Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-06-2020
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 31-05-2020

    SECÇÃO: Destaque


    COVID-19 FAZ DISPARAR PEDIDOS DE AJUDA ALIMENTAR

    Câmara desenvolve várias medidas de apoio alimentar às famílias do concelho

    Também a autarquia de Valongo foi por nós ouvida nesta questão do “aumento dos pedidos de ajuda alimentar”, tendo explicado ao nosso jornal as distintas medidas que tem levado a cabo no seu trabalho de apoio alimentar desenvolvido em todas as freguesias. Medidas (múltiplas) que segundo a autarquia têm um grande impacto nas famílias e será mesmo para algumas, o único recurso!

    Foto CONFERÊNCIA S. VICENTE DE PAULO DE ERMESINDE
    Foto CONFERÊNCIA S. VICENTE DE PAULO DE ERMESINDE
    A Voz de Ermesinde (AVE): Uma das medidas que a Câmara já tinha implementado no terreno era o Plano Municipal de Emergência de Apoio Alimentar, que com a Covid-19 foi reforçado, e dirigido a famílias carenciadas residentes no concelho de Valongo, através do fornecimento de refeições confecionadas para o jantar em todas as freguesias, reforçado aos fins-de-semana e aos feriados. O programa de refeições para crianças do escalão A das escolas do concelho também foi reforçado. Como tem decorrido a implementação destas medidas e de que forma a Câmara as tem implantado no terreno tendo em conta que até há bem pouco tempo as pessoas estavam confinadas em suas casas?

    Câmara Municipal de Valongo (CMV): A Câmara Municipal de Valongo distingue o seu trabalho de apoio alimentar, em várias medidas distintas: A CMV tem implementado no Concelho o Plano de Emergência de Apoio Alimentar (PEAA) que é efetuado em todas as freguesias. Com a situação Covid-19 foi reforçado. Este programa é dirigido a famílias carenciadas residentes no concelho de Valongo, que encaminhadas por técnicos da área, recebem o fornecimento de refeições diárias confecionadas para as famílias. Este reforço foi acionado aos fins-de-semana e feriados. As refeições são preparadas em takeaway e recolhidas pelas famílias. O programa de almoços escolares gratuitos para crianças do escalão A e outras identificadas pelas direções dos agrupamentos foi reforçado aos fins de semana e feriados e alargado ao escalão “B”. As refeições são preparadas em takeaway e recolhidas pelas famílias. Nesta fase difícil surgiu um Programa de Emergência Alimentar, através do apoio da ENTREAJUDA. Numa dinâmica estabelecida com a CMV, Juntas de Freguesia e Instituições de Solidariedade Social foram distribuídos cerca de 100 cabazes em todo o Concelho. Este apoio é para continuar e reforçar. Um dos grandes apoios a nível alimentar são as IPSS, Autarquias Locais e Conferências de S. Vicente de Paulo, estas com o apoio das paróquias, que fazem um trabalho extraordinário de proximidade às famílias. Por sua iniciativa entregam cabazes em todo o concelho. Durante o mês de abril, estas Instituições distribuíram cerca de 530 cabazes alimentares. A partir de maio a CMV contribui com uma aquisição de produtos alimentares no valor global de 5.000 euros, através de vales que são atribuídos proporcionalmente em função do número de agregados apoiados no concelho pelas Instituições, para que os próximos cabazes possam ser complementados com produtos essenciais frescos, carne e peixe. As Instituições apoiadas pela CMV nos cabazes de sua iniciativa são: Alfena – Junta de Freguesia de Alfena e Associação Viver Alfena; Ermesinde – Junta de Freguesia de Ermesinde e Conferências de S. Vicente de Paulo de Ermesinde; Valongo – Conferências de S. Vicente de Paulo de Valongo e Cruz Vermelha Portuguesa (delegação de Valongo); Campo – Conferências de S. Vicente de Paulo de Campo; Sobrado – Conferências de S. Vicente de Paulo de Sobrado. Todas estas medidas têm um grande impacto nas famílias e será mesmo para algumas, o único recurso. As famílias são sinalizadas por solicitação dos próprios, das Instituições ou outras. São encaminhados para técnicos de acompanhamento que fazem o levantamento das necessidades e encaminham para apoios.

    AVE: Desde que o Estado de Emergência foi decretado pela primeira vez, em março, até aos dias de hoje, quantos pedidos de ajuda já chegaram à CMV nestes dois meses?

    CMV: No âmbito do PEAA que fornece refeições completas já confecionadas, houve 80 novos pedidos. Para além disto a CMV reforçou o Fundo de Emergência Social (FES), um apoio financeiro excecional e temporário a agregados familiares carenciados, com respostas no âmbito da habitação, como rendas de casa, água, luz, gás, medicamentos, cuidados de saúde, apoio à educação Registou-se a entrada de 37 processos no valor de 14.320,58 euros, no mês de abril.

    AVE: Quantas pessoas/famílias a CMV ajuda neste momento no Concelho (números gerais do concelho), e na Cidade de Ermesinde (números só desta cidade)? (no âmbito de todas estas medidas tomadas e atrás mencionadas)

    CMV: A CMV tem na Rede Social parceiros fundamentais na distribuição do Programa Operacional de Apoio aos Mais Carenciados (POAMC). São cabazes mensais distribuídos a famílias carenciadas com a ajuda do Banco Alimentar. Temos a nível do Concelho cerca de 604 destinatários. Este programa foi reforçado e a partir de junho passará a duplicar o número de famílias. No âmbito do POAMC: na freguesia de Ermesinde são abrangidas 120 pessoas. A distribuição é efetuada pela ADICE. Na freguesia de Sobrado são abrangidas 100 pessoas, sendo a distribuição efetuada pelo Centro Social e Paroquial de Sobrado. Na freguesia de Valongo são 100 pessoas, e a distribuição é efetuada pelo Centro Social e Paroquial de Sobrado em parceria com a Câmara Municipal de Valongo. Na freguesia de Campo são abrangidas 120 pessoas, com a distribuição a ser efetuada pelo Centro Social e Paroquial de Campo. Na freguesia de Alfena são abrangidas 164 pessoas, e a distribuição é efetuada pela Associação Viver Alfena.

    (...)

    leia esta entrevista na íntegra na edição impressa.

    Nota: Desde há algum tempo que o jornal "A Voz de Ermesinde" permite aos seus leitores a opção pela edição digital do jornal. Trata-se de uma opção bastante mais acessível, 6,00 euros por ano, o que dá direito a receber, pontualmente, via e-mail a edição completa (igual à edição impressa, página a página, e diferente do jornal online) em formato PDF. Se esta for a sua escolha, efetue o pagamento (de acordo com as mesmas orientações existentes na assinatura do jornal impresso) e envie para o nosso endereço eletrónico (avozdeermesinde@gmail.com) o nome, o NIF e o seu endereço eletrónico para lhe serem enviadas ao longo do ano, por e-mail, as 12 edições do jornal em PDF.

    Mas se preferir a edição em papel receba comodamente o Jornal em sua casa pelo período de 1 ano (12 números) pela quantia de 12,00 euros.

    Em ambos os casos o NIB para a transferência é o seguinte: 0036 0090 99100069476 62

    Posteriormente deverá enviar para o nosso endereço eletrónico (avozdeermesinde@gmail.com) o comprovativo de pagamento, o seu nome, a sua morada e o NIF.

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.