Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-10-2019
Jornal Online

SECÇÃO: Opinião


foto
VAMOS FALAR DE ASSOCIATIVISMO (19)

GERAP – Gerontologia Associativa Preventiva

No seu Plano de Ação para o triénio 2019-2022 a Confederação Portuguesa das Coletividades voltou a incluir o seu projeto GERAP com considerações baseadas em princípios já anteriormente avaliados e fundamentado em dados conhecidos e preocupantes para a sociedade portuguesa.

“Portugal é um dos países da União Europeia com a população mais envelhecida. Em 2017, 21% da população tinha 65 anos ou mais e o índice de envelhecimento era de 153%. Mais, em 2016 a esperança média de vida subiu para 77,7 anos, para os homens, e 83,4 para as mulheres.” Dados da PORDATA.

Ainda de acordo com a Organização Mundial de Saúde “O envelhecimento ativo e saudável é definido como um processo de otimização das oportunidades para a saúde, participação na sociedade, segurança e consequente melhoria da qualidade de vida, à medida que as pessoas envelhecem.”

Atentos a esta realidade, temo-nos debruçado no estudo de soluções para a sua execução, na consideração de que para a sua concretização há que mudar práticas e inovar.

Considerando a Inovação Social como conceito inclusivo e multidimensional que coloca em destaque aspetos específicos do processo de inovação, considerando o contexto e o impacto de inovações tais como, a orientação às necessidades e/ou problemas sociais; a introdução de novas práticas sociais; a adesão dos(as) participantes; e os benefícios sociais e individuais.

Na Confederação das Coletividades consideramos que a inovação social na área do envelhecimento é uma abordagem ideal para enfrentarmos os desafios que esta temática levanta.

No desenvolvimento do Programa de Capacitação nº POISE 288 procuramos dar resposta a dois dos seus principais objetivos:

1 – Evidenciar a promoção do diálogo e da cooperação entre dirigentes seniores e futuros dirigentes jovens, com vista à transferência de saberes e competências.

2 – Evidenciar a promoção de práticas criadoras de sustentabilidades.

Com a primeira fase do projeto a decorrer, o objetivo é mapear e divulgar inovações sociais direcionadas a seniores, bem como que padrões de envelhecimento ativo e saudável em todos os distritos do país, e em particular como o levar à prática a Norte.

Temos vindo a proceder à divulgação junto dos Dirigentes nacionais bem como às coletividades representadas na Confederação das Coletividades, criando condições para o seu envolvimento.

Igual procedimento junto das Estruturas descentralizadas, incluindo as Coletividades ELO.

Alargaremos o convite à participação de Autarquias, de Associações preferencialmente filiadas na Confederação das Coletividades abrindo espaço à participação de Coletividades não filiadas. Convidaremos ainda, entidades públicas e privadas da economia social com atividades e/ou iniciativas direcionadas a seniores.

Procederemos à divulgação e capacitação sobre o projeto, e serão rececionadas as manifestações de interesse de participação no mesmo, por parte das Entidades da Inovação Social (EIS).

Vários processos de comunicação serão ativados para poderem ser avaliados a fim de uma análise aprofundada para se perceber como foi iniciado o processo, que colaboração tiveram, como foi feita a coordenação, quais foram os participantes, que problemas emergiram, que financiamento, que impactos registados, que mudanças efetivas, que aprendizagem e transferência de saberes, que criação de práticas geradoras de sustentabilidade?

Dando sequência prática à execução deste Projeto, e enquadrado numa atividade designada como “Associativismo Vai Dar a Volta a Portugal,” está já programado para 16 de novembro, em colaboração com a Associação das Coletividades do Concelho de Matosinhos, um conjunto de debates, onde, para além do projeto GERAP, merecerá atenção uma Ação de Sensibilização sobre como preparar um Plano de Atividades e Orçamento para todas as coletividades do Concelho, e um outro Debate, sobre “A Mulher no Associativismo”.

Tal iniciativa que contará com a colaboração da União de Freguesias de S. Mamede de Infesta/Senhora da Hora e da Câmara M. de Matosinhos e decorrerá no Salão Nobre da Junta de Freguesia da Senhora da Hora, para o qual serão convidadas todas as Coletividades do Concelho.

Contará com especialistas nas várias temáticas assim como a comunicação de vários testemunhos de experiências associativas, que visam os temas indicados.

O Convite será extensivo à participação das Coletividades do Concelho de Valongo.

O desafio fica lançado a todos que sintam a necessidade de encontrar respostas para questões que sendo do nosso Movimento Associativo, são problemas importantes da nossa sociedade.

Todos teremos a ganhar na procura de partilha de saberes e conhecimentos, que contribuam para soluções de inovação social, que para o caso, possam contribuir para um troca de experiências positivas para todos.

Por: Adelino Soares*

*Confederação Portuguesa das Coletividades

 

Outras Notícias

 

este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
© 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.