Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 28-02-2021
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 10-07-2012

    SECÇÃO: Cultura


    Festa de fim de época do coro infantil Arco Íris

    Fotos URSULA ZANGGER
    Fotos URSULA ZANGGER
    Decorreu no Auditório da Junta de Freguesia de Ermesinde, no passado dia 1 de julho, a festa de encerramento de época do coro infantil da Associação Académica e Cultural de Ermesinde, o Arco Íris.

    Subiram ao palco 31 crianças, vestidas com as cores do arco íris no seu conjunto, e que interpretaram diversos temas, grande parte dos quais adaptações de peças musicais extraídas de filmes ou de animações bem adequadas à sua idade. Foi o caso do hino do Arco Íris, que é uma peça adaptada de “O Feiticeiro de Oz”. Sem pretender ser exaustivo “My Fair Lady”, “A Bela e o Monstro”, “Pocahontas”, “Os Marretas”, “Rei Leão”, “Música no Coração”, etc., foram outras das inspirações do coro, que também interpretou canções napolitanas como “Funiculi Funiculá” ou o “Sole Mio”.

    Dirigido com muita sensibilidade pelo maestro Nuno Rocha, o coro mostrou-se particularmente entusiasmado naquelas peças que, além do mais constituíam um jogo, como na interpretação de “Fernando VII Usava Paletó”, da autoria da brasileira Rosângela Darwich, e em que o jogo consiste em ir alinhando a mesma vogal em todo o verso, uma a uma, desta forma substituindo o texto do primeiro verso: “quando Fernando Sétimo usava paletó, qaanda farnanda sátama asava palatá, qendé fernande séteme eseve peleté, qindi firnindi sítimi isivi pilití”, etc., ou na canção popular “O Meu Chapéu tem Três Bicos”, em que se ia, à vez, suprimindo uma palavra para a substituir por um gesto correspondente, para grande gaúdio dos miúdos que, muito concentradamente, cumpriram à risca o programa de encargos da interpretação coreografada.

    Tanta aplicação faz com que não admire o quase anúncio de Nuno Rocha, de que os garotos irão em breve a Espanha, convidados para participar num certame de música coral, reconhecida que foi a sua qualidade.

    Um momento particularmente enternecedor foi quando as mães também subiram ao palco cantando em conjunto com os seus filhotes e preenchendo por completo o pequeno palco do auditório da Junta.

    foto
    Durante o espetáculo o texto de muitas canções ia correndo em apresentação digital, permitindo aos familiares exercícios de karaoke que além do mais eram solicitados por Nuno Rocha, que dirigia assim a sala inteira.

    Presente ao ato esteve, entre outros, o presidente da Junta de Freguesia de Ermesinde que, com o seu filho ao colo, elogiou o trabalho do coro infantil e da Associação Académica e Cultural de Ermesinde, em geral, um trabalho incansável em prol da Cultura, em particular da Música.

    Alberto Mateus, presidente da Direção desta entidade teve ensejo de enaltecer o trabalho do coro que, disse a propósito, tinha já estado na véspera, a atuar junto no Fórum Cultural de Ermesinde, aquando do Encontro Internacional de Coros.

    A propósito deste, uma pequena nota de “A Voz de Ermesinde”, que lamenta não poder apresentar aos seus leitores uma reportagem do evento, do que pede desculpa, mas o que se deve a uma alteração da hora prevista para a realização do certame, que originou aliás que alguns potenciais espetadores, além de nós, também viessem a perder o espetáculo, certamente merecedor da maior atenção.

    Por: LC

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.