Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-07-2019
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 15-04-2014

    SECÇÃO: Destaque


    Delegação de deputados do PSD visitou a Escola Secundária de Ermesinde

    Fotos URSULA ZANGGER
    Fotos URSULA ZANGGER
    Uma delegação de deputados do PSD encabeçada pelo vicepresidente do Grupo Parlamentar e também presidente da Concelhia do PSD Valongo – Miguel Santos –, visitou na tarde da passada segunda-feira, dia 7 de abril, a Escola Secundária de Ermesinde.

    Integraram também a delegação do PSD, além de alguns dos deputados Simão Ribeiro, Maria José Castelo Branco e Margarida Almeida, eleitos pelo círculo do Porto, alguns autarcas social-democratas, como os vereadores João Paulo Baltazar e Maria Trindade Vale e o presidente da Junta de Freguesia de Ermesinde, Luís Ramalho.

    A delegação social-democrata foi acompanhada na sua demorada e cuidadosa visita pelos membros da Direção da escola, o diretor Álvaro Pereira a a subdiretora Ana Maria Cortez, além de João Arcângelo, da Associação de Pais.

    A visita deu conta das condições inaceitáveis de funcionamento da escola, incluindo situações de problemas estruturais do edifício, falta de arejamento, degradação das paredes e mobiliário, falta de equipamento e outros, mas também de algumas recentes e parcas melhorias, como as obras entretanto realizadas na cobertura do ginásio.

    No final da visita, Miguel Santos, falando em nome da delegação, lamentou as «intervenções sumptuosas» da Parque Escolar, responsáveis em grande parte pelo facto de algumas escolas terem sido obrigadas a esperar pela sua requalificação, como é o caso da Secundária de Ermesinde.

    O deputado social-democrata, reconhecendo que «esta escola funciona bem», apontou a necessidade de reparações e de manutenção que lhe têm faltado, e garantiu que iria realizar novos contactos com o secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário no sentido de continuar a sensibilizar para a necessidade de umas intervenção urgente a realizar nesta escola. Apontou também que as recentes obras na escola tinham sido já uma consequência das anteriores diligências dos sociais democratas locais junto do Governo.

    foto
    Sublinhou depois a injustiça relativa imposta aos alunos da cidade de Ermesinde, e a situação anómala se estes frequentaram antes escolas básicas novas ou remodeladas de boa qualidade, para depois virem estudar num edifício degradado e sem condições, o que apesar de grande trabalho pedagógico feito nesta escola tem afastado muitos alunos para outras escolas secundárias, das redondezas.

    O diretor Álvaro Pereira aproveitou a ocasião para insistir na necessidade de equipamento informático, pois dos 260 computadores e quadros interativos previstos recebeu até agora... zero!

    Miguel Santos indicou que a DGEST teria uma verba prevista para intervenções que contemplariam a Escola Secundária de Ermesinde.

    Como as obras, nunca realizadas, estiveram previstas, a Escola perdeu até a Expoval, transferida de local, e que era uma oportunidade regular para executar pequenas reparações.

    O deputado Miguel Santos, líder da delegação social-democrata terminou tranquilizando o diretor da escola: «Esteja descansado!».

    Como gato escaldado de água fria tem medo, nós duvidamos que Álvaro Pereira passase a dormir tranquilo...

    Por: LC

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.