Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 30-11-2019
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-11-2012

    SECÇÃO: Cultura


    MOSTRA INTERNACIONAL DE TEATRO 2012

    A obra de Shakespeare explicada a ignorantes

    Foto MANUEL VALDREZ
    Foto MANUEL VALDREZ
    Foi com humor, muito e bom humor, trazido da vizinha Galiza, que caiu o pano sobre a 15ª edição da Mostra Internacional de Teatro (MIT) na fria noite de 25 de novembro passado. Noite em que William Shakespeare “subiu” ao palco do Centro Cultura de Campo pela “mão” de um trio de conceituados atores galegos que rapidamente aqueceu o ambiente com a sua humorística visão – e interpretação – de alguns episódios das obras mais emblemáticas do célebre poeta e dramaturgo inglês.

    “Shakespeare para Ignorantes” foi então a última oferta teatral deste MIT 2012, uma peça escrita e encenada por Quico Cadaval dirigida a um público… ignorante, isto é, que desconhece a essência da obra de Shakespeare, mas que anseia conhecê-la, até para seu uso pessoal no dia a dia atual. O espetáculo tem início com uma conferência didática ministrada por um aparente prestigiado professor (personagem interpretada pelo próprio Quico Cadaval), que pretende então com a sua eloquente palestra dissipar a ignorância do público quanto a dados menos do que básicos sobre a obra de Shakespeare.

    Ignorância cujo significado para si não é mais do que a «falta de ciência ou de notícias sobre um assunto particular ou geral»! Neste caso sobre Shakespeare.

    Para instruir a “ignorante” assistência recorre à dupla de atores desempregos Mofa & Befa, que colocam em prática de uma forma para lá de cómica resquícios de obras como “MacBeth”, “Romeu e Julieta”, “Péricles, Príncipe de Tiro”, “Hamlet”, “Otelo”, ou “Rei Lear”. O riso invade a “ignorante” plateia sempre que o prestigiado professor pede a Mofa & Befa (dupla interpretada pelos magníficos – na nossa opinião – comediantes galegos Evaristo Calvo e Víctor Mosqueira) para dar vida a assassinos, mendigos, conspiradores, delatores, oportunistas, torturadores, que caracterizam a(s) obra(s) de William Shakespeare.

    Aclamada em toda a Espanha, “Shakespeare para Ignorantes” tem recolhido diversos prémios no país vizinho, entre outros o de melhor autor teatral galego para Quico Cadaval, o Prémio Maria Casares para o melhor texto original, e duas nomeações para o melhor ator protagonista (para Víctor Mosqueira) e para o melhor ator secundário (para Quico Cadaval).

    Ao sucesso espanhol seguir--se-á o sucesso português, já que a analisar pelo que vimos, dúvidas parecem não existir. O MIT 2012 terminou em grande!

    CIMEIRA

    LUSO-BRASILEIRA

    A ABRIR

    Foto CMV
    Foto CMV
    O certame teve início na sexta feira, dia 23, com uma verdadeira cimeira luso-brasileira. “Queria Ser…” em estreia oficial, abriu o MIT 2012, e levou ao palco do recinto cultural de Campo uma dupla velha conhecida nestas andanças. Júnior Sampaio – diretor artístico do ENTREtanto Teatro – e Leonardo Brício, dois atores brasileiros que contracenaram no MIT de 2003, na altura dando vida à peça “Deus Danado”. Em 2012 ergueram “Queria Ser…”, uma obra escrita e encenada por Júnior Sampaio, por esta altura o ator brasileiro mais “português de Portugal”, que coloca em palco dois atores unidos pelo sonho de fazer teatro, «unidos pelo mágico, pelo inexplicável… separados pela realidade… unidos na separação e isolados na união… um jogo de vidas… questionamentos… risos… risos com teatro».

    No ambiente descontraído do café-teatro, o MIT 2012 prosseguiu no dia seguinte com uma nova estreia, desta feita “Hoje é o dia”, da autoria de Pedro Mota, e que trouxe à cena um monólogo interpretado por Rita Lello.

    Por: Miguel Barros

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.