Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-07-2020
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 22-11-2013

    SECÇÃO: Destaque


    NOTÍCIAS DO CENTRO SOCIAL DE ERMESINDE

    S. Martinho das Castanhas e do Vinho fez reviver tempos antigos do largo da feira velha

    Fotos URSULA ZANGGER
    Fotos URSULA ZANGGER
    Afirmando-se cada vez mais, ano a ano, como evento importante do calendário de animação da cidade de Ermesinde e da zona da Travagem, o S. Martinho do Centro Social de Ermesinde, mais uma vez com a colaboração muito estreita da associação irmã Ermesinde Cidade Aberta, deu este ano mais um passo, ao trazer até aos festejos a presença de muitos artesãos que deram uma nova dimensão ao evento, e isto também num sentido literal, pois praticamente todo o largo da feira ficou, se não ainda preenchido – lá veremos na próxima edição – pelo menos completamente enquadrado pela festa.

    Pretendeu-se este ano fazer reviver o ambiente de outros tempos da antiga feira de Ermesinde que, embora datando já do século XX, era um importantíssimo evento regular de sustentabilidade da economia rural local, que envolvia a presença das pessoas e produtos de muitas casas agrícolas.

    REVIVER

    A IMPORTÂNCIA

    DE UMA FEIRA

    foto
    Um pouco desse ambiente foi dado a este evento com os trajes envergados por muitos dos funcionários e voluntários envolvidos na organização que, mais uma vez teve de defrontar um adversário de respeito, no tempo chuvoso que acompanhou sobretudo o dia de sábado.

    Também animais da quinta, como uma ovelha e um cavalo, pastavam no seu recinto dando mais uma nota de ruralidade ao espaço deste S. Martinho.

    A feira foi sendo organizada e realizada passo a passo, com ateliers para a realização das coroas e alfinetes, o trabalho das tecedeiras, a decoração das tendas pelos expositores e, este ano, houve ainda a presença de ardinas e engraxadores, jogos tradicionais, e a criação in loco de peças de artesanato.

    Ressalte-se que muito do sucesso do S. Martinho deste ano resulta do trabalho entretanto feito pelo Centro de Formação da instituição desta IPSS com os desempregados, e do trabalho de cooperação com outras entidades, como a ARGO, associação de artesãos de Gondomar, que cedeu todo o material de exposição dos artesãos a título gratuito.

    As sessões focadas na promoção do empreendedorismo social, nomeadamente a partir da projeção do filme “Quem se Importa?” constituiu também uma importante alavanca para o êxito deste S. Martinho das Castanhas e do Vinho.

    UM EVENTO

    DE FAZER CRESCER

    ÁGUA NA BOCA

    foto
    Sendo, pela sua própria natureza um evento com uma grande carga gastronómica, resultado em grande parte do trabalho de voluntários e voluntárias e da excelência da cozinha tradicional confecionada pelo próprio Centro Social de Ermesinde, o menu deste ano não fugia muito à regra de anos anteriores, tendo os convivas à sua disposição as tradicionais entradas e outras menos tradicionais, vindas em boa altura, de outras culturas (pão/broa e azeitonas, salpicão, chouriço assado, rissóis, bolinhos de bacalhau e chamuças, pataniscas e alheiras), sopas (de castanhas, creme de legumes, caldo verde e papas de sarrabulho), pratos de cabrito assado, lombo de porco, rojões, feijoada, entrecosto, bifanas, bem acompanhados de arroz, batata ou saladas, e ainda apetitosas sobremesas para aconchegar, como leite creme, pudim, rabanadas, bolos diversos, castanha assada e fruta da época, tudo isto evidentemente bem regado com tintos e brancos verdes e maduros, água ou sumos para quem o preferisse, e no fim digestivos como aguardente e whisky, além naturalmente do café. E se isto descrevemos com tal pormenor é para que aqueles que não puderam estar presentes não o esqueçam para a próxima edição, que o S. Martinho do Centro Social de Ermesinde veio para ficar.

    ANIMAÇÃO CULTURAL

    AO GOSTO DE TODOS

    E como se fosse pouco, houve ainda a acompanhar muitos destes momentos de convívio, a presença de numerosos artistas a abrilhantar a festa, como os fadistas da Associação Académica e Cultural de Ermesinde, o grupo Sabor a Teatro da Ágorarte, os Amigos da Tuna da Universidade Católica do Porto, o Grupo de Danças e Cantares da Comunidade de Inserção da ADICE, um grupo de violas braguesas, acordeão, concertinas e cantares ao desafio do senhor Fernando e um baile de figurantes – tudo isto só por si, motivo mais que suficiente para uma vinda à feira velha.

    Ainda uma pequena nota para o artesanato de lãs, trabalhos em crochet e tricot, em feltro, doces, brinquedos de folha, objetos de lousa, de madeira, macramé, molduras, licores, materais reciclados, fisgas e bijutaria, etc..

    UM PENHORADO

    AGRADECIMENTO

    DO CSE

    foto
    O S. Martinho das Castanhas e do Vinho atraiu, ainda assim, apesar da chuva, muitos visitantes, entre eles algumas personalidades relevantes, como o presidente da Junta de Freguesia de Ermesinde, Luís Ramalho, e o novo presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, curiosamente um e outro pessoas com uma grande ligação ao Centro Social de Ermesinde, que necessita e agradece naturalmente o seu apoio.

    E agradece também o apoio recebido dos jovens do Corpo Nacional de Escutas, dos artesãos do Projeto Venda de Saberes (Aracy Ramos, Ana Cristina Pinto, Carla Araújo, Carla Carvalho, Eva Maria Lopez, Isabel Gomes e Inês Campos, Márcia Ferreira, Soledade Pereira, Alice Carvalho e Maria Helena Lima, Maria Luísa Dias, Maria Manuela Carvalho, Maria Teresa Vasconcelos, Maria Conceição Carvalho e Maria Rosa Santos, e Nelson Moura), dos artesãos convidados Elsa e Catarina Delarue, Alberto Castro (Asdrovia), Alfredo Rangel, Nuno Moutinho (ARGO), Carminda, Preciosa e Cassilda (Hortiplus), Maria la-Salete, do Núcleo Prove de Ermesinde, da Oficina César, do Centro de Apoio à Vida e Grupo de Danças e Cantares da Comunidade de Inserção da ADICE, doo grupo Sabor a Teatro da Ágorarte, de Fernanda Lage, diretora do jornal “A Voz de Ermesinde”, dos Amigos da Tuna da Universidade Católica do Porto, da Associação Cultural e Recreativa de Ermesinde, dos senhores Daniel Palhares e Manuel das Taipas, da Associação Ermesinde Cidade Aberta, da turma 8ºA da Escola EB 2/3 de S. Lourenço, do senhor Fernando Santos, do Grupo de Violas Braguesas, Acordeão, Concertinas e cantares ao Desafio do senhor Fernando, do senhor José Carvalho, da Juventude em Marcha de Crestuma, e aos parceiros da iniciativa Cooperativa Agrícola de Valongo, Jacinto Soares, Lipor, Câmara Municipal de Valongo, Junta de Freguesia de Ermesinde e Rancho Folclórico da Casa do Povo de Ermesinde.

    Só com a ajuda de todos eles, não esquecendo, mais uma vez a de funcionários/as e voluntários/as do Centro Social de Ermesinde foi possível pôr de pé esta iniciativa cuja receita reverte integralmente a favor da solidariedade, sendo ainda um estímulo ao trabalho desta IPSS.

    Por: LC

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.