Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 20-10-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-06-2021

    SECÇÃO: Local


    Já foi constituída a “Corredor do Rio Leça - Associação de Municípios”

    Foto CMV
    Foto CMV
    Os presidentes das Câmaras Municipais de Santo Tirso, Matosinhos, Valongo e Maia assinaram no passado dia 31 de maio a constituição da Corredor do Rio Leça -Associação de Municípios. A associação de municípios tem por objetivos a despoluição, reabilitação ecológica e valorização paisagística, cultural e socioeconómica de todo o território do Corredor Verde do Leça, desde a nascente até à foz. Visa, também, a promoção de conhecimento, novas oportunidades de mobilidade suave, lazer e estadia ao longo do rio, sensibilização ambiental, valorização do contacto com a natureza, dos serviços de ecossistema e da vida ao ar livre.

    O ato de constituição da associação intermunicipal decorreu no salão nobre dos Paços do Concelho de Santo Tirso. Na ocasião, foram ainda empossados todos os órgãos sociais da associação. Américo Aguiar, Bispo Auxiliar de Lisboa, é o presidente da Assembleia Geral.

    A Corredor do Rio Leça - Associação de Municípios é a primeira associação intermunicipal do país a ter como objetivo a recuperação de um rio, dedicando-se a partir de agora à gestão, execução e manutenção do plano estratégico de recuperação do Rio Leça.

    José Manuel Ribeiro, presidente do Município de Valongo, salientou que «numa área metropolitana, promover infraestruturas verdes periurbanas, como o Parque das Serras do Porto e o Corredor do Rio Leça, é extremamente importante, dados os benefícios ambientais, culturais, económicos, turísticos e outros, imprescindíveis ao bem-estar da população, ao longo de gerações».

    Para o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Alberto Costa, «o rio Leça está intrinsecamente ligado à identidade de Santo Tirso e é, por isso, inegável a importância da estratégia em rede que agora concretizamos». «Preservar os recursos hídricos, apostar na conservação da natureza e promover o potencial cultural, arqueológico e histórico de um rio que nasce no Município de Santo Tirso tem, para nós, um importante significado simbólico e, ao mesmo tempo, representa um forte investimento na melhoria da qualidade de vida das populações», acrescentou.

    A presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Salgueiro, congratulou-se com a obra que está já em curso no concelho, realçando o impacto ambiental significativo que já se verifica no troço intervencionado. «Só em Matosinhos, são 18 quilómetros de ciclovias e caminhos pedonais devolvidos à população, sendo que a primeira fase do projeto, numa extensão de 7 quilómetros, está praticamente concluída». «Esta obra vai revolucionar a qualidade ambiental de toda a região do vale do Leça, promovendo ainda o acesso à rede de transportes públicos através da utilização de modos suaves de mobilidade», acrescentou a autarca.

    António Silva Tiago, presidente da Câmara Municipal da Maia, sublinhou que «todo o percurso desenvolvido até aqui pelos quatro municípios dá-nos a certeza de que a despoluição e a fruição do rio Leça pelas populações vão ser uma realidade. O Leça é estratégico para o território».

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.