Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-07-2020
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-06-2020

    SECÇÃO: História


    foto
    ACONTECEU HÁ UM SÉCULO (15)

    Entronização da Imagem de Nossa Senhora de Fátima

    IMAGEM DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA, NA CAPELINHA DAS APARIÇÕES
    IMAGEM DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA, NA CAPELINHA DAS APARIÇÕES
    A Imagem original de Nossa Senhora de Fátima foi entronizada na Capelinha das Aparições há um século, que se comemorou em meados deste mês, mais concretamente no dia 13 de junho. A escultura de Nossa Senhora de Fátima, com cerca de 104 centímetros, que ainda hoje se encontra naquela Capela é da autoria de José Ferreira Thedim que a produziu na Casa Fânzeres, de Braga, por encomenda do fervoroso católico torrejano, Gilberto Fernandes dos Santos, que a levou até Fátima. Essa imagem, de que se fizeram milhares de réplicas, de todos os tamanhos, tem atraído milhões de peregrinos à Cova da Iria, desde as pessoas mais simples do povo, às pessoas mais ilustres, como chefes de estado e da Igreja.

    A família Tedim, natural de S. Mamede do Coronado (antiga freguesia do município de Santo Tirso que passou para o da Trofa, com a criação deste, em novembro de 1998) é bem conhecida no mundo artístico. José Ferreira Thedim, que foi quem esculpiu a primeira imagem de Nossa Senhora de Fátima (a que se seguiriam outras imagens da mesma Senhora, pelo que granjeou fama internacional ao ponto do próprio Papa Pio XI lhe ter atribuído o título de Comendador da Santa Sé - 1931), nasceu em S. Mamede do Coronado em 1892 e aí viria a falecer em 1971. Trata-se de um elemento de uma família ligada à arte de esculpir, pois seu pai também era escultor assim como os seus irmãos. Trabalhava na “Casa Fânzeres”, em Braga, onde concebeu a primeira estátua de Nossa Senhora de Fátima, seguindo as descrições que, para o efeito, lhe foram transmitidas pela pastorinha mais velha, Lúcia dos Santos.

    A obra foi encomendada por um católico praticante de Torres Novas, Gilberto Fernandes dos Santos, que, sabendo que a pequena capelinha que havia sido construída, no ano anterior (1919), na Cova da Iria, no preciso local das Aparições, ainda não tinha a Imagem de Nossa Senhora, se encarregou de providenciar para que tal falta fosse colmatada.

    No mês de maio de 1920, ainda antes do 3.º aniversário da primeira Aparição a Imagem já estava pronta. Viajou de comboio, de Braga para Torres Novas e Gilberto Santos encarregou-se de, meio às escondidas das autoridades (como se sabe o tempo da Primeira República era profundamente antieclesiático), ele próprio subir a encosta da Serra de Aire e levá-la até à Igreja de Fátima, onde o pároco a guardou. A pequena Lúcia (tinha 13 anos) teve oportunidade de ver a Imagem que resultou das suas descrições e concordou com o que viu.

    No dia 13 de maio de 1920, data do 3.º aniversário da primeira Aparição, a primeira Imagem de Nossa Senhora de Fátima foi benzida pelo pároco de Fátima, na respetiva Igreja Paroquial que se situa a pouco mais de dois quilómetros da Cova de Iria. Só um mês depois, a 13 de junho de 1920, a Imagem seguiu em Cortejo, ao jeito de procissão, para a Capelinha das Aparições, na Cova da Iria, onde ficou entronizada.

    A respeito da bênção da primeira Imagem de Nossa Senhora de Fátima “O Mensageiro” de Leiria, de 28 de maio de 1920, escreve sobre o assunto, um curto registo, intitulado “O caso da Fátima” donde extraímos este excerto «Sôbre as ocorrencias que se deram na Fátima e Cova da Iria no dia 13 do corrente, recebemos um largo e desenvolvido relato que a amabilidade de um nosso presado assignante de Val do Pôrto (Fátima) nos enviou e a falta de espaço nos não permite dar na íntegra, como desejávamos (...)».

    A coroa que a Imagem de Nossa Senhora de Fátima tem sobre a cabeça nas grandes ocasiões é uma peça única, oferecida pelas mulheres portuguesas no dia 13 de outubro de 1942, gratas por Portugal não estar na 2.ª Guerra Mundial. Foi feita ao longo de três meses e gratuitamente por doze artistas de Lisboa. Tem 313 pérolas, 2679 pedras preciosas e pesa 1200 gramas. E, como vimos na última edição, tem também a bala oferecida por João Paulo II.

