Subscrever RSS Subscrever RSS
Edição de 31-07-2019
  • Edição Actual
  • Jornal Online

    Arquivo: Edição de 30-05-2011

    SECÇÃO: Destaque


    MOSTRA DE EMPREGO E FORMAÇÃO DE VALONGO. CSE ASSINOU PROTOCOLO

    Caminhos do futuro foram apontados em Ermesinde

    Pelo segundo ano consecutivo o Fórum Cultural de Ermesinde acolheu a Mostra de Emprego e Formação do Concelho de Valongo. Realizado entre os passados dias 11 e 13 de maio o evento contou com a participação de mais de três dezenas de entidades formadoras que ali apresentaram aos visitantes – nas sua esmagadora maioria jovens – um vasto leque de caminhos profissionais. Um dos pontos altos da feira foi a assinatura do protocolo entre a Câmara Municipal de Valongo e a INOVAR (Iniciativa Novas Oportunidades – Valongo em Rede) no sentido de em rede continuar o trabalho em prol do melhoraramento das competências escolares da população menos qualificada.

    Fotos MANUEL VALDREZ
    Fotos MANUEL VALDREZ
    Numa altura em que escolher, e sobretudo encontrar, um emprego se apresenta como uma missão cada vez mais espinhosa a II Mostra de Emprego e Formação do Concelho de Valongo assumiu-se como uma espécie de ferramenta de auxílio para o encontro de caminhos profissionais para todos aqueles que por esta altura se sentem um pouco perdidos e sem esperança no futuro no que concerne à empregabilidade. Foram pois muitos os que a meio da manhã do dia 11 marcaram presença na inauguração do certame organizado pela Câmara Municipal de Valongo (CMV) através da sua “dinamizadora” e sempre atenta (às questões sociais) Agência para a Vida Local (AVL). Sobretudo jovens, muitos jovens, ou não fossem eles dos que mais sofrem com toda esta crise da empregabilidade, muitos deles a viverem situações precárias e injustas nos seus empregos e outros que nem essa amarga sensação podem experimentar pois encontrar um trabalho tem sido uma missão impossível nos tempos que correm.

    A inauguração da feira contou com a presença de diversas individualidades locais, desde logo a destacar os vereadores da CMV João Paulo Baltazar e Maria Trindade Vale, cabendo a esta última, e na ausência do presidente da autarquia Fernando Melo, a honra de proferir algumas palavras na hora de abrir o certame. A vereadora que detém o pelouro da Ação Social começou por enaltecer o parque escolar do nosso concelho, sublinhando que é graças ao envolvimento e trabalho de todos os agentes educativos que iniciativas como esta serão possíveis de ser executadas. Aos agentes educativos e à AVL, tendo neste aspeto Maria Trindade Vale endereçado uma mensagem de parabéns a toda a equipa deste serviço municipal, em particular à responsável do mesmo Eunice Neves. Estava assim dado o “pontapé de saída” para três dias onde foram desbravados os caminhos da formação profissional, do emprego e do empreendedorismo pela mão das mais de três dezenas de entidades presentes. Realizaram-se vários workshops, onde se destacaram, por exemplo, o que foi levado a cabo pelo Gabiente de Apoio ao Empreendedorismo da Cidade das Profissões intitulado de “Os passos na criação do próprio emprego”, ou o denominado de “Conquiste o seu Emprego”, este organizado pela Talenter, umas das entidades que se fizeram representar na feira. Organizaram-se seminários, como foi o caso daquele que teve como tema o “Financiamento de pequenos negócios” (levado a cabo pelo Gabinete do Empresário da CMV), fizeram-se sessões de esclarecimento, e uma série de oficinas e prática simulada promovendo cursos de cabeleireiro, design e costura, pastelaria, serviço de mesa, secretariado, desporto, fotografia e vídeo, entre muitos, muitos outros.

    QUALIFICAR

    OS MENOS

    QAULIFICADOS

    foto
    Um dos pontos altos do certame decorreu no último dia com a assinatura do protocolo celebrado entre a CMV e a INOVAR (Iniciativa Novas Oportunidades – Valongo em Rede). Trata-se de uma parceria entre a autarquia e sete entidades formadoras locais que visa na sua génese continuar o trabalho no sentido de melhorar os níveis de qualificação da população menos qualificada através do programa das Novas Oportunidades. No lançamento da assinatura deste protocolo o vice-presidente da CMV, João Paulo Baltazar, sublinharia a preocupação da autarquia em fazer com que os seus munícipes tenham a oportunidade de melhorar as suas competências ao nível da formação e dessa forma aceder – com argumentos mais fortes – ao mercado de trabalho, ressalvando que o trabalho em rede com as entidades formadoras parceiras neste protocolo irá potenciar a qualidade do ensino.

    Por seu turno o representante do Instituto de Emprego e Formação Profissional, Miguel Venâncio, destacou a importância do trabalho realizado pelos Centros de Novas Oportunidades desde a sua criação no sentido em que um considerável número de cidadãos melhoraram os seus níveis de qualificação. No entanto, «existem ainda muitas pessoas com baixos níveis de qualificação, pessoas na casa dos 40 anos que não têm mais do que a 4ª classe! No Centro de Emprego de Valongo 50% dos inscritos possuem baixas qualificações, e é por isso que há ainda muito trabalho para fazer, sendo que esta parceria é um bom exemplo do que deve ser feito para ajudar as pessoas que necessitam de soluções», ressalvou Miguel Venâncio.

    Igualmente presente esteve António Leite, da Direção Regional de Educação do Norte (DREN), que recordaria que o programa das Novas Oportunidades (NO) foi uma resposta a um grave problema social com o qual o país se debatia, ou seja, a falta de qualificação de grande parte da população. Um problema ao qual várias instituições se juntaram no sentido de o combater e o resultado está à vista com uma resposta massiça por parte dos portugueses como comprovam os números, os quais apontam para um milhão e trezentes mil pessoas inscritas no programa das NO. «As NO são hoje um adquirido do nosso país, e como tal não podemos voltar atrás, podemos é sim melhorar», rematou o diretor da DREN.

    Posteriomente foram chamados um a um os representantes dos oito outorgantes deste protocolo para que este pudesse ser celebrado oficialmente. Para além da CMV compõem o protocolo a ADICE, o CENFIM, o Centro Social de Ermesinde (que se fez representar pelo seu dirigente máximo, Henrique Queirós Rodrigues), o Agrupamento de Escolas de Alfena, a Escola Secundária de Ermesinde, a Escola Secundária de Valongo, e o Singesco.

    Por: Miguel Barros

     

     

    este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu Este espaço pode ser seu
    © 2005 A Voz de Ermesinde - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
    Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.