Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-09-2020
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-04-2017

    SECÇÃO: Local


    Bombeiros Voluntários de Ermesinde têm um novo comandante

    Sérgio Barros é desde o passado dia 1 de abril o novo comandante dos Bombeiros Voluntários de Ermesinde (BVE). A tomada de posse ocorreu no salão nobre daquela associação humanitária, diante de numerosa plateia composta por diversas entidades civis locais e do restante distrito, corporações vizinhas, bem como antigos dirigentes e bombeiros da associação, associados desta e demais cidadãos da nossa comunidade. No seu discurso, o novo comandante traçou algumas linhas do projeto para os próximos cinco anos, nos quais pretende levar os bombeiros da nossa cidade ao patamar de excelência.

    foto
    A cerimónia teve início com a leitura do vasto e rico currículo do novo comandante dos BVE, detentor de uma experiência de mais de duas décadas ao serviço da causa e com funções de relevo desempenhadas em diversas entidades e corporações de bombeiros. Sérgio Barros assume o comando do corpo de bombeiros da nossa cidade cinco meses depois de o anterior comandante, Carlos Teixeira, ter cessado funções.

    Após a tomada de posse, o novo comandante foi o primeiro a usar da palavra. Agradeceu à Direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ermesinde (AHBVE) o honroso convite recebido para «liderar este extraordinário grupo de bombeiro(a)s e um ambicioso projeto de cariz operacional».

    Acrescentaria em seguida estar certo de que «este ambicioso projeto com vista aos próximos cinco anos irá conduzir o corpo de bombeiros ao patamar de excelência», mas para isso acontecer frisaria que é preciso crescer de forma sustentada. E nesse sentido deu conta de algumas metas que pretende atingir para o fazer, desde logo aumentar o número de bombeiros voluntários da corporação, apostar na formação de novos bombeiros, sublinhando que os BVE estão inseridos em duas freguesias (Ermesinde e Alfena) em que 45 por cento da população está numa faixa etária adequada para aderir ao voluntariado. Nesse sentido, anunciou que pretende dar a conhecer a corporação junto da comunidade escolar, com a intenção de captar as atenções dos mais novos e atrai-los para a causa dos bombeiros. Informaria ainda a intenção de criar um corpo de infantes e cadetes capaz de alimentar o quadro ativo dos BVE.

    Posteriormente, e dirigindo-se de novo ao presidente da Direção, elencou algumas reivindicações, desde logo a urgente renovação do parque automóvel e a melhoria de equipamentos de proteção individual, sublinhando que este projeto só poderá ser cumprido se existir uma perfeita simbiose entre o corpo de bombeiros e a Direção. Dirigindo-se aos bombeiros, o novo comandante anunciou que a mudança que irá acontecer será tranquila e aglutinadora, sendo que para isso muito irá contribuir a manutenção dos adjuntos de comando, a quem agradeceu o trabalho desenvolvido ao longo dos últimos cinco meses após a saída do anterior comandante.

    Prometendo ser intransigente na defesa dos valores do bombeiro, assegurou ainda aos seus bombeiro(a)s que «garantidamente serei sempre o vosso primeiro escudo, mas também serei intransigente com a disciplina e o rigor no cumprimento dos objetivos».

    O HOMEM CERTO

    NO LUGAR CERTO

    foto
    Como já foi referido, foram muitas as individualidades presentes nesta cerimónia. A mesa de honra seria constituída por Jorge Videira (presidente da Direção dos BVE), Serafim Santos (presidente da Assembleia Geral dos BVE), Luís Ramalho (presidente da Junta de Freguesia de Ermesinde), Sérgio Pinto (representante da Junta de Freguesia de Alfena), José Manuel Ribeiro (presidente da Câmara de Valongo), José Morais (representante da Liga dos Bombeiros Portugueses e do Comando Distrital de Operações de Socorro do Porto), Emanuel Santos (segundo comandante dos BVE) e mais tarde do recém empossado comandante Sérgio Barros.

    Para Jorge Videira, o novo comandante dos BVE é «o homem certo no lugar certo». O presidente da Direção da AHBVE enalteceu e reconheceu o currículo do novo comandante, bem como o gosto que este nutre pelos bombeiros de Ermesinde, a casa onde se formou como bombeiro. Afirmando de forma convicta que acredita na capacidade ao nível de conhecimento e de liderança de Sérgio Barros, o dirigente da associação humanitária sublinharia que os corpos sociais desta estão disponíveis para manter um diálogo permanente com o corpo de bombeiros, para encontrar respostas que visem a melhoria dos serviços prestados pelos BVE. No que concerne às reivindicações do agora comandante Sérgio Barros, Jorge Videira lembrou que a AHBVE, dentro da sua pouca disponibilidade financeira, adquiriu um novo carro de combate a incêndios, estando ainda para chegar duas ambulâncias novas, além de que no início do ano foram gastos cerca de 25.000 euros em equipamentos de proteção individual para combate a incêndios. Aproveitou ainda a oportunidade para lembrar alguns comandantes do passado da associação, a quem endereçou um profundo agradecimento por tudo o que deram à instituição, bem como um agradecimento a Emanuel Santos, o segundo comandante, pela forma como conduziu os destinos do corpo de bombeiros nos últimos cinco meses.

    Também o presidente da Assembleia Geral da AHBVE, Serafim Santos, usaria da palavra para desejar felicidades ao novo comandante, elogiando a aposta que pretende fazer na formação de novos bombeiros, salientando que formação é uma pedra fundamental na eficiência de qualquer organização.

    CÂMARA AUMENTA

    APOIO DADO

    ÀS CORPORAÇÕES

    DO CONCELHO

    Por sua vez, José Morais enalteceu também a aposta na formação que Sérgio Barros pretende implementar nos bombeiros ermesindenses, com base no voluntariado, acrescentando que nos dias de hoje essa é uma tarefa difícil, desde logo porque é cada vez mais complicado atrair jovens para o voluntariado. Aproveitou a oportunidade para dirigir uma dura crítica ao Governo, pela forma como tem afastado a Liga dos Bombeiros Portugueses da discussão de assuntos que dizem respeito aos bombeiros, dando o exemplo das mudanças que estão a ser discutidas pelo Poder Central no Sistema Integrado de Operações de Proteção e Socorro, sem que a Liga esteja a ser ouvida.

    Por último, interveio José Manuel Ribeiro, que, dirigindo-se precisamente a José Morais, frisou que, quer os Bombeiros Voluntários de Ermesinde, quer os Bombeiros Voluntários de Valongo, «são mesmo muito bons. Não só porque o provam no teatro de operações aqui do concelho, como também no muito serviço que são chamados a fazer fora do concelho. Isso revela que estas duas instituições têm muito nível». Desejando boa sorte ao novo comandante, o edil de Valongo fez um anúncio em primeira mão. «Vou propor que no início do segundo semestre seja atualizado o apoio financeiro mensal dado pela Câmara às duas corporações de bombeiros do concelho (Valongo e Ermesinde). Vou propor que ao invés dos 4500 euros que recebem atualmente passem a receber 6000 euros por mês. É a nossa obrigação, além de que há mais de 30 anos que este apoio não era atualizado», concluiu o autarca.

    Por: Miguel Barros

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.