Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-06-2020
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-05-2020

    SECÇÃO: Opinião


    foto
    VAMOS FALAR DE ASSOCIATIVISMO (26)

    31 de maio, o dia das Coletividades

    O Dia Nacional das Coletividades como é habitual, terá a sua celebração a 31 de maio.

    Um procedimento que teve o seu início no princípio do século que vivemos, período esse que obedeceu a uma importante etapa para o Movimento Associativo Popular, conseguindo-se desde então o desenvolvimento de um enorme trabalho, onde se procura permanentemente a criação de condições extraordinárias para elevar cada vez mais a nossa afirmação como força associativa.

    Desde então muitos avanços estruturais foram implementados tais como o reforço da filiação associativa e toda a estruturação associativa nacional, a implementação de parceiro social em várias frentes, a defesa da causa associativa através de leis do estado, a defesa dos nossos dirigentes e de todo o setor da economia social.

    Em finais de 2018, consumou-se um outro importante objetivo para a Confederação das Coletividades e para todo o nosso movimento, que passou pela integração no Concelho Económico Social – CES, pelo significado que tem, o de elevarmos a nossa voz a um patamar maior da representação institucional.

    Com a consciência de que muito está por fazer, uma vez que nunca existem objetivos finais para a nossa atividade, no princípio de que há sempre coisas novas a acontecer, procuraremos permanentemente elevar a fasquia, pelo necessário reforço do nosso trabalho associativo.

    A festa das nossas comemorações para este ano de 2020 estava preparada.

    A 31 de maio, data do nosso Dia Nacional, estavam definidas e criadas todas as condições para uma grande festa do movimento associativo, na Figueira da Foz. Com festa, alegria, e comunicações associativas que permitiriam necessariamente um ambiente extraordinário.

    Foto ARQUIVO AVE
    Foto ARQUIVO AVE
    Contariam para tal, com a participação de muitas Coletividades de vários Concelhos de todo o país, com diferentes grupos das suas criações artísticas recreativas e desportivas, as quais abrilhantariam a festa.

    Aconteceria a participação também de colectividades do concelho de Valongo.

    Contaríamos com homenagens típicas desta comemoração, seriam consagrados dirigentes, coletividades, colaboradores vários e muitas outras coisas programadas.

    Os grandes projetos, por muito bem pensados, têm um tempo de preparação e execução. Preparamos bem, mas uma coisa rara que acontece ciclicamente, veio colocar um travão nos nossos objetivos.

    Os efeitos negativos criados pela COVID19 praticamente paralisou a sociedade portuguesa e não só. O movimento Associativo foi enormemente afetado e, para além de outras consequências, pôs por terra a preparação e a futura execução destas comemorações para a data prevista.

    Neste caso da comemoração nacional na Figueira da Foz, mas também em muitas outras localidades e coletividades que individualmente comemorariam a data.

    Em Valongo estava a ser preparada uma iniciativa, que se realizaria a 10 de junho, data que é sempre aproveitada para assinalar o aniversário da criação da Associação das Coletividades do Concelho de Valongo, e que integraria entre outras atividades, um debate sobre o movimento associativo popular do concelho e o Poder Local.

    A vida não pára, e, naturalmente como em tudo, conseguiremos encontrar soluções para que este dia nacional, tenha a sua comemoração, para já adiada, mas brevemente será anunciada nova data, e com naturais adaptações criativas. Tal comunicação está dependente das medidas governamentais e da Direção-Geral de Saúde, em conformidade com a situação da pandemia, e a possibilidade de tal acontecer.

    No entretanto e porque tivemos que fazer contas à vida durante este complexo período, a Confederação Portuguesa das Coletividades, mantendo todos os seus serviços em funcionamento, tem prestado uma atenção permanente de comunicação para todo o espaço nacional, para que na hora certa sejam prestadas orientações que acompanhem o desenvolvimento da Covid19.

    Foram emitidas Notas Associativas, com indicações de procedimentos das Coletividades perante tal situação. Foi emitida a Elo Associativo, com informações e abordagens várias, de dirigentes nacionais e das suas preocupações e o seu empenho local para com os seus associados e as suas populações.

    (...)

    Leia este artigo na íntegra na edição impressa.

    Adelino Soares*

    *Confederação Portuguesa das Coletividades

    Nota: Desde há algum tempo que o jornal "A Voz de Ermesinde" permite aos seus leitores a opção pela edição digital do jornal. Trata-se de uma opção bastante mais acessível, 6,00 euros por ano, o que dá direito a receber, pontualmente, via e-mail a edição completa (igual à edição impressa, página a página, e diferente do jornal online) em formato PDF. Se esta for a sua escolha, efetue o pagamento (de acordo com as mesmas orientações existentes na assinatura do jornal impresso) e envie para o nosso endereço eletrónico (avozdeermesinde@gmail.com) o nome, o NIF e o seu endereço eletrónico para lhe serem enviadas ao longo do ano, por e-mail, as 12 edições do jornal em PDF.

    Mas se preferir a edição em papel receba comodamente o Jornal em sua casa pelo período de 1 ano (12 números) pela quantia de 12,00 euros.

    Em ambos os casos o NIB para a transferência é o seguinte: 0036 0090 99100069476 62

    Posteriormente deverá enviar para o nosso endereço eletrónico (avozdeermesinde@gmail.com) o comprovativo de pagamento, o seu nome, a sua morada e o NIF.

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.