equilibrada e com justiça social», salienta o autarca.

    A Câmara lembra que «em período pandémico, esta é a segunda redução do IMI. No ano passado, o Executivo também reduziu significativamente a taxa de IMI e da derrama, considerando a situação sem precedentes provocada pela covid-19, que diminuiu drasticamente o rendimento de muitas famílias e empresas».

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.