Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 15-12-2018
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-11-2018

    SECÇÃO: Destaque


    Junta de Freguesia de Ermesinde promoveu primeiro Concurso da Rabanada

    Fotos JFE
    Fotos JFE
    No último domingo de novembro, dia 25 mais precisamente, a Confraria do Pão, da Regueifa e do Biscoito de Valongo, em parceria com a Junta de Freguesia de Ermesinde, organizou o primeiro concurso da Rabanada, cujo resultado financeiro, no montante de 750 euros, reverteu a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ermesinde.

    O evento, que congregou grande número de pessoas, decorreu nas instalações da Junta de Freguesia de Ermesinde, cujo auditório foi pequeno para tanta gente que quis assistir e participar na festa que decorreu a partir das 15H00 e que durou sensivelmente 3 horas. Estiveram presentes vários membros da Confraria, a começar pela sua Padeira-Mor, Rosa Maria Rocha, principal dinamizadora da iniciativa, que usou da palavra para apresentar mais esta iniciativa da Confraria e agradecer a participação de todos os concorrentes, e o enorme apoio organizativo da junta de freguesia.

    foto
    João Morgado, presidente da Junta de Freguesia de Ermesinde, usou também da palavra para salientar a pronta adesão da autarquia a que preside uma vez que se trata da promoção de um produto ligado ao pão e que visa ajudar os nossos Bombeiros. No evento marcaram também presença alguns confrades de Ermesinde, designadamente Abílio Vilas Boas, que é também presidente da Assembleia Municipal de Valongo; vários elementos do executivo da Junta de Freguesia, nomeadamente o seu tesoureiro, Miguel de Oliveira, e secretária, Helena Oliveira; o presidente da Direção dos Bombeiros de Ermesinde, Jorge Videira e o seu 2.º Comandante; a vice-presidente da Câmara de Valongo, Ana Maria Rodrigues; e várias personalidades ligadas às coletividades de Ermesinde.

    Os concorrentes a este primeiro concurso do popular doce natalício foram 27, abrangendo particulares e estabelecimentos comerciais ligados à panificação e pastelaria.

    foto
    Logo de início houve uma tertúlia sobre o pão de Valongo, com Margarida Sousa a moderar, em que apresentaram comunicações sobre o tema, José Manuel Pereira e Manuel Dias. O primeiro abordou a importância do pão para Valongo, pondo em destaque o facto de a profissão funcionar sobretudo no feminino “a padeira de Valongo”, não esquecendo os problemas com assaltos a que estavam frequentemente sujeitas no percurso entre Valongo e o Porto; enquanto o segundo, fez uma abordagem histórica da importância do pão e da sua simbologia em vários contextos, destacando a sua importância no município, bem evidente nos ícones que figuram nos brasões das várias freguesias, falou dos diferentes costumes portugueses quanto ao pão e aos doces de Natal, falando também das tradições de Ermesinde quanto às iguarias natalícias.

    Seguiu-se um agradável momento de animação musical com a exibição, bem conseguida, do grupo da Associação Académica e Cultural de Ermesinde “Toca a Tocar”, com a colaboração da plateia que já conhece bem algumas das suas cantigas.

    foto
    E a tarde festiva do 1.º Concurso da Rabanada, em Ermesinde, prosseguiu com a revelação dos vários elementos que constituíram o júri, que teve a responsabilidade de atribuir os prémios. Presidiu ao júri o conhecido “chef”, Hélio Loureiro, confrade honorário da Confraria do Pão, da Regueifa e do Biscoito, que usando da palavra considerou ser muito importante a manutenção das tradições portuguesas e em particular as que se associam ao Natal, pois é tempo de convívio e reunião familiar. Elogiou esta iniciativa da Confraria, pois considerou que as rabanadas desde há muito fazem parte da mesa de Natal e são mesmo, nesta região norte, a principal sobremesa da quadra natalícia. Quanto às rabanadas que teve a responsabilidade de apreciar, achou-as de boa qualidade, fazendo-lhe lembrar gostos que tem na memória desde menino e declarou que foram, todas elas, bem confecionadas, e, no essencial, feitas da mesma maneira, sem grandes inovações. Do júri fizeram ainda parte: João Farias, da Confraria das Rabanadas; João Ribeiro, da Confeitaria Damira; Tiago Cunha, da Confeitaria Docetiana; Miguel de Oliveira do executivo da Junta de Freguesia de Ermesinde; e José Machado, da ESV.

    foto
    Foram então revelados os primeiros três classificados, todos de Ermesinde: em 3.º lugar, Maria Amélia Pereira; em 2.º lugar a Confeitaria “Glorinha”; e em 1.º lugar, Maria Palmira Barbosa (Pão Quente Sousa).

    No final houve um lanche-convívio, a que o público foi chamado a participar, e aderiu em massa, provando as deliciosas rabanadas (e biscoitos), que tinham sido confecionadas para o Concurso. Não faltou o tradicional vinho do Porto.

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.