Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-10-2019
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-06-2019

    SECÇÃO: Desporto


    Rui Fernandes Almeida é o novo presidente do Ermesinde Sport Clube 1936

    foto
    Rui Fernandes Almeida é o novo presidente da Direção do Ermesinde Sport Clube 1936. O até aqui presidente da Assembleia Geral (AG) dos ermesindistas sucede no cargo a Alberto Costa, que, recorde-se, desde novembro último assumia funções de presidente interino após a saída de Jorge Costa da presidência do clube.

    A eleição dos novos órgãos sociais do Ermesinde 1936 com vista ao triénio 2019/2021 aconteceu na noite de 19 de junho passado, na AG que o clube levou a cabo no auditório da Junta de Freguesia de Ermesinde. A lista liderada por Rui Fernandes Almeida (que na imagem se encontra ao centro da mesa) foi a única que se apresentou a sufrágio. Em declarações ao nosso jornal o novo presidente ermesindista começou por explicar os motivos que o levaram a avançar com uma candidatura à liderança do clube. «Em primeiro lugar porque entendo que reúno as capacidades para dirigir os destinos do clube. Em segundo, porque diversas pessoas afetas ao clube me transmitiram que o futuro deveria passar pela minha pessoa. Portanto, consegui reunir um conjunto alargado de apoios, e o facto de haver muita gente ligada ao Ermesinde 1936 que entendia que eu seria a pessoa mais capaz para encabeçar a futura Direção do clube foi talvez o fator decisivo para eu avançar», explica Rui Fernandes Almeida, que, recorde-se, faz parte dos órgãos sociais do clube, até aqui na qualidade de presidente da AG, desde a fundação deste em 2013.

    APOSTA NA FORMAÇÃO

    Quanto às linhas do seu projeto para o mandato que tem pela frente, o dirigente começa por frisar que esta nova Direção pretende aproveitar tudo o que de bom foi feito, «e muita coisa boa foi feita», nos últimos seis anos e tentar corrigir aquilo que no entender dos novos órgãos sociais foi menos conseguido. A formação será o principal foco desta Direção, pois «entendemos que a formação deve ser mais apoiada, devemos tentar conseguir dar melhores condições à formação». Desde logo melhores condições ao nível de infraestruturas, sublinhando neste ponto o novo presidente que há uma série de situações que terão de ser analisadas com a Câmara de Valongo relativamente à gestão de tempos de utilização do Estádio Municipal de Sonhos, uma vez que, conforme lembrou Rui Fernandes Almeida, proliferam atualmente algumas equipas que não competindo em provas oficiais da Associação de Futebol do Porto têm vindo a solicitar, e a conseguir, tempos de utilização do estádio em prejuízo da formação do Ermesinde 1936 que disputa as competições oficiais associativas. A nova Direção do clube pretende ainda perceber junto da autarquia qual o timing para o «tão propalado investimento no Complexo Desportivo dos Montes da Costa e para a colocação de um relvado sintético, que eu acho que seria fundamental não só para a freguesia como para o Ermesinde 1936, mas também para as outras coletividades. No caso do Ermesinde 1936 a formação do clube iria ter mais tempo para treinar, para termos mais crianças a desenvolver a prática desportiva». Ao mesmo tempo, e também como objetivo para o novo mandato, a Direção comandada por Rui Fernandes Almeida pretende aliar a prática desportiva dos atletas mais novos a uma maior competitividade e à obtenção de melhores resultados desportivos no setor da formação. Isto é, conseguir construir planteis nas equipas (dos vários escalões) da formação que possam lutar por objetivos desportivos e em particular alcançar a subida da 2.ª divisão para a 1.ª divisão distrital.

    APROXIMAR A CIDADE DO CLUBE

    Outro grande objetivo desta nova Direção passa por aproximar mais o clube da Cidade. «Infelizmente eu acho que a Cidade ainda não aderiu completamente ao clube. Acho que ainda existe algum distanciamento entre a cidade, os seus habitantes, os seus empresários, os seus comerciantes, e o clube. Acho que o Ermesinde 1936 ainda não foi abraçado por toda a comunidade ermesindense. Vamos tentar aproximar mais a cidade do Ermesinde 1936, porque o clube será tão ou mais forte quanto a Cidade assim o queira. Quanto mais a Cidade acarinhar o clube e se interessar pela vida deste certamente que será mais fácil ao Ermesinde 1936 atingir os seus objetivos, seja desportivos, com uma equipa de futebol sénior que consiga ter resultados, e depois, também, ter também uma melhor formação, com mais qualidade, com mais miúdos».

    Relativamente à equipa que acompanha Rui Fernandes Almeida neste mandato, alguns elementos, de acordo com o novo timoneiro ermesindista, transitam de mandatos anteriores, aos quais se juntaram novos elementos. «Sem desprimor para anteriores órgãos sociais do clube acho que conseguimos ter aqui uma equipa, e quando falo em equipa falo nos três órgãos sociais do clube, mais robusta, com pessoas com provas dadas quer no antigo Ermesinde Sport Clube, quer noutras associações. Portanto, temos aqui um conjunto de pessoas já com experiência associativa, e muitas dessas pessoas conhecem o Ermesinde 1936 de forma mais direta ou indireta, porque de facto é gente que tem acompanhado quase, desde o início, o percurso deste clube».

    Questionado sobre o que os associados e simpatizantes do Ermesinde 1936 podem esperar desta nova Direção, Rui Fernandes Almeida é perentório em afirmar que estes podem «esperar foco, trabalho, compromisso e pedimos também um pouco de tranquilidade, de paz, de crença e a ajuda de todos. Porque todos somos poucos e o clube só conseguirá prosseguir com os seus objetivos se efetivamente todos os seus setores se unirem em torno destes órgãos sociais e nos ajudarem a levar o barco a bom porto».

    A tomada de posse dos novos órgãos sociais do Ermesinde 1936 acontecerá no início de julho, embora sem dia concreto ainda marcado.

    ÓRGÃOS SOCIAIS DO ERMESINDE SPORT CLUBE 1936 PARA O TRIÉNIO 2019-2021:

    ASSEMBLEIA GERAL:

    Presidente: Miguel de Oliveira

    1.º Secretário: Luís Branco

    2.º Secretário: Cristina Ponte

    CONSELHO FISCAL:

    Presidente: António Jorge Monteiro

    Secretário: António Pinto

    Relator: Pedro Ramalho

    DIREÇÃO:

    Presidente: Rui Fernandes Almeida

    Vice-Presidente: Paulo Sousa

    Vice-Presidente: Jorge Fernandes

    Vice-Presidente: José Monteiro

    Tesoureiro: Alberto Costa

    Vogal: Joaquim Neto

    Vogal: Hugo Pinto

    Vogal: Daniel Rebelo

    Vogal: Sandro Fernandes

    Vogal: Victor Emanuel Magalhães

    Vogal: Carlos Machado

    Vogal: Frederico Ferreira

    Vogal: Emanuel Silva

    Por: Miguel Barros

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.