    Entretanto, esta Imagem de Nossa Senhora de Fátima da Capelinha das Aparições já fez diversas “viagens”: a 1.ª foi a Lisboa à sessão de encerramento do congresso promovido pelo Conselho Nacional da Juventude Católica Feminina, que decorreu naquela cidade entre 7 e 13 de abril de 1942; a 2.ª foi entre 22 de novembro e 24 de dezembro de 1946, quando fez um périplo pela Estremadura e Ribatejo, por ocasião do tricentenário da proclamação de Nossa Senhora da Conceição como Padroeira de Portugal; a 3.ª ocorreu entre outubro de 1947 e janeiro de 1948, quando a imagem percorreu parte do Alentejo e do Algarve, ultrapassando mesmo a fronteira para Espanha em Elvas e em Vila Real de Santo António; a 4.ª viagem foi de novo a Espanha, entre 22 de maio e 2 de junho de 1948, para estar presente no Congresso Mariano Diocesano de Madrid; a 5.ª saída teve lugar entre 9 de junho e 13 de agosto de 1951, para visitar todas as paróquias da Diocese de Leiria; a 6.ª viagem foi para estar na inauguração do Monumento ao Cristo Rei, em Almada, que aconteceu no dia 17 de maio de 1959; a 7.ª viagem levou-a a Roma, onde, no dia 25 de março de 1984, na Praça de S. Pedro, João Paulo II consagrou o Mundo ao Imaculado Coração de Maria (foi nesse dia que a bala que tinha atingido o Papa no atentado de 1981, foi entregue ao Bispo de Leiria-Fátima, para ser incrustada na coroa da Virgem de Fátima); a 8.ª viagem de Nossa Senhora de Fátima aconteceu a 8 de outubro de 2000, quando voltou ao Vaticano, para João Paulo II, perante a Imagem e um milhar e meio de bispos de todo o planeta consagrar o terceiro milénio à Virgem; a 9.ª vez que saiu da Cova da Iria foi para voltar a Lisboa, no dia 12 de novembro de 2005, quando a capital portuguesa foi consagrada a Nossa Senhora de Fátima, iniciativa integrada no programa religioso do Congresso Internacional para a Nova Evangelização; a 10:ª vez, a Imagem de Nossa Senhora visitou, de novo, Lisboa e Almada, participando nas comemorações do Cinquentenário do Santuário de Cristo Rei (2009); a última vez que a Imagem saiu da Capelinha das Aparições (11.ª) foi em maio de 2010, quando Nossa Senhora de Fátima foi levada à “Festa da Fé”, na cidade de Leiria, entre os dias 21 a 23 de maio.

    RÉPLICA DA CAPELINHA DAS APARIÇÕES NO RIO DE JANEIRO (BRASIL)
    RÉPLICA DA CAPELINHA DAS APARIÇÕES NO RIO DE JANEIRO (BRASIL)

    (...)

    leia este artigo na íntegra na edição impressa.

    Nota: Desde há algum tempo que o jornal "A Voz de Ermesinde" permite aos seus leitores a opção pela edição digital do jornal. Trata-se de uma opção bastante mais acessível, 6,00 euros por ano, o que dá direito a receber, pontualmente, via e-mail a edição completa (igual à edição impressa, página a página, e diferente do jornal online) em formato PDF. Se esta for a sua escolha, efetue o pagamento (de acordo com as mesmas orientações existentes na assinatura do jornal impresso) e envie para o nosso endereço eletrónico (avozdeermesinde@gmail.com) o nome, o NIF e o seu endereço eletrónico para lhe serem enviadas ao longo do ano, por e-mail, as 12 edições do jornal em PDF.

    Mas se preferir a edição em papel receba comodamente o Jornal em sua casa pelo período de 1 ano (12 números) pela quantia de 12,00 euros.

    Em ambos os casos o NIB para a transferência é o seguinte: 0036 0090 99100069476 62

    Posteriormente deverá enviar para o nosso endereço eletrónico (avozdeermesinde@gmail.com) o comprovativo de pagamento, o seu nome, a sua morada e o NIF.

    Por: Manuel Augusto Dias

     

    Outras Notícias

    · Medicina Popular

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.