Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-01-2023
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-09-2011

    SECÇÃO: Destaque


    EXPOVAL 2011

    Música e bailado na Expoval

    Foto FILIPE CERQUEIRA
    Foto FILIPE CERQUEIRA
    Segundo o que consta na página oficial da Câmara Municipal de Valongo, «uma das principais novidades da edição de 2011 da EXPOVAL é a sua localização. Aproveitando um dos espaços mais nobres da cidade de Ermesinde, o Parque Urbano, a organização entendeu dar uma nova vida ao evento e para tal criou todas as condições para que este espaço se torne numa mais-valia para todos: quem expõe e quem visita».

    Ora, foi no auditório exterior do Parque Urbano Dr. Fernando Melo que tive a oportunidade de assistir no dia de abertura da Expoval, mais ao menos por volta das 22h10 desse dia 15, quinta-feira, a um espetáculo de bailado pelas alunas da Escola de Dança de Ermesinde, que tem sede na Rua de Moçambique. Participaram nessa festa de abertura alunas de diversos graus com coreografias da autoria das professoras Edite Santos e Joana. Estas coreografias seguiram um plano em duas partes: a primeira apresentou excertos do bailado “A Fada Oriana”, elaborado pelas professoras, com músicas de Joe Hisaíshi. Na 2ª parte foram utilizadas várias danças que tinham sido já apresentadas na Gala de Bailado realizada pela escola há dois anos. As músicas foram várias, entre as quais músicas de Owen Pallett com "Do You Love?", Beyonce com "One Night Only", "You Can Stop the Beat" do Hair Spray, o "Oceano" de Josh Groban, a primeira música do musical "Chicago" e a clássica "Do You Love Me" do muito badalado filme de 1987 "Dirty Dancing".

    Foi um espetáculo muito bonito, agradável. Gostei de ver a desenvoltura com que as meninas dançavam, umas com maior à vontade, outras com maior disciplina, mas todas com energia. Era energia para dar e vender, tais eram as correrias para o Fórum Cultural de Ermesinde, nas imediações, a fim de trocarem de vestido nos bastidores e voltarem ao palco a tempo da nova dança, enquanto outras lá se mantinham.

    Gostei particularmente de uma das bailarinas que conseguiu fazer, na perfeição, uma espargata e outra que deslumbrou pela cadência de piruetas.

    As pessoas na assistência aplaudiam com gosto, incentivando e tirando muitas fotografias, ouviam-se frases como um «olha que vestido lindo!» ou «gosto tanto desta música!» e até um «como é que ela fez aquilo?!».

    Mas poucas pessoas, decerto, se conseguiriam lembrar do frenesim por que passavam as professoras na correção das posições e na ordenação das formações antes da entrada em palco.

    Tenho este sentido de responsabilidade bem presente, dado já ter feito o trabalho de pianista acompanhador de exames de Ballet com miúdas de todas as idades, algumas já a frequentar nível de Escola Superior de Dança e sei que elas têm de trabalhar de acordo com um programa bastante disciplinador e rigoroso, onde são levadas a aprender em cada ano letivo, as melhores práticas de dança. Reporto-me, é claro, ao programa da Royal Academy of Dance, cuja página eletrónica é http://www.rad.org.uk/.

    Os exames e as aulas de preparação são sempre momentos difíceis, de grande responsabilidade, mas também de descoberta de coisas que às vezes não estão ao nosso alcance noutras atividades do quotidiano. Nessas alturas, consegue-se desenvolver outras faculdade, como por exemplo a de ter de estar a tocar sem olhar quer para as pautas quer para as teclas, mas sim, acima do piano vertical, de modo a estar o mais sincronizado possível com elas.

    No final, tiveram um grande ramalhete de aplausos e muita gente dispersou, coisa que aliás não aconteceu aquando de outros concertos, havendo muito mais público, como o da banda "Azeitonas", por exemplo. Assim, não ficaram para poder ficar a assistir ao espetáculo de luz, fogo e malabarismo que aconteceu de seguida pela grupo "Fire(work)". Seria pura coincidência o facto de o balcão/stand dos Bombeiros estar mesmo acima das bancadas?

    Como nota final desta crónica deixo aqui uma sugestão para hoje, dia 30 de setembro e amanhã, 1 de outubro. Assistir à ópera Sansão e Dalila, de Saint-Saëns, uma produção operática do Coliseu do Porto em parceria com a Orquestra do Norte, sempre às 21horas. Ainda por cima, será uma ótima forma de comemorar os 70 anos do Coliseu do Porto e celebrar o Dia Mundial da Música a 1 de outubro.

    Por: Filipe Cerqueira

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.