Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-09-2020
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 01-03-2014

    SECÇÃO: Desporto


    DAMAS

    Elite das damas nacionais passou por Ermesinde

    Foto NDE
    Foto NDE
    A elite das damas nacionais esteve no passado dia 22 de fevereiro na nossa freguesia para dar vida à segunda edição do Open Nacional “Cidade de Ermesinde”, certame inserido no calendário da Federação Portuguesa de Damas (FPD) para a temporada de 2014. E tal como no ano passado o polivalente da Escola Secundária de Ermesinde (ESE) foi o cenário escolhido para que os organizadores da prova, o Núcleo de Damas de Ermesinde/Café Avenida, edificassem um evento que reuniu 65 dos melhores damistas da atualidade, sendo cinco deles mestres nacionais, nomeadamente Vaz Vieira, Medalha da Silva, Fernando Gonçalves, Arlindo Roda e o atual bicampeão nacional Nuno Vieira. Provenientes de diversos pontos do país – S. Pedro da Cova, S. João da Madeira, S. Pedro do Sul, Santo Tirso, Vizela, Lousado, Vila do Conde, Viseu, Coimbra, Aveiro, S, Pedro Fins, Penafiel, Maia, Lobão, Lisboa, Setúbal, e claro está, Ermesinde – os mais de sessenta damistas tiveram a companhia de oito jovens atletas que deram cor ao segundo torneio de juniores, uma competição que, relembre-se, surgiu pela primeira em Portugal no ano passado em simultâneo com a edição de estreia do Open Nacional “Cidade de Ermesinde”, tendo sido criada no sentido de cativar os mais novos para uma modalidade que se encontra atualmente demasiadamente envelhecida, isto é, com excesso de jogadores veteranos. De sublinhar ainda que na manhã do evento do passado dia 22 a FPD levou a cabo na biblioteca da ESE uma assembleia geral, onde foram discutidos e votados alguns assuntos relacionados com o universo damístico, entre outros o relatório de contas de 2013 e a alteração de regulamentos.

    Ao início da tarde, e à semelhança do ocorrido na edição do ano passado, o Núcleo de Damas de Ermesinde distinguiu uma figura das damas nacionais, homenagem que este ano recaiu sobre José Pereira, conhecido intérprete, e sobretudo dinamizador, da modalidade, com quem posteriormente o nosso jornal efetuou uma pequena entrevista (ver peça à parte). Na homenagem ao damista de S. João da Madeira estiveram presentes algumas individualidades locais, casos de Ana Maria Cortês, membro do Agrupamento de Escolas de Ermesinde, e de Sónia Silva, vogal da Junta de Freguesia de Ermesinde (JFE). Findo o tributo a José Pereira teve então início a longa maratona de jogos, a qual se iria prolongar até ao cair da noite. Nas contas finais José Carlos Anjos, em representação do conjunto do CCD de S. João da Madeira, conquistou o primeiro lugar no plano individual, enquanto que a sua equipa fez a festa na vertente coletiva. No que toca ao conjunto da casa, o Núcleo de Damas de Ermesinde/Café Avenida, teve uma performance agridoce, ou seja, se no plano coletivo a sua aparição foi modesta, não indo além do quinto posto, no aspeto individual foi histórica (!) através do desempenho de José Rocha, um dos cinco jogadores que representaram as cores do emblema da nossa cidade, tendo os restantes sido Nélson Monteiro, Ricardo Araújo, Manuel Silva e Sérgio Bonifácio. José Rocha alcançou uma brilhante quarta posição na classificação final, isto depois de ter vencido o mestre dos mestres, Vaz Vieira e Medalha da Silva, e de ter empatado com o atual bi-campeão nacional Nuno Silva. Quanto ao torneio de juniores o título ficou em casa, com o ermesindense Rafael Oliveira a levar a melhor sobre a concorrência.

    Após a cerimónia da entrega de prémios o nosso jornal trocou breves palavras com um dos elementos da organização, Sérgio Bonifácio, damista que se mostrou satisfeito com o desenlace deste II Open Nacional “Cidade de Ermesinde”. «Correu tudo bem, e posso dizer que estamos a ganhar já uma certa importância no plano das damas nacionais, sendo a prova disso o facto de termos conseguido trazer este ano atletas de Lisboa e de Setúbal, além de que a FPD escolheu Ermesinde para levar a cabo uma assembleia geral com o intuito de discutir assuntos de algum relevo. A comprovar o crescimento e a importância que este torneio já tem está igualmente o aspeto dos patrocínios, que este ano foram mais do que em 2013, e neste ponto destaco mais uma vez o apoio da JFE. De dizer também que conseguimos novamente efetuar em paralelo com o torneio principal uma competição destinada às camadas jovens, o que não é fácil, pois cativar a juventude para esta modalidade é uma tarefa complicada nos dias de hoje, já que os computadores e as consolas levam quase sempre a melhor. Por tudo isto não é à toa que o Open Nacional “Cidade de Ermesinde” é já considerado como o segundo maior torneio nacional – em termos de participantes – logo a seguir ao de S. João da Madeira, e isto em apenas dois anos de existência. Por isso, só temos de estar satisfeitos e continuar a trabalhar para que no próximo ano seja ainda melhor», rematou Bonifácio.

    Por: Miguel Barros

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.