Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-01-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-05-2014

    SECÇÃO: Cultura


    “Cinderela”

    Foto URSULA ZANGGER
    Foto URSULA ZANGGER
    Foi quase no fim da Mostra de Teatro Amador deste ano, na Sala das Artes do Fórum Vallis Longus, na noite de 17 de maio. Mais uma vez Diana Alves Costa coloca figuras estáticas em palco a receber os espetadores que vão acorrendo ao espetáculo por si encenado. Mas, ao contrário das produções anteriores do Sabor a Teatro, desta vez a companhia não apresenta um texto fraturante, servido por encenação arrojada, mas antes uma produção dirigida a um gosto mais popular, com o tema da Cinderela a ser desviado aqui e ali para o complementar universo de todas as fantasias infantis, que recorre a várias personagens de empréstimo que por ali vão passando, como o Lobo Mau (do Capuchinho Vermelho) e a Bruxa (da Branca de Neve).

    As irmãs seduzem o príncipe com os seus enleantes meneios femininos a que ele não é vulnerável, encantado que está pela Cinderela. E este é outra das virtudes do grupo amador Sabor a Teatro, com as atrizes donas dos seus corpos. O nonsense e o humor vão espreitando aqui e ali, através de um Rei despótico e caprichoso uma e outra vez incentivado pelo Príncipe a cortar a cabeça ao criado, sem que isso pressuponha que deixe de ser o mais belo partido da Cinderela, que ele não esquece desde o baile. Piada muito muito certeira, já não do texto original mas da encenação local, é quando o Príncipe diz que não gosta do Maiashopping e alguém lhe diz, propositadamente, na aparência, amalgamando personagem e intérprete: «Mas trabalhas lá!!».

    O sortido de adereços é um pouco caótico desta vez, sem a coerência dos anteriores trabalhos da companhia. Mas há um belo ringue de box a recordar “A Comédia Mosqueta” de Angelo Beolco (dito Ruzante) pelos Bonecreiros, numa encenação de 1972.

    Apesar de tudo, esperávamos mais Sabor a Teatro...

    FICHA TÉCNICA

    “Cinderela” (M/4) // Sabor a Teatro | Valência Ágorarte – Associação Cultural e Artística

    Duração: 60 minutos // Título da obra original: Cinderela // Texto: João Paulo Seara Cardoso // Adaptação: Diana Alves Costa // Dramaturgia: Diana Alves Costa // Encenação: Diana Alves Costa // Cenografia: Diana Alves Costa // Figurinos: Diana Alves Costa // Música/Sonoplastia : Nuno Campos Monteiro // Luminotecnia: Nuno Campos Monteiro

    Elenco: Ana Catarina Ramalho – Fada Madrinha, Anaísa Leal – Irmã I, Ana Tavares – Cinderela, Catarina Machado – Anão, Joana Mendes – Irmã II, João Santos – Passarinho e Príncipe, Luís Dias – Anão – Chefe e Rei, Márcia Azevedo – Bruxa Má, Nelma Luana – Passarinha, Nuno Cunha – Rato, Pedro Ramalho – Lobo Mau e Arauto, Telma Lopes – Madrasta.

    Por: LC

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.